Notas indicam benefício a agência em licitação no Banco do Brasil, diz Folha

Agência de publicidade vencedora da maior conta em disputa no país foi beneficiada com notas maiores que as concorrentes, mesmo apresentando problemas semelhantes que as rivais, informa jornal

 

A primeira colocada na licitação para a maior conta de publicidade em disputa no país teve notas maiores do que as concorrentes mesmo cometendo falhas semelhantes, segundo planilha da comissão de licitação do Banco do Brasil. A informação é da Folha de S.Paulo. A vitória da agência de publicidade Multi Solution  foi antecipada em registro no cartório e anúncio publicado pelo próprio jornal há duas semanas.

O BB divulgou ao público o resultado do processo de licitação. No documento, a Multi Solution aparece com notas maiores em dois quesitos técnicos. De acordo com os jurados, mesmo não informando "nenhum cliente com o porte do Banco do Brasil e poucos com porte similar", a agência obteve notas mais altas que a concorrência no critério "capacidade técnica". "Não foram evidenciadas, de forma completa, as quantidades e qualificações dos profissionais que estarão à disposição para execução dos serviços ao banco", justificaram os julgadores ao aplicarem a nota de 13,08 de um total de 15.

Com problema idêntico, a concorrente Calia foi avaliada com 12 pontos, pelos mesmos quesitos. Já no caso da agência Heads, na avaliação sobre relatos de soluções de problemas de comunicação, a empresa foi penalizada com nota 8,75 de um total de 10 pontos. Já a Multi Solution, com os mesmos problemas, teve a nota 9,5.

No último dia 25 de abril, o jornal noticiou a antecipação da vitória. O resultado foi registrado pela Folha em cartório no dia 20 do mesmo mês e em anúncio cifrado no próprio jornal no dia 23 de abril. O classificado, publicado no caderno Sobre Tudo, da Folha, trazia o nome da empresa e o número da concorrência que ela venceria logo em seguida.

Segundo informação obtida pelo jornal, houve direcionamento dentro da estatal para garantir que a agência estivesse entre as contratadas pelo Banco do Brasil.

A empresa nunca havia conquistado uma conta no poder público. O contrato com o Banco do Brasil é estimado em R$ 500 milhões por ano, prorrogável por até 60 meses. Os valores podem chegar a R$ 2,5 bilhões caso sejam feitas as prorrogações previstas no edital. Conforme informa o jornal, após a publicação da reportagem, o banco instaurou auditoria e suspendeu a homologação do resultado até que as investigações sejam concluídas.

A agência ficou conhecida no mercado após comandar a conta da Petrópolis, que fabrica a Itaipava. Mas perdeu espaço desde 2012, quando ficou sem a conta da cervejaria. Caso a investigação não aponte irregularidades, a Multi Solution vai dividir a conta com a segunda e a terceira colocadas na licitação: a Nova S/B, especializada em contas de governo, e a Z+, empresa de capital aberto francês.

A empresa nega ter sido favorecida. Em nota à Folha, a assessoria de imprensa do Banco do Brasil emitiu nota na qual informa que "está aberta, até a próxima quarta-feira (10), a fase de apresentação de recursos referentes à licitação para contratação de agências de publicidade". "Todos os questionamentos dos licitantes serão respondidos pela comissão responsável", informou.

Leia íntegra da reportagem do jornal Folha de S. Paulo

Leia também:

Resultado de licitação do Banco do Brasil vaza quatro dias antes da abertura de envelopes


Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!