Manifestantes cantam paródias de funk para Rollemberg e distritais; ouça

Baile de Favela e Malandramente ganham versões engajadas para embalar manifestações no Distrito Federal. Governador Rodrigo Rollemberg e deputados distritais afastados da Mesa Diretora da Câmara Legislativa são os principais alvos

Sucesso nos bailes funk de todo o país, "Baile de Favela" e "Malandramente", ganharam duas versões com letra de protesto no Distrito Federal. Uma das paródias critica o governador, enquanto a outra foca nos deputados distritais acusados de corrupção. Os hits embalam manifestações pelas ruas da cidade e já está na ponta da língua de quem vai às ruas cobrar direitos.

Nesta sexta-feira (7), enquanto o secretário da Casa Civil, Sérgio Sampaio, o da Saúde, Humberto Fonseca e a procuradora-geral do Distrito Federal, Paola Aires explicavam a situação fincaneira dos cofres do governo, o "Baile de Favela" foi tocado a toda altura. A poucos metros do Salão Nobre do Palácio do Buriti, o som alto chegou a atrapalhar a entrevista coletiva e chamou atenção de vários jornalistas, que trocaram as explicações do governo por espiadinhas na janela a fim de conferir a manifestação.

Veja no vídeo:

 

Na letra dedicada ao governador, as críticas recaem sobre a gestão de Rollemberg, mas não o citam nominalmente. Chamada "Baile do Incompetente", os versos trazem as letras L dobradas em referência ao chefe do Executivo. Como, por exemplo: "Na saúde, elle é incompetente; na Mobilidade, elle é incompetente; lá na Segurança, elle é incompetente".

Já na versão da música "Malandramente" que critica os distritais, o foco são os acusados pela Operação Drácon de desviar recursos destinados à Secretaria de Saúde. A letra cita principalmente os membros afastados da Mesa Diretora da Casa: Celina Leão (PPS), Julio Cesar (PRB), Bispo Renato (PR) e Raimundo Ribeiro (PPS).

Ouça as paródias:

 

 

 

Mais sobre o Distrito Federal

Mais sobre o Brasil nas ruas

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!