Liderança do governo na Câmara terá duplo comando

Governo cria cargo de líder da maioria e nomeia o deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES) para o posto. Ele vai dividir a função com o novo líder Aguinaldo Ribeiro, do PP

 

O presidente Michel Temer optou por ter duplo comando na liderança do governo na Câmara. O deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES) foi escolhido nesta sexta-feira (24) como líder de uma maioria governista composta por 19 partidos. O parlamentar capixaba vai dividir o comando dos aliados do Palácio do Planalto com o novo líder do governo na Câmara, Agnaldo Ribeiro (PP-PB), que substituiu André Moura (PSC-SE).

A opção pelo duplo comando na coordenação política dos interesses do governo na Câmara atende várias demandas políticas: agrada os deputados do partido do presidente Temer, o PMDB, que formam a maior bancada na casa, com 65 parlamentares; amplia o espaço de poder do partido que reclama da baixa participação em áreas estratégicas, com orçamento gordo ou com poder para liberar emendas; e mantém aliados de outros partidos aliados, como o PP de Agnaldo Ribeiro, em postos importantes.

A manutenção de Moura, como chegou a ser cogitada, desagradaria Rodrigo Maia, mas acalmaria o grupo conhecido como Centrão, formado há pouco mais de dois anos em apoio à eleição do ex-deputado Eduardo Cunha à presidência da Casa e composto por quase 200 parlamentares. Este grupo estava reclamando e até ameaçando Temer se perdesse poder. Agnaldo Ribeiro faz parte da ala mais governista do Centrão Do grupo também faz parte o PTB, cujo líder Jovair Arantes (GO) foi derrotado por Maia na eleição para a presidência da Câmara e ficou magoado com a participação de ministros próximos a Temer na campanha.

O governo espera que o duplo comando na liderança da base sua base aliada na Câmara ajude a aprovar as emendas que reformam a Previdência, as leis trabalhistas e os tributos. Todas as pautas são polêmicas e precisam de um quórum elevado para serem aprovadas, primeiro nas comissões especiais, depois nos colegiados permanentes e por fim em plenário. Em nota, Lelo disse que, junto com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia e a mesa Diretora da Casa, aprovar as três reformas já em discussão.

“Temas complexos e desafiadores, mas necessários para o Brasil. Meu papel será contribuir com as mudanças importantes que o país precisa neste momento. Estarei na linha de frente na discussão e conciliação do processo legislativo”, disse o novo líder. Lelo compõe a comissão especial criada na Câmara para tratar da reforma da Previdência. O deputado foi vice governador do Espírito Santo na primeira gestão Paulo Hartung (2003/2006), tem 62 anos e é médico sanitarista.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!