Estamos mudando o site. Participe enviando seus comentários por aqui.

Lobão Filho volta a ser o mais ausente do Senado

Levantamento exclusivo do Congresso em Foco mostra que primeiro-suplente do pai, Edison Lobão, e os senadores Mário Couto e Jader Barbalho foram os campeões de falta em votações entre 2011 e 2014. Trio tem histórico de baixa assiduidade em dias de decisão em plenário. Veja a lista completa

No início de 2012, este site publicou levantamento exclusivo, com base nos registros de assiduidade do Senado e da Câmara, mostrando que o então senador Lobão Filho (PMDB-MA) e sua mãe – Nice Lobão (PSD-MA), que também exercia mandato àquela época, mas na Câmara – haviam sido os campeões de ausência, no ano anterior, das sessões plenárias deliberativas, quando são decididas grandes questões nacionais. Quatro anos se passaram, Nice deixou a Câmara e a liderança da lista de faltosos, mas Lobão Filho continua na ponta: ele foi o mais ausente da legislatura passada (2011-2014), quando deixou de comparecer a 164 das 400 sessões a que deveria ter ido no período em que exerceu mandato.

Primeiro-suplente do pai, o ex-ministro de Minas e Energia Edison Lobão, que retomou o mandato em novembro de 2014, Lobão Filho justificou 111 faltas e deixou sem justificativa outras 53 (veja a tabela de assiduidade completa abaixo).

Mário Couto (PSDB-PA), que não conseguiu se reeleger, foi o segundo colocado entre os mais ausentes da legislatura passada. Crítico contumaz das gestões petistas, o tucano esteve ausente do plenário em 151 ocasiões, quando deveria estar registrando sua posição a respeito de proposições diversas. Uma das exceções foi o dia 6 de abril de 2012, quando não só Mário Couto quanto seu colega de lista Lobão Filho juntaram-se a outros 42 senadores para fazer loas de solidariedade em plenário ao ex-senador Demóstenes Torres (DEM-GO), que enfrentava acusação de envolvimento com um grupo criminoso em Goiás. Dali a três meses, Demóstenes entraria para a história como o segundo senador cassado pelos próprios pares que tanto o elogiaram na sessão de elogios. O paraense justificou 145 faltas, e deixou outras seis injustificadas.

Em terceiro lugar entre os mais faltosos da legislatura passada está outro recorrente líder de levantamentos de assiduidade exclusivos deste site: Jader Barbalho (PMDB-PA), cuja atuação nos bastidores da Câmara, na legislatura retrasada, rendeu-lhe um lugar no "Valle de los caídos" – alcunha dada aos assentos do canto do plenário daquela Casa onde uma espécie de penumbra acolhe quem não quer compartilhar da movimentação das primeiras fileiras. Como o Congresso em Foco mostrou em março do ano passado, o peemedebista foi bicampeão de ausências, pelo segundo ano consecutivo, ao deixar de comparecer a 40% das sessões de votação de que deveria ter participado em plenário. Nesta legislatura, o senador deixou de ir ao 137 dos 325 compromissos definidos em sua agenda de votações. Ele justificou 116 ausências, e deixou outras 21 sem explicação.

Entre os 81 senadores, 13 registraram mais de 100 faltas entre 2011 e 2014, entre 450 sessões deliberativas realizadas no período. Ciro Nogueira (PP-PI) se aproximou desse percentual de faltas, com 99 ausências de plenário. Na outra ponta da tabela, nos registros dos mais assíduos, figura o líder do governo no Congresso, José Pimentel (PT-CE), que foi a 447 das 450 sessões formalizadas (apenas três faltas, duas das quais não justificadas).

Segundo revelação da Revista Congresso em Foco, o Senado mantém um relatório secreto com o quadro de comparecimento de cada parlamentar, mas restringe seu acesso ao próprio congressista. Uma prática que até esta legislatura era bem diferente do que era feito na Câmara, que permitia ao eleitor acompanhar a frequência de seus representantes dia a dia. Atualmente, os registros oficiais da Câmara passaram a ser obtidos com base na Lei de Acesso à Informação. Por determinação do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que atendeu a demanda dos próprios colegas, os registros de presença antes veiculados no portal institucional agora só são fornecidos por meio da legislação de transparência.

