Ideli agradece a base por apoio a governo

Responsável pela estratégia que permitiu votar temas importantes para o governo nesta semana, ministra comemora a fidelidade dos parlamentares governistas ao Planalto

A ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, cumprimentou todos os senadores da base governista após a aprovação, em primeiro turno, da Proposta de Emenda à Constituição que prorroga a Desvinculação de Receitas da União (DRU) até 2015. Satisfeita com o resultado do intenso trabalho de convencimento dos senadores para que não apresentassem emendas à proposta, a ministra afirmou que a DRU será essencial para enfrentar a crise econômica internacional. “Diferentemente de outros países em que os governantes não estão tendo apoio semelhante de seus parlamentos, no Brasil, há uma parceria extremamente positiva, extremamente benéfica para o povo brasileiro, no sentido de aprovar matérias importantes para o país continuar crescendo, gerando renda e emprego além de enfrentar de forma mais adequada uma crise tão grave como esta”, disse. 

Para o líder do governo na Casa, senador Romero Jucá (PMDB-RR), a votação desta tarde foi uma demonstração de que a base governista está unida e que muitos senadores da oposição gostariam de ter votado favoravelmente à proposta da DRU, mas não puderam devido a orientações partidárias.

A DRU é um mecanismo que permite ao Executivo gastar livremente 20% das receitas provenientes de contribuições sociais, exceto as previdenciárias, o que representa cerca de R$ 62,4 bilhões disponíveis para o próximo ano, segundo cálculos do Ministério do Planejamento. Considerado pelo governo como essencial para manter programas sociais nos próximos anos, a DRU perderia a validade em 31 de dezembro deste ano. Por isso, o governo tratou o assunto como uma de suas prioridades no Parlamento e se apressou em colocar a proposta em votação no Senado.

De acordo com Jucá, a votação do segundo turno deverá ocorrer no dia 20 de dezembro, penúltimo dia de funcionamento do ano legislativo. O líder informou que não há acordo entre base e oposição para quebrar os prazos de tramitação da matéria. Por se tratar de proposta de emenda à Constituição, o período entre os dois turnos é de cinco dias úteis e três sessões deliberativas.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!