Jornais: Serra sobe para 30% e lidera disputa pela prefeitura de São Paulo

Russomano tem 19% e Haddad, 3%, mostra o Datafolha

FOLHA DE S. PAULO
Serra sobe nove pontos e lidera disputa em SP

O ex-governador José Serra subiu nove pontos percentuais na pesquisa de intenção de votos para a Prefeitura de São Paulo após assumir que quer ser o candidato do PSDB na eleição de outubro.

Levantamento feito pelo Datafolha entre quinta e sexta-feira mostra Serra com 30% dos votos num cenário em que estão os principais postulantes ao cargo. No fim do mês de janeiro, ele tinha 21%.

Em segundo fica Celso Russomanno (PRB), com 19%. O petista Fernando Haddad obtém apenas 3%. Serra lidera em todos os cenários em que participa.

No mais enxuto, em que concorreriam apenas ele, Gabriel Chalita (PMDB) e Haddad, alcança 49% do total de votos, o que liquidaria a eleição no primeiro turno, já que esse percentual representa mais que a soma de votos dos demais pré-candidatos.

O Datafolha ouviu 1.087 eleitores. A pesquisa, que tem margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos, foi feita na semana em que Serra teve muita exposição devido ao anúncio de que queria concorrer.

Isso ajuda a explicar o crescimento de 2% para 12% em sua intenção de voto espontânea (quando não é apresentado ao eleitor o nome de nenhum candidato).

Após meses de silêncio e especulações, Serra afirmou no dia 27 de fevereiro que pretendia participar da prévia tucana para escolher o candidato do partido.

Marcada para hoje, ela foi adiada para o dia 25.

Dois dos quatro pré-candidatos tucanos desistiram. Só José Aníbal e Ricardo Tripoli continuam no páreo. A pesquisa, porém, deve funcionar como novo banho de água fria em suas postulações.

Análise: Mauro Paulino e Alessandro Janoni

Mais uma vez vale o eterno mantra das pesquisas eleitorais -os dados divulgados hoje pelo Datafolha compõem uma foto da intenção de voto dos paulistanos neste momento.

Os resultados refletem sobretudo a recente repercussão da pré-candidatura Serra combinada ao desconhecimento sobre a identidade do candidato apadrinhado pelo principal cabo eleitoral da cidade, o ex-presidente Lula.

Com a exposição do anúncio de sua provável candidatura, Serra subiu nove pontos percentuais em cerca de um mês, em cenário comparável com pesquisa anterior.

Nas menções espontâneas de intenção de voto, saltou de 2% para 12%.

Nas respostas espontâneas, aliás, já se nota o desconhecimento que marca por enquanto a candidatura petista.

Além da grande maioria não saber ainda em quem vai votar, o nome do PT mais citado na pergunta aberta, com 7%, é o de Marta Suplicy.

Em represália, Brasil pedirá o afastamento de dirigente da Fifa

O ministro Aldo Rebelo (Esporte) disse que não aceitará o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, como interlocutor para a Copa-2014 e pedirá o seu afastamento. A decisão é uma resposta à declaração feita pelo dirigente de que o Brasil precisa de um "chute no traseiro". Para Valcke, a reação do governo é pueril.

Presidente do PMDB é acusado de pagar por notícias em RO

O presidente do PMDB, senador Valdir Raupp, é acusado de ser coautor de um esquema que, segundo o Ministério Público, desviou cerca de R$ 10,2 milhões, em valores atualizados, do governo de Rondônia para grupos de comunicação do Estado em troca de apoio político.

A Folha teve acesso às mais de 2.900 páginas do processo, que serão divulgadas a partir de hoje no projeto "Folha Transparência".

Na época das irregularidades apontadas pelo Ministério Público, Raupp era governador de Rondônia (1995-1999). Ele assumiu a direção do PMDB após a eleição de Michel Temer a vice-presidente da República, em 2010.

Raupp está no Senado há nove anos e seu atual mandato expira em 2019.

O processo foi incluído na semana passada na pauta do Supremo Tribunal Federal. Cabe ao presidente do Supremo, Cezar Peluso, a decisão de colocá-lo em julgamento.

Raupp foi condenado em 2002, pela 1ª Vara Criminal de Porto Velho (RO), a seis anos de prisão. Por conta de sua eleição ao Senado naquele ano, o caso foi paralisado e enviado para o STF. A corte precisa confirmar ou não a decisão da primeira instância.

