Justiça do RJ concede nova liminar suspendendo nomeação de Moreira Franco

Em sua decisão, a magistrada Regina Coeli Formisano, da 6ª Vara da Justiça Federal no Rio, pede desculpas a Temer pela liminar concedida

 

Uma nova liminar concedida pela juíza Regina Coeli Formisano, da 6ª Vara da Justiça Federal no Rio,  suspende a nomeação de Moreira Franco como ministro da Secretaria-Geral da Presidência. Em decisão tomada na tarde de ontem (quarta-feira 8),  o juiz Eduardo Rocha Penteado, da Justiça Federal do Distrito Federal, havia concedido decisão semelhante em uma ação popular. No entanto, após recurso da Advocacia-Geral da União (AGU), o presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), desembargador Hilton Queiroz, derrubou a liminar na manhã desta quinta-feira (9).

A liminar da Justiça do Rio de Janeiro ocorreu horas após a decisão sobre o recurso da AGU, que havia retomado a nomeação de Moreira Franco. Em sua decisão, a juíza se desculpa com o presidente Michel Temer. "Peço, humildemente perdão ao Presidente Temer pela insurgência, mas por pura lealdade as suas lições de Direito Constitucional. Perdoe-me por ser fiel aos seus ensinamentos ainda gravados na minha memória, mas também nos livros que editou e nos quais estudei", diz em trecho do despacho. A AGU já anunciou que irá recorrer da decisão.

Moreira Franco foi nomeado na última sexta-feira (3), em cerimônia no Palácio do Planalto. No mesmo dia, a Rede Sustentabilidade já havia ingressado com pedido de afastamento do parlamentar no Supremo Tribunal Federal (STF) – que ainda não foi julgado e não tem data certa para tal. Além da ação da Rede, o Psol e o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) também ingressaram com processo contra a nomeação.

Mais sobre crise brasileira

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!