Manchetes dos jornais: Obama anuncia acordo que evita calote nos EUA

Parlamentares democratas e republicanos chegaram a um acordo sobre o tema

O GLOBO

 

EUA: Obama anuncia acordo que evita calote

Faltando 48 horas para o Congresso americano aumentar o teto da dívida pública do país e, assim, evitar um calote que parecia iminente, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou ontem à noite que parlamentares democratas e republicanos chegaram a um acordo sobre o tema. A reação dos mercados financeiros foi imediata: em Tóquio, a Bolsa abriu em alta de 1,3%, e o dólar se valorizou frente ao iene. As discussões se arrastavam há semanas. O acordo, porém, ainda precisa ser votado na Câmara e no Senado, o que deve ocorrer hoje. Obama não detalhou o que foi acordado, mas, segundo parlamentares, o texto a ser votado prevê que o teto da dívida, hoje em US$ 14,3 trilhões, seria elevado em US$ 2,4 trilhões a US$ 2,8 trilhões. Em contrapartida, haverá um corte no Orçamento de US$ 1 trilhão.

 

Oposição pede investigação na Agricultura

Com a avaliação de que outros partidos da base aliada do governo se tornarão alvo de denúncias em órgãos que comandam, a oposição cobrará a investigação de novos casos, como as irregularidades apontadas no Ministério da Agricultura, em especial na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O PPS quer que o Tribunal de Contas da União (TCU) investigue o caso. Com a volta dos trabalhos do Congresso, o PSDB e o DEM analisarão as novas denúncias.

Para o líder do PSDB na Câmara, deputado Duarte Nogueira (SP), os recentes problemas apontados em diferentes órgãos, que começaram com o Ministério dos Transportes, mostram "a leniência" que o ex-presidente Lula tinha com condutas irregulares de seus aliados.

Demitido da direção da Conab depois de autorizar - sem permissão e com verba que não poderia ser usada para esse fim - um pagamento para uma suposta empresa de fachada, Oscar Jucá Neto, irmão do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse à revista "Veja" que há um esquema de corrupção no órgão. As denúncias foram rebatidas com veemência pelo ministro da Agricultura, Wagner Rossi, que classificou a postura de Jucá Neto como retaliação por ter sido demitido.

 

Um atestado falso com aval de parlamentares

Quatro parlamentares de Santa Catarina assinaram atestado falso de funcionamento a uma entidade que firmou, em 2011, um convênio com o Ministério do Turismo no valor de R$4 milhões. Os senadores Casildo Maldaner (PMDB) e Paulo Bauer (PSDB) e os deputados Valdir Colatto e Edinho Bez, ambos do PMDB, declararam por escrito que o Instituto Cia do Turismo, uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), está em atividade desde 2003. Mas a ata registrada em cartório informa que a entidade surgiu em julho de 2008. Por lei, uma entidade só pode receber recursos públicos depois de três anos de existência.

Em 2009 e 2010, Edinho Bez também chancelou a regularidade da entidade. Nos últimos três anos, a Cia do Turismo recebeu outros R$7,9 milhões do ministério. A ONG nasceu a partir de uma nebulosa transação entre o advogado Nicolau Jorge Meira, ex-presidente da Santur, estatal do turismo catarinense, e o estudante Raphael Lobo Fonseca, ex-presidente do Comitê de Ideias e Ações, ONG encarregada de arrecadar recursos para a creche Tia Angelina, no Varjão, bairro pobre de Brasília. Logo depois de deixar o comando da Santur, em 2007, Meira se apropriou do CNPJ do Comitê de Ideias, que estava inativa desde 2002, e, com uma mudança de nome, de endereço e de estatuto, transformou a ONG voltada para caridade numa bem-sucedida empresa de consultoria em turismo.

 

Nova política industrial prevê alívio na folha

Desonerações devem ser por setores, e empresas de software, mesmo as que não exportam, podem ser beneficiadas. A nova política industrial, a ser anunciada amanhã, dará incentivos fiscais, como redução de IPI, atrelados a investimentos em pesquisa para segmentos como o automotivo.

