Juiz Sérgio Moro manda soltar três investigados na Lava Jato

Em troca da concessão de liberdade, o juiz estabeleceu medidas cautelares, entre as quais a proibição de sair do país, mudar de endereço sem autorização da Justiça e de manter contato com outros investigados na Lava Jato

O juiz federal Sérgio Moro concedeu nesta quarta-feira (12) liberdade a três investigados na 17ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada no último dia 3. Com a decisão, serão soltos Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, irmão do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, Roberto Marques, ex-assessor de Dirceu, e o empresário Pablo Alejandro Kipersmit. Eles estão presos na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Em troca da concessão de liberdade, o juiz estabeleceu medidas cautelares, entre as quais a proibição de sair do país, mudar de endereço sem autorização da Justiça e de manter contato com outros investigados na Lava Jato. Para Moro, a prisão de Dirceu já é suficiente para interromper a atividade delitiva do grupo.

De acordo com o juiz, em relação aos três investigados, especialmente Luis Eduardo e Pablo Kipersmit, "embora não se possa falar que houve propriamente colaboração com a Justiça Criminal, houve, pelo menos, a admissão parcial de fatos importantes, o que também deve ser levado em conta nesse momento, pois pelo menos indicam menor risco às investigações que se seguirão. Assim, apenas para evitar a prodigalização da medida mais rigorosa, não é o caso de decretar a preventiva deles, nem de Luiz Eduardo, motivo pelo qual indefiro o requerido pelo MPF [Ministério Público Federal]", afirmou Moro.

Mais sobre Operação Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!