Veja a relação completa das faltas e presenças dos senadores entre fevereiro de 2011 e dezembro de 2014, por ordem decrescente de ausências:

SENADORES SESSÕES PRESENÇAS FALTAS JUSTIFICADAS FALTAS INJUSTIFICADAS AUSÊNCIAS TOTAIS
Lobão Filho (PMDB-MA) 400 236 111 53 164
Mário Couto (PSDB-PA) 410 259 145 6 151
Jader Barbalho (PMDB-PA) 325 188 116 21 137
Fernando Collor (PTB-AL) 424 303 108 13 121
Sérgio Petecão (PSD-AC) 424 309 93 22 115
Francisco Dornelles (PP-RJ) 433 320 98 15 113
Cícero Lucena (PSDB-PB) 425 312 99 14 113
Epitácio Cafeteira (PTB-MA) 440 327 112 1 113
Kátia Abreu (PMDB-TO) 397 285 99 13 112
Garibaldi Alves (PMDB-RN) 180 72 106 2 108
Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) 406 299 86 21 107
Cristovam Buarque (PDT-DF) 422 317 101 4 105
Zezé Perrella (PDT-MG) 361 259 91 11 102
Ciro Nogueira (PP-PI) 427 328 88 11 99
Magno Malta (PR-ES) 443 348 60 35 95
Ricardo Ferraço (PMDB-ES) 432 337 70 25 95
Luiz Henrique (PMDB-SC) 442 347 77 18 95
João Durval (PDT-BA) 417 322 91 4 95
Roberto Requião (PMDB-PR) 438 344 71 23 94
Jorge Viana (PT-AC) 441 342 74 19 93
Maria do Carmo Alves (DEM-SE) 434 348 77 9 86
Humberto Costa (PT-PE) 438 356 56 26 82
Benedito de Lira (PP-AL) 438 356 66 16 82
Armando Monteiro (PTB-PE) 414 333 73 8 81
José Sarney (PMDB-AP) 449 369 52 28 80
Clóvis Fecury (DEM-MA) 220 141 50 29 79
Clésio Andrade (PMDB-MG) 413 335 61 17 78
Paulo Bauer (PSDB-SC) 435 358 64 13 77
João Vicente Claudino (PTB-PI) 433 356 69 8 77
Aécio Neves (PSDB-MG) 433 357 61 15 76
Delcídio do Amaral (PT-MS) 441 367 72 2 74
Valdir Raupp (PMDB-RO) 408 335 48 25 73
Lídice da Mata (PSB-BA) 435 362 61 12 73
Jayme Campos (DEM-MT) 387 314 68 5 73
Renan Calheiros (PMDB-AL) 430 358 47 25 72
Blairo Maggi (PR-MT) 372 302 54 16 70
Acir Gurgacz (PDT-RO) 401 333 48 20 68
João Capiberibe (PSB-AP) 448 381 60 7 67
Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) 442 376 55 11 66
Eduardo Amorim (PSC-SE) 372 306 62 4 66
José Agripino (DEM-RN) 436 371 48 17 65
Eduardo Braga (PMDB-AM) 424 360 48 16 64
Paulo Davim (PV-RN) 434 370 48 16 64
Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) 352 290 46 16 62
Vital do Rêgo (PMDB-PA) 441 382 36 23 59
Wellington Dias (PT-PI) 440 383 41 16 57
Pedro Simon (PMDB-RS) 441 384 50 7 57
Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) 441 385 35 21 56
Antonio Russo (PR-MS) 197 141 50 6 56
Ivo Cassol (PP-RO) 390 335 30 25 55
Inácio Arruda (PCdoB-CE) 444 389 53 2 55
Marcelo Crivella (PRB-RJ) 176 123 49 4 53
Marinor Brito (Psol-PA) 98 48 28 22 50
Gim Argello (PTB-DF) 440 394 18 28 46
Casildo Maldaner (PMDB-SC) 437 393 36 8 44