 

Ministro diz a PT que não terá varredura

Para acalmar os ânimos do PT, que teme que a faxina anticorrupção respingue nas alianças em 2012, o ministro Gilberto Carvalho disse que não haverá uma "varredura geral".

 

Sem médico, hospital passa chave na porta

O Hospital municipal Rocha Maia, em Botafogo, fechou as portas ontem por falta de médicos. Quem procurou a emergência foi orientado a buscar outras unidades.

 

Tropas sírias matam 136 na véspera do Ramadã

Tropas do ditador da Síria, Bashar al-Assad, mataram 136 pessoas, a maioria na cidade de Hama, um dia antes do Ramadã, mês sagrado muçulmano. EUA e europeus prometeram intensificar ações contra o regime.

 

Aumenta invalidez por acidentes de trânsito

A violência no trânsito fez explodir os casos de invalidez por acidente. Nos primeiros seis meses do ano, foram 107.403 contra 151.588 de todo o ano de 2010, de acordo com as indenizações pagas pelo seguro DPVAT.

 

 

FOLHA DE S. PAULO

 

Obama anuncia acordo que evita calote nos EUA

O presidente Barack Obama anunciou acordo para cortar US$ 1 trilhão de gastos nos próximos dez anos e elevar o teto da dívida, evitando calote iminente.

O pacote, que precisa ser votado até amanhã, fica a quem de expectativas iniciais de corte de US$ 3 trilhões, mas põe fim a quase um mês de impasse. Uma nova rodada de ajustes será proposta em novembro.

 

Vinícius Mota: Supremacia do dólar não durará para sempre

O ano que vem marcara o 50º aniversário do episódio dos mísseis cubanos, que pôs em risco a estabilidade sustentada pela Guerra Fria.

A ameaça de calote americano é o que hoje questiona fundamentos da organização do mundo. Tal como ruiu a ordem bipolar, a supremacia do dólar não durará para sempre.

 

Forças leais ao ditador Assad massacram 140 na Síria

Num dos dias mais sangrentos desde o início da revolta contra o regime sírio, em março, ao menos 140 pessoas foram mortas neste domingo por forças leais ao ditador Bashar Assad.

O principal foco da repressão foi na cidade de Hama, onde tanques do Exército montaram cerco contra oposicionistas. EUA, Alemanha, Itália, França, Reino Unido e Turquia condenaram Damasco.

 

Entrevista - Irwin Jacobs: Para inventor, celular vai ser uma extensão do cérebro

Criador da maior empresa de chips para celulares, Irwin Jacobs diz em entrevista a Roberto Dias que essa tecnologia vai revolucionar a educação. Sobrevivente de forma rara de câncer, ele diz que não é possível afirmar que o celular é seguro para a saúde.

 

Gasto com reforma agrária é o mais baixo em dez anos

O investimento do governo na ampliação da reforma agrária é, neste primeiro ano da gestão de Dilma Rousseff, o menor desde 2001.

Até agora, foram usados R$ 60,3 milhões para desapropriar novas áreas e transformá-las em assentamentos de trabalhadores rurais sem-terra -uma queda de 80% em relação à cifra desembolsada no mesmo período do ano passado.

No auge do investimento em reforma agrária, em 2005, o governo Lula gastou R$ 815,2 milhões até julho.

Tanto em termos absolutos quanto em percentuais, esse é o valor mais baixo da era petista até julho.

Pelos mesmos critérios, o montante também é menor do que o registrado nos dois últimos anos do governo Fernando Henrique Cardoso.

 

Imprensa não pauta Dilma, diz Carvalho

Diante de novas suspeitas de irregularidades envolvendo as pastas da Agricultura e das Cidades, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, usou ontem um seminário do PT para transmitir recados da presidente Dilma Rousseff, e de seu antecessor, Lula, à base aliada.

A dirigentes e militantes,negou que a presidente tenha se tornado refém da imprensa e disse que ela não fará uma "varredura geral" baseada na mídia.

