Justiça determina pagamento de abonos do PIS/Pasep não sacados nos últimos cinco anos

 

A 2ª Vara Cível Federal, sediada em São Paulo, determinou nesta segunda-feira (2) que a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil convoquem trabalhadores que ainda não receberam abonos salariais do PIS/Pasep, nos últimos cinco anos, para sacar o dinheiro em suas agências bancárias. A sentença é resultado de ação civil pública ajuizada pela Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, órgão vinculado ao Ministério Público Federal (MPF), e engloba os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (3ª Região da Justiça Federal).

<< Veja íntegra da lei que eleva alíquotas do PIS-Pasep e da Cofins

Segundo a ordem judicial, provocada por ação civil pública do procurador da República Pedro Antonio de Oliveira Machado, a Caixa e o BB, respectivamente responsáveis pelo pagamento do PIS (Programa de Integração Social) e do Pasep (Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público), além de terem sonegado informações sobre a disponibilidade dos recursos, têm imposto prazos inconstitucionais aos beneficiários, com o objetivo de dificultar os saques. De acordo com o MPF, trabalhadores com remuneração de até dois salários mínimos ao mês estão aptos a receber o abono correspondente a um salário mínimo anual, mas nem todos conhecem tal direito.

Quem tem direito ao abono:

- Empregados com carteira assinada por pelo menos 30 dias no ano anterior

- Remunerados com até dois salários mínimos mensais, em média

- Inscritos no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos

- Empregados de empresa com dados corretamente informados ao governo

Na decisão, a Justiça Federal acolhe integralmente a demanda do MPF para que os recursos sejam repassados aos beneficiários, independentemente de datas definidas em resoluções. Os saques terão redefinição com juros e correção monetária (com base no Índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial) e, entre outros modelos, podem ser feitos diretamente nas agências. A sentença determina ainda que valores não sacados sejam mantidos à disposição dos beneficiários por um prazo de cinco anos, período em que não poderão ser revertidos ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

O MPF lembra ainda que, na sentença, a União foi condenada a pagar R$ 477 mil por danos morais coletivos, valor a ser depositado no Fundo de Defesa de Direitos Difusos. Além da União, a própria Caixa e o BB devem promover ampla publicidade ao conteúdo da sentença, de forma a convocar trabalhadores para saques que lhe são devidos a título de abono salarial.

 

<< Pagamento do PIS/Pasep para trabalhadores com mais de 60 anos começa dia 24

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!