Junta médica examina Genoino no sábado em Brasília

Relator do mensalão, Joaquim Barbosa, determinou o exame por profissionais especializados para tomar decisão sobre a concessão definitiva de prisão domiciliar do ex-presidente do PT. No ICDF, petista recebeu a visita de José Sarney

A junta médica solicitada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, vai examinar o ex-presidente nacional do PT José Genoino neste sábado (23). O objetivo é elaborar um parecer para subsidiar a decisão se o petista terá direito a prisão domiciliar ou não, como pediu sua defesa no início da semana. Nesta sexta-feira, o Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF) descartou que Genoino tenha sofrido um infarto na prisão ontem (21).

Foram indicados os seguintes médicos para fazer a perícia: Luiz Fernando Junqueira Júnior (professor de cardiologia da Universidade de Brasília e presidente da junta); Cantídio Lima Vieira (cardiologista e especialista em perícia médica); Fernando Antibas Atik (especialista em cirurgia cardiovascular ); Alexandre Visconti Brick (professor de cirurgia cardiovascular) e Hilda Maria Benevides da Silva de Arruda (médica cardiologista do HUB).

Joaquim pediu a formação de uma junta médica após conversar por telefone com o juiz titular da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, Ademar Silva de Vasconcelos. O magistrado informou ao relator do mensalão que o estado de saúde de Genoino era delicado e necessitava de cuidados constantes. Havia a suspeita que ele tivesse sofrido um infarto. Após a conversa, o ministro do STF autorizou a prisão domiciliar ou hospitalar temporária do ex-presidente nacional do PT.

Na terça-feira (19), a procuradora-geral da República em exercício, Ela Wiecko de Castilho, recomendou o exame de Genoino por uma junta médica independente. O petista está sob cuidados por conta do rompimento de uma das artérias do coração, em junho. Na oportunidade, sofreu uma cirurgia de emergência e se licenciou do mandato na Câmara. Também na terça veio à tona o resultado dos testes feitos pelo Instituto de Medicina Legal (IML) de Brasília. De acordo com o órgão, o deputado licenciado é paciente com "doença grave, crônica e aguda" e que precisa de cuidados específicos.

Genoino foi condenado a seis anos e 11 meses de prisão por corrupção ativa e formação de quadrilha no mensalão. Como teve direito a apresentar um embargo infringente, inicialmente cumpre pena, em regime semiaberto, de quatro anos e oito meses.

Estado de saúde

Em nota divulgada no início da tarde, o Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF), onde Genoino está internado desde ontem (21), informou que o petista não sofreu um  infarto, como inicialmente foi cogitado. De acordo com a equipe médica que atende o deputado licenciado, houve elevação da pressão arterial e e alteração de "coagulação secundária ao uso de anticoagulante". "O paciente foi reavaliado, pela manhã, encontra-se estável e deverá permanecer internado até o controle adequado da pressão arterial e dos parâmetros da coagulação", diz a nota.

Nesta tarde, o senador José Sarney (PMDB- AP) visitou o deputado, internado desde ontem no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (IC-DF). “Quando eu estava doente no Instituto do Coração (Incor), em São Paulo, por duas vezes ele [Genoíno] me visitou, de modo que vim aqui para retribuir e, ao mesmo tempo, cumprir o meu dever de amigo”, disse o ex-presidente do Senado.

Perguntado sobre o estado do deputado, Sarney disse que a seu ver Genoino está bem “mas ainda muito abatido”. O senador negou que tenha conversado sobre qualquer assunto referente as consequências da condenação do parlamentar, inclusive o cumprimento da pena em prisão domiciliar. Sarney destacou que assuntos como esses não teriam cabimento uma vez que o deputado “está doente, na UTI”.

Leia mais sobre José Genoino

Outros textos sobre o mensalão

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!