Interlocutor do ex-presidente Lula, Carvalho trabalha para evitar que demissões em áreas comandadas pelo PR, PMDB e o próprio PT azedem a relação com aliados. Em sete meses, dois ministros caíram e pelo menos outras 21 pessoas foram demitidas suspeitas de envolvimento em irregularidades.

 

Convênios de obras entre Exército e Dnit somam R$ 2,3 bi

O Exército brasileiro tem convênios para fazer obras públicas que somam R$ 2,3 bilhões com o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). Só em 2011, estão programados desembolsos de mais de R$ 41 milhões do cofre federal para quitar esses acordos.

A Folha revelou ontem que o comandante do Exército, general Enzo Martins Peri, e mais sete generais são alvo de investigação da Procuradoria-Geral de Justiça Militar, sob suspeita de participação em fraudes em obras executadas pelo Exército.

Eles comandaram o DEC (Departamento de Engenharia e Construção) da Força entre 2004 e 2009, quando houve as irregularidades.

O Dnit, órgão ligado ao Ministério dos Transportes, também é alvo de suspeitas desde o mês passado. Elas já resultaram na queda do ministro Alfredo Nascimento (PR-AM) e outros 21 funcionários ligados à pasta.

 

 

O ESTADO DE S. PAULO

 

Concessionárias públicas lideram queixas no Procon

s empresas de energia elétrica, de telefonia e de água e esgoto foram as que receberam o maior número de reclamações em 20 dos 24 Estados em que os Procons estão presentes. Concessionárias de serviços públicos superaram bancos e redes de varejo na liderança dos rankings de queixas dos consumidores. Um dos principais motivos apontados pelos especialistas para a piora do serviço público é o descompasso entre a demanda e os investimentos. "Os setores de telecomunicações e de energia foram privatizados porque o Estado não tinha condições de investir. Mas a setor privado não está fazendo o investimento necessário", afirma o professor Francisco Vignoli, do departamento de planejamento e análise econômica da Fundação Getúlio Vargas, de São Paulo.

 

BCs têm plano contra crise nos EUA

Bancos centrais das maiores economias se mobilizam para por em ação um plano de emergência, que inclui injetar recursos nos bancos comerciais, para tentar blindar os mercados e garantir que um eventual suspensão de pagamentos nos EUA não paralise o sistema financeiro internacional. Investidores, empresas e governos se preparam para uma segunda-feira turbulenta nas bolsas mundiais.

 

Governo e oposição disputam cadeira no TCU

A corrida pela vaga de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) começa oficialmente hoje, com o pedido de aposentadoria do ex-presidente do órgão Ubiratan Aguiar e a volta do Congresso ao trabalho. Uma preocupação a mais para o Planalto, que passou os últimos dois anos se queixando dos rigores da administração de Aguiar - ex-deputado tucano - e vê os partidos governistas divididos em uma dezena de candidaturas - o que abre espaço para uma nova investida da oposição no TCU.

Câmara e Senado se alternam na indicação de seis das nove vagas de ministro do TCU - as outras três são escolhidas pelo presidente da República - e agora é a vez de um deputado ganhar o posto. A novidade desta eleição é que, na esteira do escândalo de corrupção no Ministério dos Transportes, a União dos Auditores Federais de Controle Externo (Auditar), com o apoio de entidades civis como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e o Movimento Ficha Limpa, entrou na disputa.

Mais do que lançar a campanha Ministro Cidadão, o movimento apresentou a candidatura do auditor Rosendo Severo e agora trabalha para ganhar o apoio de um partido.

Estão na briga pela cadeira de Ubiratan três deputados peemedebistas - Átila Lins (AM), Osmar Serraglio (PR) e Fátima Pelaes (AP), além do líder do PTB, Jovair Arantes (GO) e de Ana Arraes (PSB-PE), Sérgio Carneiro (PT-BA), Damião Feliciano (PDT-PB), Milton Monti (PR-SP), José Rocha (PR-BA) e Sérgio Brito (PSC-BA).

