Lava Jato: MPF denuncia ex-parlamentares

André Vargas, Luiz Argôlo, Pedro Correa e Aline Correa foram denunciados pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, organização criminosa e peculato

O Ministério Público Federal do Paraná (MPF) denunciou à Justiça, nesta quinta-feira (14), os ex-deputados André Vargas (ex-PT-PR, sem partido), Luiz Argôlo (SD-BA), Pedro Corrêa (PP-PE) e sua filha Aline Corrêa (PP-SP). Eles são acusados de envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras descoberto pela Operação Lava Jato. Esta é a primeira denúncia de políticos acusados de participação nos desvios na Petrobras.

Todos foram denunciados pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, organização criminosa e peculato. Além dos ex-parlamentares, o MPF também denunciou outras nove pessoas, entre as quais o doleiro Alberto Youssef e o publicitário Ricardo Hoffmann e o irmão de Vargas, Leon Vargas.

Vargas, Argôlo e Corrêa foram presos pela PF em abril acusados não somente de envolvimento em desvios na Petrobras, como também em fraudes em contratos de publicidade do Ministério da Saúde e da Caixa Econômica Federal com a agência Borghi/Lowe.

André Vargas foi cassado em dezembro pela Câmara dos Deputados. Os parlamentares decidiram condená-lo por envolvimento em negócios com o doleiro Alberto Youssef. O doleiro foi preso pela Polícia Federal na primeira fase da Operação Lava Jato, ainda no início do ano passado.

Em outubro, o Conselho de Ética da Câmara aprovou o pedido de cassação de Argôlo, acusado de participar de negócios ilegais com Alberto Youssef e depois de ter sido preso pela PF, o Solidariedade o afastou temporariamente da legenda. Corrêa já cumpre pena de 7 anos e 2 meses por envolvimento no escândalo do mensalão.

Saiba mais sobre a Operação Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!