Lava Jato: Collor apresenta defesa contra denúncia por corrupção

Collor foi denunciado pela PGR por corrupção em um dos inquéritos da Operação Lava Jato. As investigações indicam que o parlamentar recebeu cerca de R$ 26 milhões de propina em contratos da BR Distribuidora

O advogado do senador Fernando Collor (PTB-AL), Fernando Neves, entregou nesta sexta-feira (25) ao Supremo Tribunal Federal (STF) a defesa do parlamentar contra denúncia de corrupção no âmbito da Operação Lava Jato. Collor teve 30 dias para apresentar sua defesa e o prazo expirava hoje.

À Agência Brasil, Neves disse que pediu pela rejeição da denúncia contra o senador e ex-presidente da República, mas não adiantou qualquer outro detalhe da defesa, uma vez que o processo corre em segredo de Justiça.

Em agosto, Collor foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por corrupção em um dos inquéritos da Operação Lava Jato. As investigações indicam que o parlamentar recebeu cerca de R$ 26 milhões de propina em contratos da BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras.

Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, investigações apontam que assessores do Senado, colaboradores e empresas em atividade e de fachada atuavam, junto a Collor, para efetuar os repasses em contratos celebrados entre a Petrobras Distribuidora e a DVBR Derivados do Brasil.

De acordo com a força-tarefa, os representantes do senador seguiam uma “cartilha” para maquiar o esquema com várias transações financeiras e depósitos fracionados para, assim, não chamar a atenção dos órgãos de controle. No entanto, um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) identificou operações suspeitas que somaram R$ 798 mil nas contas pessoais de Collor. Os depósitos realizados entre 2011 e 2013 teriam sido feitos pelo doleiro Alberto Youssef, um dos delatores da Lava Jato.

Collor também foi alvo da Operação Politeia, fase da Lava Jato que apreendeu três carros de luxo na Casa da Dinda, residência particular do ex-presidente da República. Na ocasião, a PF recolheu uma Lamborghini, uma Ferrari e um Porsche.

Com informações da Agência Brasil

Mais sobre Operação Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!