 

Estudo vê Dilma de ''mãos amarradas''

Os números do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) mostram que, até o momento, a presidente Dilma Rousseff não conseguiu entregar o que vendeu na campanha: uma forte puxada nos investimentos. E, a julgar pelo momento político e econômico, não será possível transformar o quadro tão cedo.

É o que mostra análise elaborada pelo economista Felipe Salto e pelo cientista político Rafael Cortez, da consultoria Tendências. Com base em informações colhidas no Siga Brasil, o estudo revela que até o dia 27 de julho o governo pagou R$ 13,5 bilhões em despesas do PAC. Desses, R$ 11,3 bilhões, ou 83,7%, eram gastos contratados no governo Lula.

São dados diferentes dos apresentados no balanço oficial do PAC, mas que mostram a mesma situação. Pelos dados oficiais, foram desembolsados R$ 10,3 bilhões, dos quais R$ 8,1 bilhões, ou 78,6%, são restos a pagar de Lula. A diferença ocorre porque os dados do governo não consideram os gastos com o programa Minha Casa Minha Vida, que estão no estudo da Tendências.

 

Cabral aumenta gasto com publicidade

Em seu primeiro mandato, de 2007 a 2010, o governador Sérgio Cabral Filho (PMDB) gastou em publicidade 35% a mais que sua antecessora, Rosinha Garotinho (expulsa do mesmo partido), em valores reais, descontada a inflação pelo IGP-DI. Levantamento a partir de números do governo no Sistema Integrado de Administração Financeira de Estados e Municípios (Siafem) mostra que, sem a correção inflacionária, os dispêndios nominais com propaganda da Subsecretaria de Comunicação e Divulgação subiram 62,98% de uma gestão para a outra.

O governo admite aumento de 43%, mas se baseia em gastos empenhados, não nos efetivados, usados pelo Estado nos cálculos. Na campanha de 2006, Cabral prometeu moderação nos gastos com propaganda e anunciou que não usaria verbas para exaltar seu governo. "O dinheiro público gasto em comunicação deve ser voltado para campanhas educativas. No nosso governo, todos os recursos de publicidade serão usados em campanhas em relação às drogas, ao trânsito", afirmou, o então candidato, em setembro de 2006.

 

Sem festa, FAB recebe seu novo avião de vigia

Quase em segredo, sem festa ou solenidade, chegou sábado, na Base Aérea de Salvador, o primeiro avião de vigia oceânica P-3AM, da Força Aérea Brasileira (FAB), de um lote de nove unidades compradas usadas nos Estados Unidos. As aeronaves foram revitalizadas pela Airbus Military, em Getafe, na Espanha.

As células originais - as fuselagens e os motores - foram produzidas há 46 anos. A FAB pretende mantê-las em atividade até 2025.

O quadrimotor de médio porte vai ser integrado ao 1º/7º Grupo - Esquadrão Orungan. O valor do contrato, cobrindo 12 aviões, é estimado em US$ 500 milhões. Três unidades vão servir como reserva de componentes.

 

Síria massacra 80 civis e Brasil negocia missão

Na véspera do início do Ramadã, o mês sagrado do Islã, o regime de Bashar Assad lançou violenta onda de repressão, matando pelo menos 80 civis na cidade de Hama, segundo grupos locais de defesa dos direitos humanos. Brasil, Índia e África do Sul querem enviar, em até duas semanas, uma missão a Damasco para consultar o governo sobre a reforma prometida.

 

Lei quer reduzir consumo de álcool por menor

Projeto de lei do governador Geraldo Alckmin propõe responsabilizar o proprietário do bar caso algum adolescente consuma bebida alcóolica no local.

 

Poluição em casas e escritórios de São Paulo é até 392% pior

Com um aparelho do Laboratório de Poluição Atmosférica da Universidade de São Paulo (USP), o Estado visitou ambientes internos de dez pontos da capital e constatou a presença de partículas inaláveis em índices até 392% superiores ao recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Poeira fina formada em até 80% pela queima de combustíveis, esse material particulado é um dos principais poluentes da cidade, onde a frota de veículos já supera os 7 milhões.

