Líder do PT critica Serra e Aécio por inaugurarem obras

Mário Coelho


O líder do PT na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (SP), criticou nesta sexta-feira (23) ações dos governadores do PSDB José Serra (São Paulo) e Aécio Neves (PSDB) que ele julga serem típicas de campanha eleitoral. Os comentários são em resposta à representação da oposição acusando a pré-candidata à Presidência do PT, a ministra Dilma Rousseff, de fazer propaganda política ao inspecionar obras da transposição do Rio São Francisco ao lado do presidente Lula.


Lula critica TCU e defende viagens para fiscalizar obras

"Propaganda antecipada é governador inaugurar obra em outro estado", disparou Vaccarezza, em entrevista ao Congresso em Foco. Os tucanos Serra e Aécio disputam a indicação do partido para concorrer à presidência da República.  


O líder petista e fiel escudeiro da ministra Dilma ainda atacou as verbas publicitárias usadas pelos adversários em estados diferentes. "Empresa de água pagar publicidade em outro estado também é propaganda antecipada", disse. Vaccarezza se referiu ao caso da Águas Minerais de Minas S/A (Copasa), que pagou publicidade em veículos de comunicação de outros estados, além de Minas Gerais.

O líder petista descarta qualquer uso eleitoral da inspeção de obras no Velho Chico. O nome de Dilma é menos conhecido nacionalmente que seus adversários. Nas últimas semanas, a agenda da ministra da Casa Cvil foi intensificada.


Dilma tem viajado o país vistoriando e inaugurando obras junto com o presidente Lula. Para Vaccarezza, é o dever dela inspecionar as obras e participar as inaugurações. "Não acho que precisa intensificar mais, a agenda tá de bom tamanho", disse.


Sete partidos

O deputado faz boa avaliação da situação de Dilma em face das outras pré-candidaturas. Segundo Vaccarezza, a ministra leva vantagem dos adversários na base de apoio, na administração e nos projetos de governo. Para ele, a candidatura de Dilma está no rumo certo e, neste momento, não é preciso fazer ajustes.


"[A candidatura] está muito bem. A Dilma tem a maior base de apoio", disse o deputado, referindo-se aos apoio definido de sete partidos - PT, PMDB, PCdoB, PDT, PRB, PR, PP. Além desses, existe também a possibilidade de o PSB entrar na aliança. Os socialistas na Câmara defendem a candidatura de Ciro Gomes (PSB-CE) à presidência. Mas a cúpula nacional do partido não tomou se ele vai disputar o governo de São Paulo ou o Palácio do Planalto.


Não é somente a base que, na visão do líder do PT, Dilma leva vantagem. Para Vaccarezza, a ministra também leva vantagem na forma de administrar - apesar de Dilma não ter expeirência em cargos eletivos - e nos projetos para governar o país a partir de 2011.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!