Líder do DEM defende instalação da CPI do Cachoeira

Em discurso no plenário da Câmara, ACM Neto (BA) disse que o partido quer que "tudo seja apurado" nas relações do bicheiro com o Congresso. Até hoje (3) pela manhã, Demóstenes era do mesmo partido do deputado

O líder do DEM na Câmara, ACM Neto (BA), defendeu nesta terça-feira (3) a "imediata instalação" da CPI do Cachoeira. A intenção da comissão é investigar as relações do bicheiro Carlinhos Cachoeira com parlamentares. Protocolada em 20 de março pelo deputado Delegado Protógenes (PCdoB-SP), a CPI não foi criada, dependendo de um despacho do presidente da Casa, Marco Maia (PT-RS).

Leia outros destaques do Congresso em Foco

"O Democratas defende a imediata instalação da CPI que procura investigar a Operação Monte Carlo", afirmou ACM Neto. O Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO) denunciou Cachoeira e outras 80 pessoas à Justiça Federal. Elas são acusadas de participar da organização criminosa que explorava a jogatina em Goiás há mais de dez anos, sendo 79 membros efetivos do grupo criminoso.

Reportagens em diversos veículos de imprensa, como as revistas Época e Carta Capital, e os jornais O Globo e Folha de S. Paulo, apontam o envolvimento de parlamentares com Cachoeira. Na Câmara, são colocados em suspeita Sandes Junior (PP-GO), Carlos Alberto Leréia (PSDB-GO), Rubens Otoni (PT-GO), Stepan Nercessian (PPS-RJ) e Jovair Arantes (PTB-GO).

Deputados querem investigação contra envolvidos com bicheiro

As primeiras informações sobre a Operação Monte Carlo resultaram, por enquanto, na abertura de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) e os deputados Sandes Junior e Carlos Alberto Lereia. Demóstenes, principal alvo das denúncias até agora, anunciou hoje sua saída do DEM. Ele saiu do partido para evitar a expulsão prometida pelos dirigentes da legenda.

Lewandowski vai relatar caso Demóstenes no STF

"Nós queremos que tudo seja apurado, nós queremos que toda a extensão desses malfeitos seja revelada e nós queremos ver qual vai ser a postura dos outros partidos com os seus quadros, que estão envolvidos em denúncias tão graves quanto aquelas que apareceram contra o senador Demóstenes Torres", disse. No discurso, ACM Neto ainda fez críticas ao PT. Ele citou, entre outros, o caso de Waldomiro Diniz - que extorquiu Cachoeira para arrecadar fundos para a campanha do PT.

"O exemplo do PT é de passar a mão na cabeça daqueles que erram, daqueles que cometem desvio de conduta e que não agem de forma ética. E repito: o maior de todos os resultados dessa bandeira do PT é exatamente celebrar Delúbio Soares como um dos seus principais dirigentes", disparou.

Novas gravações agravam situação de Demóstenes
Demóstenes para Cachoeira: “Se você quiser votar, tudo bem, vou atrás”

DEM abre processo de expulsão de Demóstenes
Psol pressiona pressiona Conselho de Ética sobre caso Demóstenes
Acuado, Demóstenes deixa a liderança do DEM
Saiba mais sobre o Congresso em Foco (2 minutos em vídeo)

Continuar lendo