Lupi nega ter dito não conhecer dirigente de ONG

Em depoimento no Senado, ministro do Trabalho afirma que sua resposta na Câmara foi descontextualizada: “Nunca neguei que o conheço [Adair]. Eu disse que não tinha relação [com ele], o que é diferente”

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, negou hoje (17) aos senadores ter mentido em depoimento aos deputados na semana passada. Lupi disse que sua resposta foi descontextualizada e que jamais negou conhecer o empresário Adair Meira, dono de ONGs conveniadas com o ministério e que, segundo Veja, "providenciou" um avião no qual o ministro viajou. “Nunca neguei que o conheço [Adair]. Eu disse que não tinha relação [com ele], o que é diferente”, disse. O voo teria sido, de acordo com Lupi, a primeira vez em que ele teve contato com o empresário, e por isso não registrou o seu nome.

O ministro afirmou também que “não é crime conhecer as pessoas” e que tem a “melhor referência” sobre as instituições dirigidas por Adair. Lupi reclamou de uma “tentativa de linchamento” contra ele e de um “processo de ataques que não se sustenta”. “Eu não pedi aeronave, não tenho obrigação de saber. Então eu quero saber do que estou sendo acusado”, afirmou em audiência no Senado.

Lupi transferiu a responsabilidade pela explicação sobre o avião que foi usado em viagem ao Maranhão em 2009 ao então secretário de Políticas Públicas de Emprego, Ezequiel Sousa do Nascimento. Imagens divulgadas pela revista Veja e pelo site Grajaú de Fato mostram o ministro, Adair e Ezequiel, entre outras pessoas, desembarcando na cidade natal do então secretário de Políticas Públicas de Emprego.

O ministro justificou que, a convite de Ezequiel, pegou uma “carona” no avião pelo fato de ser mais rápido do que a viagem por terra. Para ele, sua falha foi não ter checado direito a situação do voo. “A memória às vezes falha, eu sou humano. Quantos ministros, deputados, senadores podem ter usado carro, avião em atividades rotineiras de quem não conhece? Meu erro foi não checar com a apuração que devia. Isso foi o que aconteceu”, disse na audiência.

No meio da manhã, o ministro chegou ao Senado afirmando que não tinha nada a provar aos senadores que o convidaram a vir prestar esclarecimentos sobre as recentes denúncias que envolvem seu nome e sua pasta. Autor do convite a Lupi, o líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), atacou duramente o ministro do Trabalho por causa de suas respostas.

“Vossa Excelência está subestimando a inteligência dos brasileiros. Ouvimos o senhor dizer taxativamente que não viajou naquele avião. E vossa excelência confirma agora que viajou. Não importa se tem relação com o senhor Adair. O fato concreto é que Vossa Excelência mentiu ao afirmar que não viajou naquele avião. Não importa saber quem pagou ou não. Configura o crime de responsabilidade. A permanência da Vossa Excelência diante desse fato compromete o governo e a presidente Dilma. Se a presidente pede para a vossa excelência permanecer, ela é cúmplice desses fatos", disparou o tucano.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!