Manifestantes vão às ruas contra Dilma em capitais

Protestos ocorreram no dia da Proclamação da República em cidades como São Paulo, Porto Alegre e Belo Horizonte. Ao ver pedido de intervenção militar, cantor Lobão reclamou e foi embora

O sábado da Proclamação da República foi de manifestações em alguma capitais do país contra o PT e a presidenta Dilma Rousseff. A maior ocorreu em São Paulo, onde cerca de 6 mil pessoas fecharam parcialmente a Avenida Paulista com críticas ao governo federal. Houve mobilização também em outras cidades brasileiras, todas convocadas pelas redes sociais, especialmente o Facebook.

Em Porto Alegre, de acordo com a Zero Hora, o protesto evitou qualquer referência intervenção militar. Os cerca de 4 mil manifestantes - número dado pelos organizadores - criticaram o decreto dos conselhos populares e miraram nas recentes denúncias de corrupção envolvendo a Petrobras.

Já em Belo Horizonte a participação foi menor que em outras capitais. Segundo a Polícia Militar, cerca de 600 pessoas compareceram ao evento convocado pelas redes sociais. Segundo O Estado de Minas, também houve preocupação com a vinculação com a extrema direita. Pessoas reclamaram de “golpe” nas eleições, dizendo que votação foi fraudada.

Na capital paulista a concentração começou no Museu de Arte de São Paulo (Masp), onde os dois sentidos da Avenida Paulista foram fechados. As cerca de 6 mil pessoas pediram o impeachment da presidenta Dilma Rousseff. A manifestação foi acompanhada por mais de 500 policiais militares. De acordo com a Folha de S. Paulo, o cantor Lobão, contrariado ao ver pessoas pedindo intervenção militar, abandonou o protesto.

Em sua maioria, os manifestantes vestiram camisas nas cores verde e amarelo e seguravam bandeiras do Brasil gritando “fora PT”. A maior parte deles fez uma caminhada pela Avenida Paulista em direção a Praça da Sé.

Cinco trios elétricos foram parados em frente ao Masp e dividiram os manifestantes. Em minoria, alguns manifestantes defenderam a ditadura militar e, em outro grupo, pessoas que se manifestaram contra a ditadura e defendiam a democracia. No entanto, esse grupo que reuniu a maioria dos manifestantes, pediu a anulação das eleições.

Assine a Revista Congresso em Foco

Com informações da Agência Brasil


Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!