Match diz que Whelan não cometeu crimes na máfia dos ingressos

Sócia da Fifa na comercialização de entradas e pacotes da Copa do Mundo diz estar segura da inocência de seu presidente

A empresa Match Hospitality divulgou nota nesta terça-feira (8) dizendo estar absolutamente segura de que seu diretor, Raymond Whelan não violou nenhuma lei. Ele foi preso ontem pela polícia, mas solto hoje pela Justiça. Whelan é suspeito de integrar um esquema de venda ilegal de ingressos para a Copa do Mundo, que envolveria ainda o argelino Lamine Fofana e dez brasileiros, a “máfia dos ingressos”.

“Ray Whelan foi solto da custódia policial e ajudará a polícia com as investigaões”, informou nota da empresa. “A Match está absolutamente segura de que os fatos comprovarão que ele não violou nenhuma lei. A Match continuará a contribuir com todas as investigações policiais, que nós firmemente acreditamos, irão inocentar completamente Ray”, continuou.

A Match tem direitos exclusivos para a venda de pacotes de hospitalidade da Copa de 2014, que inclui, além de ingressos, serviços como acesso a áreas exclusivas dos estádios, bufê e estacionamento.

O delegado responsável pelas investigações, Fábio Barucke, disse que encerrará o inquérito nesta terça-feira e encaminhará o relatório à Justiça, indiciando os 12 pessoas por venda ilegal de ingressos e associação criminosa. O documento também pedirá prisão preventiva para Whelan e os 11 restantes, presos temporariamente. (com Agência Brasil)

Mais sobre Copa do Mundo

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!