João Alberto Souza (PMDB-MA) 303 259 36 8 44
Lúcia Vânia (PSDB-GO) 443 400 35 8 43
Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) 445 404 28 13 41
João Ribeiro (PR-TO) 201 161 33 7 40
Eduardo Lopes (PRB-RJ) 258 218 39 1 40
Angela Portela (PT-RR) 442 403 35 4 39
Ana Rita (PT-ES) 443 405 26 12 38
Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) 448 410 26 12 38
Ana Amélia (PP-RS) 444 407 26 11 37
Anibal Diniz (PT-AC) 445 409 28 8 36
Sérgio Souza (PMDB-PR) 322 287 19 16 35
Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) 445 410 21 14 35
Romero Jucá (PMDB-RR) 448 415 16 17 33
Eduardo Suplicy (PT-SP) 443 410 17 16 33
Cyro Miranda (PSDB-GO) 444 411 26 7 33
Vicentinho Alves (SDD-TO) 391 359 13 19 32
Ataídes Oliveira (PSDB-TO) 187 155 27 5 32
Marta Suplicy (PT-SP) 221 190 28 3 31
Itamar Franco (PPS-MG) 31 0 31 0 31
Wilder Morais (DEM-GO) 235 206 26 3 29
Walter Pinheiro (PT-BA) 444 416 13 15 28
Flexa Ribeiro (PSDB-PA) 446 420 11 14 26
Alvaro Dias (PSDB-PR) 435 412 3 20 23
Lindbergh Farias (PT-RJ) 450 429 5 16 21
Waldemir Moka (PMDB-MS) 448 427 14 7 21
Antonio Carlos Rodrigues (PR-SP) 212 192 19 1 20
Pedro Taques (PDT-MT) 448 429 16 3 19
Gilvam Borges (PMDB-AP) 43 24 19 0 19
Paulo Paim (PT-RS) 448 429 19 0 19
Eunício Oliveira (PMDB-CE) 451 433 16 2 18
Alfredo Nascimento (PR-AM) 387 371 11 5 16
Randolfe Rodrigues (Psol-AP) 447 432 9 6 15
Demóstenes Torres (DEM-GO) 199 186 3 10 14
Ivonete Dantas (PMDB-RN) 95 81 12 2 14
Geovani Borges (PMDB-AP) 98 85 0 13 13
Marisa Serrano (PSDB-MS) 42 29 12 1 13
Gleisi Hoffmann (PT-PR) 116 104 10 2 12
Sodré Santoro (PTB-RR) 32 24 4 4 8
João Costa (PPL-TO) 55 48 1 6 7
Cidinho Santos (PR-MT) 72 65 7 0 7
João Pedro (PT-AM) 57 51 4 2 6
Osvaldo Sobrinho (PTB-MT) 41 35 6 0 6
Assis Gurgacz (PDT-RO) 40 36 2 2 4
Kaká Andrade (PDT-SE) 15 11 4 0 4
Marco Antonio Costa (PSD-TO) 25 21 4 0 4
Wilson Matos (PSDB-PR) 16 13 0 3 3
José Pimentel (PT-CE) 450 447 1 2 3
Reditário Cassol (PP-RO) 43 40 1 2 3
Tomás Correia (PMDB-RO) 33 30 2 1 3
Ruben Figueiró (PSDB-MS) 199 196 3 0 3
Antonio Aureliano (PSDB-MG) 24 22 2 0 2
Douglas Cintra (PTB-PE) 12 10 2 0 2
Lauro Antônio (PR-SE) 156 155 0 1 1
Odacir Soares (PP-RO) 12 11 0 1 1
José Eduardo Fleury (DEM-GO) 12 12 0 0 0
Totais 4487 1179 5668

Fonte: Revista Congresso em Foco com base nos registros oficiais do Senado

Senadores faltam a um dos quatro anos da legislatura

Veja o levantamento e a reportagem completa na Revista Congresso em Foco

Se você não é assinante do UOL ou da revista, entre aqui e faça a sua assinatura agora

Mais sobre assiduidade parlamentar

Continuar lendo