Líderes da Coreia do Norte usaram passaportes brasileiros para pedir vistos para o Ocidente, diz Reuters

 

A Agência de notícias Reuters revelou, em reportagem publicada nesta terça-feira (27), que o polêmico líder norte-coreano Kim Jong Un e seu falecido pai, Kim Jong Il, usaram passaportes brasileiros obtidos de maneira fraudulenta para obter vistos para países do Ocidente na década de 1990. Segundo fontes de segurança europeias, os passaportes podem ter sido usados em viagens para o Brasil, Japão e Hong Kong.

“Eles usaram esses passaportes brasileiros, que mostram claramente as fotografias de Kim Jong Un e Kim Jong Il, para tentar conseguir vistos de embaixadas estrangeiras”, disse uma das fontes à agência. “Isso mostra o desejo deles de viajar e aponta para as tentativas da família de construir uma possível rota de fuga”, acrescentou.

As imagens dos documentos emitidos em 1996, obtidas pela agência, mostram uma antiga fotografia de Kim Jong Un, mas com o nome de Josef Pwag. O local de nascimento é São Paulo, no dia 1º de fevereiro de 1983. Já o passaporte de Kim Jong Il foi emitido em nome de Ijong Tchoi, nascido em 4 de abril de 1940, também em São Paulo. Ambos os documentos foram emitidos pela embaixada do Brasil em Praga, na República Tcheca.

Uma fonte brasileira, sob condição de anonimato, afirmou à Reuters que os dois passaportes eram legítimos, apenas os dados contidos neles eram falsos. Ainda não se sabe como os dois norte-coreanos conseguiram os documentos.

Procurada, a embaixada da Coreia do Norte no Brasil se negou a comentar o assunto. Já o Ministério de Relações Exteriores brasileiro afirmou à Agência Reuters que está investigando o caso.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!