Lula presta depoimento e nega tráfico de influência

O ex-presidente prestou esclarecimentos sobre viagens e palestras no exterior e negou ter interferido em contratos celebrados entre o BNDES e empresas privadas

O ex-presidente Lula prestou depoimento em Brasília, nesta quinta-feira (15), no inquérito aberto pelo Ministério Público do Distrito Federal para investigar suposto tráfico de influência no Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) em favor de empreiteiras no exterior. De acordo com nota divulgada pelo Instituto Lula, o depoimento foi voluntário, agendado pelo advogado de Lula e durou cerca de duas horas e meia.

O ex-presidente foi questionado pelo procurador Ivan Cláudio Marx sobre suas palestras e viagens realizadas ao exterior. O objetivo era investigar se Lula poderia ser responsabilizado por tráfico de influência internacional junto a agentes políticos estrangeiros, em ação que teria beneficiado a empresa Odebrecht em financiamentos do BNDES para obras no exterior.

Lula negou ter interferido em contratos celebrados pelo banco e organizações privadas. Argumentou também que a defesa de empresas nacionais em outros países é uma prática comum entre ex-presidentes e que, para ele, isso é motivo de orgulho. Segundo a nota do Instituto, Lula disse ainda que “todas as suas palestras feitas estão declaradas e contabilizadas, com os devidos impostos pagos, e que jamais interferiu na autonomia do BNDES e nas decisões do banco sobre concessões de empréstimos”. Para o ex-presidente, “quem desconfia do BNDES não tem noção da seriedade da instituição”, diz a nota.

O ex-presidente também deverá ser ouvido nas investigações da Operação Lava Jato, desta vez na condição de informante, e não como investigado.

Veja a matéria na íntegra em O Globo

Mais sobre Operação Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!