Marco Feliciano promete ir à CPI das Fake News após pedido de convocação

Vice-líder do governo no Congresso, o pastor Marco Feliciano (Podemos-SP) prometeu ir à CPI das Fake News para falar do áudio em que pede ajuda para “espancar” o líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), nas redes sociais. O pastor disse que vai pedir para ser ouvido na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito que investiga a divulgação de notícias falsas na internet logo depois de Randolfe informar que apresentou um pedido de convocação para cobrar explicações sobre a “milícia digital” de Feliciano.

> Blogueiro bolsonarista acusado de comandar rede de difamação vai à CPI das Fake News

Marco Feliciano, que desde o fim de semana troca farpas com Randolfe por conta do possível envolvimento do presidente Jair Bolsonaro no caso Marielle, reagiu ao pedido de convocação que foi apresentado por Randolfe chamando o senador de covarde e histérico. Logo depois, contudo, disse que “fala a hora que quiser” na CPI das Fake News, porque “quem não deve não teme”. “O histérico Sen. Randolfe diz que protocolará requerimento para me convocar na CPMI da Fake News, na qual sou titular. Não entendi porque quer me ouvir, mas digo que o requerimento vai perder o objeto, pois protocolarei pedido para ser ouvido na Comissão”, informou Feliciano.

O pedido de convocação foi apresentado por Randolfe nesta segunda-feira (4) depois que o blog de Guilherme Amado, da Revista Época, publicou um áudio em que Feliciano pede para o pastor Guaracy Jr., que é presidente do PSL do Amapá, “levantar um grupo de pessoas” para “espancar” Randolfe nas redes sociais. “Esse senadorzinho aí precisa de um trato, né? Se ele puder me ajudar mais…”, diz o deputado no áudio.

Inicialmente, Feliciano negou a veracidade da mensagem, mas depois admitiu. “Pedir apoio em rede social é crime agora? Isso só mostra a sua sanha em frear a voz q as redes sociais dão a quem é opositor”, disse nas redes sociais.

Feliciano, contudo, também prometeu apresentar uma notícia-crime contra Randolfe, caso o senador do Amapá represente contra o presidente Jair Bolsonaro por obstrução de justiça no caso Marielle. “Tentam me intimidar com requerimento para me ouvir na CPMI da Fake News. Irei voluntariamente”, disse Feliciano, que antes disso já havia anunciado uma notícia-crime contra o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE).

Mesmo assim, Randolfe promete ir à Procuradoria-Geral da República contra Bolsonaro, em nome da oposição, nesta terça-feira (5). O senador também manteve o requerimento de convocação, que agora deve ser votado na CPI das Fake News e recebeu apoio de personalidades como Marina Silva, Ciro Gomes e Manuela d’Ávila nas redes sociais. “A covardia é a principal marca dessa corja! Mas não irão nos intimidar”, afirmou Randolfe, que quer explicações sobre os “grupos que promovem ataques nas redes sociais” que Feliciano menciona no áudio divulgado pela Época.

> Rede vai ao MP contra Carlos Bolsonaro por adulteração do local de prova

> Marco Feliciano quer processar Humberto Costa por “incitar golpe” contra Bolsonaro

Catarse
CPI das Fake NewsCPMI das Fake NewsMarco FelicianoRandolfe Rodrigues