Jungmann diz que governo não cederá a “nenhuma reivindicação que coloque em risco a sociedade”

Ministro da Defesa está no Espírito Santo e fez um apelo para que os militares voltem às ruas. Governador do estado se reunirá com comitiva de ministros, nesta tarde, em busca de solução para a crise na segurança pública

 

Após fracasso nas negociações do governo do Espírito Santo com associações dos policiais militares e do Corpo de Bombeiros Militar do estado, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, reunido com autoridades locais e do governo federal, fez um apelo para que os policiais militares, parados há oito dias no Espírito Santo, retornem ao trabalho.  Até a manhã deste sábado, segundo o Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo, foram registrados 137 homicídios desde sábado (4).

“Fazemos um apelo aos bons policiais, praças, oficiais e comandantes, que honrem suas fardas, seu juramento, e venham para as ruas para defender o povo”, disse o ministro, após reunião no 38º Batalhão de Infantaria, em Vila Velha.

Mulheres de PMs no Espírito Santo ignoraram acordo fechado entre representantes da Polícia Militar com o governo do Espírito Santo e continuam ocupando as entradas e saídas dos batalhões. O acordo previa que a categoria voltasse ao trabalho às 7h deste sábado. No entanto, as mulheres dos militares alegam que não participaram das negociações.

Jungmann assumiu que as reivindicações dos militares são justas, mas ressaltou que o governo não cederá a “nenhuma reivindicação que coloque em risco a sociedade”. “As reivindicações são justas, mas o limite da legitimidade e da justiça da reivindicação é a vida, a proteção da sociedade. Não se pode aceitar nenhuma reivindicação que coloque em risco a sociedade. Isso é inaceitável e não será aceito”, afirmou.

Além de Jungmann, o ministro da Justiça, José Levi; o ministro do Gabinete Institucional, general Sergio Etchegoyen; e o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy estão acompanhando a situação da segurança pública no estado. Nesta tarde, uma nova reunião entre os ministros, o governador licenciado do estado, Paulo Hartung, e o governador em exercício, César Colnago, será realizada na residência oficial do governo em Vila Velha. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, também estará presente.

Acordo

O acordo havia sido fechado, na noite de ontem (sexta-feira, 10), entre o governo com as entidades que representam a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros Militar do estado. Para que as corporações voltassem às ruas, o governo se comprometeu a apresentar um cronograma para concretizações dos reajustes das categorias.

Ainda pela proposta, os militares que voltassem ao trabalho neste sábado (11) não seriam punidos. Além disso, ficou prometido a formação de uma comissão para avaliar a carga horária de trabalho dos PMs. O governo também se comprometeu com as desistências das ações propostas contra as associações, caso as corporações voltassem a trabalhar às 7h deste sábado.

Leia abaixo, na íntegra, o acordo fechado na noite de ontem (10):

 

Com informações da Agência Brasil

Mais sobre crise brasileira

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!