 

As novas gigantes do agronegócio

Empresários estreantes criam grandes grupos de produção de grãos e avançam na prestação de serviços, invadindo o terreno dominado pelas tradings.

 

 

 

CORREIO BRAZILIENSE

 

Obama fecha acordo para evitar calote

A 27 horas do prazo-limite para o calote dos títulos públicos do país, o presidente norte-americano anunciou um acordo entre republicanos e democratas para elevar o nível do endividamento dos EUA, hoje em US$ 14,3 trilhões. O consenso precisa agora ser oficializado por votação. O preço, no entanto, foi alto: cortes de US$ 2,5 trilhões nos gastos do Tesouro (US$ 1 trilhão ao longo de 10 anos e o restante a negociar) e uma sangria na popularidade do presidente que o deixou mais fraco para a disputa eleitoral.

 

Os imigrantes invisíveis

Infiltrados no Brasil, máfia do leste europeu e outros grupos internacionais trazem ao país estrangeiros que aqui passam a viver sem serem notados. Ligados ao narcotráfico, permanecem até caírem nas mãos da Polícia Federal. É o caso da espanhola Maria de los Angeles, presa em Brasília.

 

Congresso: Governo deve enfrentar pressão

Crise política no Ministério dos Transportes estará no centro da pauta na reabertura dos trabalhos no Senado, o que, somado às negociações por emendas, pode resultar em dores de cabeça para o Executivo. No DF, distritais retornam discutindo temas polêmicos. Entre eles, o projeto de ordenamento territorial.

 

Síria massacra manifestantes

Tropas do governo mataram pelo menos 136 civis — 100 deles na cidade de Hama — que pediam mudanças no regime de Damasco. O ataque ocorreu na véspera do Ramadã, mês sagrado para os islâmicos.

 

 

VALOR ECONÔMICO

 

Só o projeto do trem-bala custa R$ 1 milhão por km

O governo vai investir R$ 540 milhões dos cofres públicos na elaboração do projeto executivo para a construção do trem-bala. Esse aporte, equivalente a R$ 1 milhão por quilômetro da ferrovia, será feito por meio da Etav, estatal vinculada ao Ministério dos Transportes, criada para ser o braço do governo no consórcio do trem de alta velocidade (TAV).

A elaboração desse estudo complexo, o qual vai demorar mais de um ano para ser concluído, tem a missão de detalhar tudo o que estiver direta e indiretamente relacionado à obra, evitando, assim, falhas de informação.

 

Brasília quer garantir liquidez

Com o impasse político nos EUA sobre a elevação do teto da dívida, o governo brasileiro já estuda recorrer a medidas de garantia de liquidez na economia, como fez durante a crise de 2008, quando ajudou bancos e empresas garantindo a expansão de crédito por meio de instituições públicas. As medidas seriam lançadas caso a crise política nos EUA leve a uma retração na economia mundial.

Ontem à noite, o presidente dos EUA, Barack Obama, e líderes do Congresso estavam no limiar de um amplo acordo para aumentar o teto de endividamento do governo e, ao mesmo tempo, cortar os gastos públicos em cerca de US$ 2,4 trilhões, mas o acordo ainda precisava do apoio de mais congressistas. Ainda não estava claro ontem à noite se o acordo discutido impediria que agências de risco rebaixassem a nota dos títulos de dívida do Tesouro dos EUA.

 

Assembleia de Deus seria um partido com 73% de sucesso

A Assembleia de Deus, denominação religiosa que completa cem anos de presença no Brasil, tem a maior taxa de sucesso eleitoral do país. Nas últimas eleições, a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil lançou 30 pastores e lideranças da igreja a uma vaga na Câmara dos Deputados. Foram eleitos 22 deles, um percentual de 73,3% de sucesso. Não há partido político no Brasil com tamanho êxito: o PT, maior bancada da Câmara, lançou 334 candidatos a deputado federal em todo o país e elegeu 88 (26,3%). Dos 73 deputados que compõem a bancada evangélica, os adeptos da Assembleia de Deus são um terço.

