MBL atua no comitê pró-impeachment para garantir votos de deputados

Os coordenadores do Movimento Brasil Livre, Kim Kataguiri, Renan Santos e Rubens Nunes, estão na liderança do DEM articulando ações para garantir a aprovação da admissibilidade do processo na votação no Plenário da Câmara

Os coordenadores do Movimento Brasil Livre (MBL), Kim Kataguiri, Renan Santos e Rubens Nunes, estão na liderança do DEM reunidos com assessores do comitê pró-impeachment articulando ações para garantir a aprovação da admissibilidade do processo na votação de hoje (17) no Plenário da Câmara. Para Kataguiri, a votação não terá grandes surpresas e o impeachment avançará para o Senado.

Os líderes do grupo estão checando a presença em plenário dos 377 deputados que se declararam a favor do afastamento da presidente Dilma Rousseff, de acordo com informação do comitê pró-impeachment. "A gente envia, de acordo com os estados, para todas essas manifestações que estão acontecendo, para que esses nomes sejam ditos no meio da manifestação. Ao mesmo tempo a gente faz pressão pelas redes sociais para que as pessoas liguem para os gabinetes, enviem e-mail, enfim", explica o jovem. "A ideia é que todos que se declararam a favor estejam presentes", completa.

Segundo Kim, o levantamento até agora mostra que dos 377, apenas cinco deputados estão ausentes, o que já garante os 342 votos necessários. "Como a gente já está com uma margem segura, a gente já está divulgando os nomes até dos que não tinham se declarado a favor ou dos que tinham se declarado contra. Para marcar posição, causar um prejuízo eleitoral para eles", afirma Kim.

A votação teve início há pouco no plenário.

Mais sobre impeachment

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!