“Mapa do impeachment” mostra maioria da Câmara ainda indecisa

De acordo como mapeamento do Vem Pra Rua, 150 deputados votariam hoje a favor do impeachment – número bem inferior aos 342 votos necessários. Ao todo, 234 aparecem como indecisos. Veja a posição de cada congressista, segundo o movimento anti-Dilma

O movimento Vem Pra Rua colocou no ar nesta quarta-feira (24) o Mapa do Impeachment (MDI), ferramenta que aponta quais parlamentares apoiam o afastamento da presidente Dilma, quais são contrários ao seu impedimento e quais estão indecisos em relação ao processo iniciado na Câmara. De acordo como mapeamento, 150 deputados votariam hoje a favor do impeachment – número bem inferior aos 342 votos necessários. Outros 129 são considerados contrários ao afastamento de Dilma. A esperança do grupo está voltada para outros 234, identificados como indecisos. No Senado, onde são exigidos 54 votos, 26 senadores são apontados como favoráveis à saída da presidente, 28 contra e os 27 restantes, como indecisos.

 

O mapa traz a posição de cada parlamentar, estado por estado. “Vamos cobrar os indecisos, denunciar os que são contrários e apoiar os que são a favor do impeachment”, conclama a página, que a cada momento destaca um indeciso, um favorável e um contrário ao impeachment.

Veja o mapa do impeachment

Segundo o Vem Pra Rua, com a amostragem, a ferramenta pretende ampliar a discussão entre políticos e sociedade. “Essa é a primeira vez que se reúne, numa só ferramenta, informações do posicionamento político dos deputados e senadores em matérias de interesse nacional, e tudo de forma didática e com fácil navegação”, afirma Rogerio Chequer, um dos líderes e porta-voz do movimento, um dos principais articuladores das manifestações de rua contra a presidente.

Desenvolvido pela equipe de tecnologia do movimento, o MDI vai permitir que cada cidadão mantenha contato direto com os congressistas. O portal concentrou todos os canais de acesso aos parlamentares, como endereço de e-mail, telefone dos gabinetes, e contas nas maiores redes sociais gratuitas (Facebook, Twitter, Instagram e Youtube). Para isso, uniram dados da Câmara, do Senado, do Tribunal Superior Eleitoral, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Registro.br.

O movimento avalia a criação do MDI como um “marco no exercício da cidadania”. Para o Vem Pra Rua, o portal amplia a atuação do grupo e vai “muito além do impeachment”.

“Através desta plataforma, a sociedade brasileira terá pela primeira vez um instrumento para se manifestar sempre que houver uma votação relevante no Congresso Nacional. Os políticos não mais poderão se esconder da opinião pública e isso mudará a forma dos brasileiros exercerem a Democracia", afirmou Chequer.

O objetivo do Movimento Vem Pra Rua é reunir a evolução patrimonial dos políticos brasileiros; as declarações de rendimento feitas à Receita Federal; as empresas que contribuíram com campanhas eleitorais, além das cidades em que os candidatos receberam mais votos.

Mais sobre impeachment

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!