Justiça suspende depoimento de Carlinhos Cachoeira em Goiás

Decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região prevê que audiências com investigados e testemunhas aconteçam somente depois da conclusão de diligências pedidas pela defesa

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região suspendeu na noite de ontem (30) o depoimento do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, previsto para ocorrer nesta sexta-feira (1º) em Goiânia. Entre hoje (31) e amanhã, estavam marcadas as audiências com testemunhas de defesa e de acusação e de sete pessoas envolvidas na Operação Monte Carlo, deflagrada em fevereiro. Os depoimentos ocorreriam na 11ª Vara da Justiça Federal.

Tudo sobre o caso Cachoeira
Leia outros destaques de hoje no Congresso em Foco

A liminar foi concedida parcialmente pelo desembargador federal Tourinho Neto. Ele atendeu a defesa de Cachoeira para suspender as audiências previstas para hoje e amanhã enquanto não forem concluídas as diligências pedidas. Também determinou que, antes do depoimento ocorrer, o bicheiro deve poder se reunir reservadamente com seus advogados. Enquanto isso não ocorrer, a audiência fica sem data marcada.

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO) informou que vai recorrer da decisão. Apesar de o pedido ter sido feito pela defesa do bicheiro, a decisão foi estendida a todas as 15 testemunhas - quatro de acusação e 11 de defesa - e os sete investigados que iriam depor. Além de Cachoeira, seriam questionados em juízo Gleyb Ferreira da Cruz, Idalberto Matias de Araújo, o Dadá, José Olímpio de Queiroga Neto, Lenine Araújo de Souza, Raimundo Washinton de Sousa Queiroga e Wladmir Garcez Henrique.

Saiba mais sobre o Congresso em Foco (2 minutos em vídeo)

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!