Lava Jato: Panamá dificulta envio de dados bancários da Odebrecht

Procuradores brasileiros solicitaram acesso à íntegra de uma conta da empreiteira. Entretanto, existe o receio de que os números relatem pagamentos a pessoas politicamente expostas do próprio Panamá

Conhecido como um dos principais paraísos fiscais do mundo, o Panamá insiste em não colaborar com as investigações da Operação Lava Jato no Brasil. Os procuradores de Curitiba já solicitaram acesso à integra de uma conta da Odebrecht no país, mas o pedido foi recusado pelas autoridades panamenhas. De acordo com informações do O Globo, existe o receio de que os números relatem pagamentos a pessoas politicamente expostas do próprio Panamá. Lá, a empreiteira é responsável por várias obras.

Ainda segundo O Globo, o envio dos dados solicitados foi barrado pela autoridade central do país. As autoridades do Panamá pediram à força-tarefa da Lava Jato para especificar as transações de interesse da investigação. Entretanto, essa exigência já é considerada como interferência direta no sucesso da apuração.

Pelo menos 12 países solicitaram ao Ministério Público Federal do Brasil o compartilhamento de informações e provas obtidas nos mais de dois anos de operação. Até mesmo o Panamá, que se recusa a ajudar, solicitou nos últimos meses dados às autoridades brasileiras. Na maioria dos casos, o interesse é sobre quais empresas estrangeiras pagaram propina na Petrobras e também a funcionários públicos.

O Brasil, por sua vez, acionou 30 países. De acordo com os procuradores ligados à Lava Jato, a colaboração com maior êxito ainda é da Suíça. Eles destacam que o país tem colaborado tanto no compartilhamento de dados como na recuperação de ativos e captura de foragidos.

Leia a íntegra da matéria publicada pelo O Globo

Mais sobre Operação Lava Jato

Continuar lendo