Lava Jato: ex-diretor diz que líder do PT no Senado recebeu R$ 1 milhão

Segundo o Estadão, Paulo Roberto Costa afirmou que quantia, solicitada por empresário pernambucano, tinha como destino a campanha eleitoral do senador em 2010. Humberto Costa nega: “Totalmente fantasiosa”

O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa declarou que o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), recebeu R$ 1 milhão do esquema de corrupção na estatal. De acordo com reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, Paulo Roberto disse em depoimento à Justiça que o dinheiro tinha como destino a campanha eleitoral de 2010, ano em que Humberto chegou ao Senado.

Ainda segundo o jornal, o ex-diretor contou que a quantia foi solicitada a ele pelo empresário Mário Barbosa Beltrão, presidente da Associação das Empresas do Estado de Pernambuco (Assimpra). Paulo Roberto não soube dizer como ocorreu o repasse, mas disse que o empresário lhe confirmou o pagamento. O dinheiro, afirmou o delator, saiu da cota de 1% do PP como comissão paga por empreiteiras contratadas pela estatal. O partido tinha o controle da diretoria de Abastecimento, então comandada por Paulo Roberto.

Em entrevista à Folha de S. Paulo, Humberto Costa classificou a declaração do ex-diretor da Petrobras de “totalmente fantasiosa” e negou ter relação com qualquer integrante do PP que pudesse intermediar arrecadação para sua campanha. O senador disse ter recebido R$ 150 mil de Mário Beltrão, de quem é amigo desde a adolescência. O empresário chamou de “leviandade” a acusação de Paulo Roberto e negou ter feito o pedido ao ex-diretor.

Segundo o Estadão, Paulo Roberto Costa já citou o envolvimento de 32 políticos como beneficiários no esquema de fraude de licitações e corrupção na Petrobras. O ex-diretor fez acordo para contar o que sabe e devolver recursos de propina em troca da redução da pena na Justiça.

Mais sobre a Operação Lava Jato

Assine a Revista Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!