Marta Suplicy pede demissão do Ministério da Cultura

Na carta a Dilma Rousseff, senadora petista fez críticas indiretas ao governo e desejou que a presidenta seja "iluminada" para escolher o novo ministério, em especial na áreaeconômica. Saída da senadora petista da pasta já era esperada

Marta Suplicy não é mais ministra da Cultura. Às 10h desta terça-feira (11), a petista protocolou sua carta de demissão na Casa Civil após passar dois anos e dois meses no cargo. Sua saída era esperada, já que Marta não se envolveu ativamente nas campanhas do PT em São Paulo. Além disso, ao voltar ao Senado, vai reforçar a bancada do partido na Casa em um momento delicado para o governo Dilma Rousseff. Ainda não há substituto escolhido, mas o ex-ministro Juca Ferreira, atual secretário municipal de Cultura de São Paulo, é apontado como favorito para substituí-la.

O anúncio da demissão foi feito pela colunista Sonia Racy, do jornal O Estado de S. Paulo. Nos perfis da petista no Facebook e no Twitter, a confirmação da saída veio com o compartilhamento do texto de Sonia e o horário de entrega da carta. No texto, Marta, um dos principais nomes do movimento "volta Lula", fez críticas indiretas ao governo de Dilma.

Disse que o Ministério da Cultura tem "inúmeras demandas e carências", mas que, mesmo assim, foi possível "apresentar um país diferente no exterior". "Para que o legado de Vossa Excelência viesse a ser sólido, nos dedicamos a viabilizar a aprovação, com êxito, de um conjunto de leis por anos pendentes no Congresso, que possibilitaram criar a coluna vertebral de políticas de Estado da Cultura", afirmou.

Ainda desejou que Dilma seja "iluminada" na formação do novo ministério. Especula-se que apenas um terço dos atuais ministros permaneçam nos cargos. Porém, as atenções estão na economia, onde Guido Mantega não ficará mais quatro anos à frente da Fazenda. Para a petista, que retomará seu mandato como senadora por São Paulo, é preciso uma equipe "independente, experiente e comprovada". Uma das críticas feitas a Dilma é a falta de independência da pasta na condução das políticas econômicas do país.

"Todos nós, brasileiros, desejamos, neste momento, que a senhora seja iluminada ao escolher sua nova equipe de trabalho, a começar por uma equipe econômica independente, experiente e comprovada, que resgate a confiança e credibilidade ao seu governo e que, acima de tudo, esteja comprometida com uma nova agenda de estabilidade e crescimento para o nosso país. Isto é o que hoje o Brasil, ansiosamente, aguarda e espera", disparou.

Leia a íntegra da carta de demissão:

"Brasília, 11 de novembro de 2014.
À Excelentíssima Senhora Presidenta da República Dilma Rousseff,

Presidenta Dilma,

Agradeço a honra a mim concedida com o convite para ser Ministra de Estado da Cultura do Brasil nos últimos dois anos de seu governo. Encerro hoje a presente etapa com minha missão cumprida, razão pela qual apresento meu pedido de demissão.

Ao lado de minha valorosa equipe, à qual sou muito grata, tivemos a possibilidade de construir caminhos e encaminhar soluções para nossas sete importantes instituições e fundações coligadas, assim como também pudemos apresentar um país diferente no exterior.

Em meio a inúmeras demandas e carências orçamentárias do Ministério da Cultura, focamos nosso trabalho em valores que nos são preciosos: inclusão da população na produção de cultura e ampliação do acesso aos bens culturais.

Para que o legado de Vossa Excelência viesse a ser sólido, nos dedicamos a viabilizar a aprovação, com êxito, de um conjunto de leis por anos pendentes no Congresso, que possibilitaram criar a coluna vertebral de políticas de Estado da Cultura.

Em dois anos aprovamos o Sistema Nacional de Cultura, o Vale-Cultura, a Lei da Cultura Viva, o Marco Civil da Internet, a Lei de fiscalização do Ecad, a PEC da Música, além de ter enviado à Casa Civil, onde aguardam encaminhamento, o Direito Autoral e a Lei da Meia Entrada.

Por esta oportunidade de servir nosso país nesta função tão especial, de conhecer melhor e conviver com o povo da cultura, estar mais próxima de nossos artistas e raízes profundas, lhe sou grata.

Todos nós, brasileiros, desejamos, neste momento, que a senhora seja iluminada ao escolher sua nova equipe de trabalho, a começar por uma equipe econômica independente, experiente e comprovada, que resgate a confiança e credibilidade ao seu governo e que, acima de tudo, esteja comprometida com uma nova agenda de estabilidade e crescimento para o nosso país. Isto é o que hoje o Brasil, ansiosamente, aguarda e espera.

Volto para o Senado Federal para representar o Estado de São Paulo, por mais quatro anos, com muito vigor, energia e com o firme propósito de fazê-lo com amplitude, seriedade e grandeza. Na condução do Ministério da Cultura, e como Senadora licenciada pelo PT, não me apequenei, o fiz com coragem e determinação. Não fugi à responsabilidade de meu compromisso público ao me posicionar e ter feito o que acreditava ser o melhor para o Brasil e para o povo brasileiro.

Marta Suplicy
Senadora pelo Estado de São Paulo (2011/19)"

Assine a Revista Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!