Mendes Thame: “Aécio é o único que corporifica uma autêntica mudança”

“O Aécio é o único que corporifica, de fato, uma autêntica mudança em relação à condução econômica no país, hoje sendo conduzida pelo lulopetismo a 12 anos”, diz Mendes Thame

O deputado Mendes Thame (PSDB-SP) é um dos parlamentares mais experientes desta legislatura. Ex-prefeito de Piracicaba (1993-1996), tem formação plural: é engenheiro agrônomo, professor de Economia e advogado. Deputado constituinte, ajudou a fundar o PSDB em São Paulo e já está no sexto mandato de deputado federal. Não se reelegeu, mas passa o seu recado: “Estamos confiantes ainda em uma vitória do Aécio, mas bastante preocupados com os rumos da campanha, com as desinformações que vêm sendo plantadas pelo PT”, disse, na entrevista abaixo.

Seguem os seus argumentos em defesa do voto em Aécio Neves neste domingo.

Por que votar em Aécio?

O Aécio é o único que corporifica, de fato, uma autêntica mudança em relação à condução econômica no país, hoje sendo conduzida pelo lulopetismo há 12 anos.

Quais são os desafios para quem vier a conduzir o país nos próximos anos?

Os maiores desafios são: em primeiro lugar, diminuir a carga tributária em benefício das empresas. O segundo é reformular o pacto federativo. O terceiro é o combate à corrupção, que no governo do PT se tornou algo endêmico, sistêmico, enraizado por toda parte. O quarto desafio é promover uma reforma política ampla, com voto regional, voto regionalizado distrital.

O que acontecerá se a presidenta Dilma for reeleita?

Nós continuaríamos como estamos, sem nenhuma novidade, com uma situação econômica cada vez mais difícil afetando, notadamente, os mais pobres. Com restrições de emprego, restrições de distribuição de renda. Restrições decorrentes da ausência do desenvolvimento que estamos notando, das dificuldades na balança comercial, com a volta da inflação, da desindustrialização acelerada que este atual governo está provocando.

O que marcou a campanha eleitoral deste ano?

Difícil... [pausa] Acho que o que marcou foi a imprevisibilidade, as mudanças imprevisíveis. Já estamos chegando ao final da campanha sem ter uma definição. Estamos confiantes ainda em uma vitória do Aécio, mas bastante preocupados com os rumos da campanha, com as desinformações que vêm sendo plantadas pelo PT.

Veja também:

Humberto Costa diz por que votar na Dilma

Mais sobre as eleições

Assine a Revista Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!