Lula vê ‘vandalismo’ em ação do MST em SP

Edson Sardinha
O presidente Lula chamou hoje (9) de “cena de vandalismo” a ação de integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) que destruíram cerca de 7 mil pés de laranjas em Borebi (SP). Lula disse que a atuação do MST, nesse caso, não lembra em nada a história do movimento nas lutas sociais.

“Todo mundo sabe que sou defensor das lutas sociais neste país e que sou defensor que o povo se manifeste pelo Brasil inteiro. Agora, é diferente uma manifestação reivindicando alguma coisa e aquela cena de vandalismo feita na televisão”, declarou o presidente, em entrevista coletiva no Itamaraty.

De acordo com o presidente, a estratégia dos sem-terra de destruir, na última segunda-feira (5), o laranjal de uma das maiores produtoras do produto no país foi equivocada. “Não tem explicação para a sociedade você derrubar tantos pés de laranja apenas para demonstrar que você está reivindicando. Você podia demonstrar sem precisar destruir máquinas nem pés de laranja”, disse.

Lula também defendeu punição para os infratores. “Acho que todo mundo no Brasil já aprendeu que este país tem lei e tem Constituição. Quem estiver dentro da lei pode fazer qualquer coisa. Quem não estiver, pagará o preço”, afirmou o presidente.

Em nota divulgada no início da semana, o MST disse que deflagrou a ação para denunciar que as terras da fazenda Santo Henrique estariam sendo usadas irregularmente.

"A ocupação tem como objetivo denunciar que a empresa está sediada em terras do governo federal, ou seja, são terras da União utilizadas de forma irregular pela produtora de sucos. Além disso, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) já teria se manifestado em relação ao conhecimento de que as terras são realmente da União", diz trecho da nota (leia mais).

Leia ainda:

Senadores pró-MST criticam destruição de laranjal 

Senadores condenam ação do MST em fazenda produtiva 
Continuar lendo