Ex-presidente Toledo tem prisão preventiva decretada no Peru

O ex-presidente teria recebido propina de US$ 20 milhões da Odebrecht para mudar contrato da Estrada do Pacífico

 

 

A Justiça do Peru determinou nesta quinta-feira (9) a captura e posterior prisão preventiva do ex-presidente Alejandro Toledo (2001-2006) por 18 meses. Ele é acusado de ter recebido US$ 20 milhões em propina da Odebrecht. A informação foi publicada em O Estado de S.Paulo.

Para o juiz Richard Concepción, do Primeiro Juizado de Investigação da Sala Penal Nacional, acatou pedido do promotor Hamilton Castro, que acusa o ex-presidente de tráfico de influência e lavagem de dinheiro.

A captura é nacional e internacional porque teria passado o final de semana em Paris. O promotor Castro sustenta que a Odebrecht pago propina a Toledo pelas obras da Estrada do Pacífico, que liga a costa do Pacífico à fronteira com o Brasil, a um custo de US$ 2,3 bilhões. O ex-presidente teria ajudado a modificar cláusulas adicionais do contrato.

Mais de US$ 9 milhões teriam sido depositados entre 2006 e 2010 em contas de empresas offshore de Josef Maiman,  que seria testa de ferro do ex-presidente. A defesa de Toledo nega as acusações.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!