Quase toda sua bancada - 20 parlamentares - está na base de apoio da presidente Dilma Rousseff. O PSC é o partido mais bem representado, seguido pelo PR. Rondônia é o Estado que abriga mais parlamentares ligados à Assembleia de Deus, em termos absolutos e proporcionais.

 

Caixa capta no exterior

A Caixa Econômica Federal começou a buscar recursos no exterior e está revendo sua estratégia de captação. A ideia é ampliar os acordes com bancos estrangeiros para reforçar o "funding".

 

Crime contra o sistema financeiro

Até o fim do ano, um grupo de advogados criminalistas, ministros de tribunais superiores, juízes e policiais federais, liderado por Márcio Thomaz Bastos, deve concluir anteprojeto para alterar a lei de crimes contra o sistema financeiro.

 

União da Dasa e MD1

O parecer da Procuradoria Geral do Cade inicialmente contrário à união entre MDl e Dasa pode trazer alguma pressão às ações da companhia. Mas analistas acreditam que a operação não deverá ser suspensa.

 

 

Economia europeia volta a desacelerar

A economia europeia está novamente desacelerando, agora também nas economias mais importantes. A Alemanha sofre com a queda das exportações e há claros sinais de que a demanda global está diminuindo. Grandes companhias europeias alertam que suas perspectivas de negócios pioraram, num cenário de temores sobre o impacto da crise da dívida soberana e redução do comércio global. Seus resultados no segundo trimestre dão a mesma mensagem - deterioração na demanda, preços de matérias-primas em forte alta e cortes de custos superando agora os planos de expansão. Diante de um cenário pouco alentador, os bancos da zona do euro endureceram padrões de concessão de crédito. A expectativa é de que o crédito ficará ainda mais limitado nos próximos meses.

Força para oposicionistas

O prefeito de Buenos Aires, Mauricio Macri reelegeu-se ontem no segundo turno da eleição por larga margem, segundo pesquisas de boca de urna. Empresário, Macri deverá se consolidar como o principal nome da fragmentada oposição à presidente Cristina Kirchner.

 

As estratégias do quase 'rei' dos genéricos

Mais temido do que elogiado, ele não gosta de holofotes e tem estilo discreto, mas adota estratégia barulhenta quando se trata de colocar no mercado os medicamentos que fabrica. No ano passado, pôs nas ruas um exército para distribuir as primeiras cópias genéricas do Viagra, cuja patente, da Pfizer, expirou. As vendas explodiram. Esse é Carlos Sanchez, 49 anos, presidente do conselho de administração da EMS, a maior farmacêutica nacional.

O pai de Sanches, Emiliano, abriu uma farmácia em Santo André, nos anos 50, e fundou a EMS em 1964, mas o laboratório só ganhou projeção nos anos 90, com a lei dos genéricos. Hoje, com faturamento de R$ 3,37 bilhões, a empresa é cobiçada por multinacionais.

 

Recrutadores avaliam dotes culinários e rapidez no SMS

Para ser aprovado na etapa final do programa de jovens líderes da empresa de tecnologia da informação Bematech, Marcel Verdrossi teve que incorporar um "chef" e cozinhar para executivos da companhia. Os objetivos eram avaliar sua performance quanto ao trabalho em equipe, gestão de tempo e de recursos.

Na busca por talentos, as companhias estão diversificando seus processos de seleção e as características comportamentais estão sendo tão valorizadas quanto o conhecimento técnico. A construtora e incorporadora Plano & Plano, por exemplo, incluiu uma etapa inovadora durante o recrutamento para a área de marketing. Procurando por candidatos criativos e afinados com tecnologia, a empresa fez uma entrevista com os finalistas por SMS.

 

Emergentes em vez dos EUA

O impasse sobre a elevação do teto do endividamento dos EUA levou os investidores a saírem das carteiras de curto prazo americanas em busca dos fundos de renda fixa, em especial de emergentes, segundo a consultoria EPFR Global.

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!