“Lula é ficha limpa”, defende líder do PT na Câmara

Após depoimento de Marcos Valério vir à tona, parlamentares governistas saíram em defesa do ex-presidente. Oposição quer convidar o empresário para prestar esclarecimentos sobre as denúncias que fez ao MP

Rodolfo Stuckert/Agência Câmara
O líder do PT na Câmara, Jilmar Tatto (SP), rejeitou nesta terça-feira (11) a possibilidade de o ex-presidente Lula ser investigado por seu suposto envolvimento no mensalão. Em depoimento dado ao Ministério Público em setembro, o empresário Marcos Valério, condenado a 40 anos de prisão pelo Supremo Tribunal Federal (STF), implicou Lula no caso. "Lula tem uma ficha limpa, é conhecido por todo o povo brasileiro e tem tido uma vida íntegra. Por isso não tem porque ser investigado", disse.

Mensalão: entenda o que está em julgamento
Quem são os réus, as acusações e suas defesas
Tudo sobre o mensalão

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, Valério relatou ao Ministério Público em setembro que Lula se beneficiou do "valerioduto" ao ter suas despesas pagas com o dinheiro do esquema. No depoimento, o empresário disse que o ex-presidente concordou os empréstimos utilizados para pagar parlamentares. Conta, ainda, ter recebido ameaças de morte e que seu advogado é pago pelo PT.

Denúncias são “mentiras envelhecidas”, diz PT

"Marcos Valério é uma pessoa desqualificada que foi processada e condenada. Esse depoimento visa única e exclusivamente desconstruir o governo Lula, que foi um governo bem avaliado pela população", disse. O petista aumentou o tom contra oposicionistas, que querem convidar Valério e Lula para prestar esclarecimentos no Congresso.

"Legado"

Oposicionistas também vão pedir que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, inicie uma nova investigação sobre as denúncias de Valério. De acordo com o PGR, como Lula não tem mais prerrogativa de foro, a análise do caso fica para um procurador da República na primeira instância. "Os partidos de oposição assinaram e vamos pedir que o procurador-geral da República investigue esses fatos", informou o líder do PSDB na Câmara, Bruno Araújo.

Ao perceber os movimentos da oposição no Congresso, os petistas passaram a se articular para evitar constragimentos ao ex-presidente. Além de barrar os convites em comissões permanentes da Câmara e do Senado, pretendem defender os oito anos de governo Lula. "Nós da bancada do PT vamos fazer a defesa do seu governo porque nos orgulhamos dele e, ao mesmo tempo, vamos denunciar qualquer tipo de manipulação no sentido de colocar o presidente Lula em um processo do qual ele nunca participou", retrucou Tatto.

"Lamentável"

Em Paris, o ex-presidente limitou-se a rejeitar o depoimento de Valério ao Ministério Público. "Isso é mentira", disse Lula ao sair do seminário organizado por seu instituto e a Fondation Jean-Jaurès, ligada ao Partido Socialista francês. A presidenta Dilma Rousseff, em viagem oficial à França, disse repudir "todas as tentativas" de tentar destituir Lula "da imensa carga de respeito que o povo brasileiro lhe tem". "Essa é uma questão que eu devo responder no Brasil, mas eu não poderia deixar de assinalar que acho lamentável essas tentativas de desgastar a imagem do ex-presidente Lula. Eu acho lamentável". disparou.

Humberto Costa: denúncia de Marcos Valério é “requentada”
Câmara e STF estão a um voto de crise institucional

Saiba mais sobre o Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!