Justiça bloqueia R$ 614 milhões de empresas do trensalão em São Paulo

Medida judicial atinge contas de cinco multinacionais e uma empresa brasileira acusadas de fraudar licitações da CPTM durante governos tucanos

A Justiça Federal de São Paulo determinou o bloqueio de R$ 614 milhões de cinco multinacionais e uma empresa brasileira acusadas de fraudar licitações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) entre 1998 e 2008, na gestão dos governadores Mário Covas, José Serra e Geraldo Alckmin, todos do PSDB.

O Ministério Público de São Paulo entrou com ação na Justiça para reaver R$ 418 milhões desviados dos cofres públicos no esquema apelidado de trensalão. A Polícia Federal indiciou 33 pessoas por envolvimento na formação de cartel e em atos de corrupção. O seqüestro de bens atinge as empresas Alstom, CAF, Siemens, Bombardier, Mitsui e TTrans. Por determinação judicial, o Banco Central rastreia os valores das empresas na rede bancária.

Leia mais sobre o assunto na Folha de S. Paulo

Mais sobre o trensalão

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!