Íntegra das ações já está na internet

A "Folha Transparência" já disponibiliza em transparencia.folha.com.br a íntegra de processos envolvendo políticos. Esse projeto é um conjunto de iniciativas nas esferas administrativa e judicial para trazer a público documentos que estão sob a guarda do Estado.

Boa notícia: Gêmeas receberam células-tronco em transplante inédito

As gêmeas Letícia e Luana receberam, com sucesso, transplante de células-tronco tiradas de um só cordão umbilical. Elas têm uma doença raríssima, que pode matar. Segundo médicos, não há registro de caso igual no mundo. (Págs. 1 e C13 / Saúde )

 

 

 

O GLOBO

 

MEC só entrega um terço das creches que divulga

É lento o ritmo do programa ProInfância, do Ministério da Educação, que custeia com recursos federais a construção de creches pelo país. Não bastasse o governo ter terminado o ano de 2011 sem concluir nenhuma nova unidade, das 633 creches anunciadas como entregues pelo MEC desde o início do projeto, no governo Lula, apenas 221 estavam 100% prontas até o mês passado. O número divulgado foi inflado porque, segundo relatório do próprio ministério, inclui obras que estão com mais de 80% de conclusão. Um exemplo está em Anápolis, em Goiás, onde uma das unidades aparece com 80,12% de execução, mas ainda falta muito a ser feito. O MEC diz não saber exatamente o número de unidades que estão em funcionamento, já que cabe às prefeituras, colocá-las em operação. A creche inaugurada, em janeiro, pela presidente Dilma e pelo então ministro da Educação Fernando Haddad, em Angra dos Reis, é uma das que não funcionam porque a prefeitura usa as instalações para abrigar alunos de uma escola municipal em obras.

Empresas perdem R$ 11 bi com dólar

Levantamento mostra que chegou a R$ll bilhões a perda financeira de empresas que divulgaram, até semana passada, os balanços de 2011. Com o dólar barato, elas se endividaram no exterior e perderam com a mudança brusca do câmbio. O mesmo risco se repete este ano, já que as companhias continuam buscando dinheiro lá fora.

Caetano Veloso

Ouço que "o português é uma língua muito difícil". De onde vem essa ideia? Do Ministério da Pesca?

Um exemplo insustentável

Mesmo muito após o fim do expediente, o prédio do Ministério de Minas e Energia, em Brasília, continua com luzes acesas em todos os andares às 21h. A três meses da Rio+20, conferência de desenvolvimento sustentável, não faltam exemplos de desperdício oficial de energia.

Quando corromper compensa

Para ganhar um contrato de R$ 75 milhões, o dono da Encomendas e Transportes Pontual, Osvaldo de Oliveira, tentou subornar uma funcionária do Ministério da Saúde, oferecendo 10% do valor. A servidora, exemplar, denunciou o crime, e a polícia conseguiu comprová-lo com escutas telefônicas. A Justiça foi ágil e condenou Oliveira. Tudo como deveria sempre ser. Mas a pena foi leve: dois anos de prisão, prontamente convertidos em pagamento de multa de R$ 1,6 mil e cesta básica mensal, por um ano, de R$ 500 a uma instituição.

Entidade quer soropositivos de volta aos quartéis

O general Francisco Távora e o almirante Júlio Saboya, da área de Saúde do Ministério da Defesa, receberam numa audiência, em janeiro, a direção de uma recém-criada associação que trata de tema tabu para as Forças Armadas: a Aids entre os militares. A Associação Nacional dos Militares das Forças Armadas Vivendo com HIV (Asnamfa +) foi criada no final de 2011 e tem na sua direção dois militares reformados soropositivos. Eles são travestis. O presidente da entidade é Eryka Fayson, e o vice-presidente é Jacqueline Brasil. Ambos serviram durante anos na Marinha, no Rio.

No encontro, a entidade apresentou suas reivindicações: que sejam suspensas as dispensas dos militares detectados com o vírus; que os reformados por ter Aids possam retornar às forças atuando como "educadores de pares" - palestrantes para alertar os da ativa sobre prevenção -; que os afastados obtenham o grau hierárquico da patente acima da sua quando reformados.

Eryka Fayson, hoje com 40 anos, vive em Maceió. Atuou um ano como marujo e outros cinco no Corpo de Fuzileiros Navais. Foi reformado como 3 sargento, mas para obter essa patente teve que ir à Justiça. Recebe uma aposentadoria de R$ 3.060. É filiado ao PV e foi candidato a deputado estadual em 2010, sem sucesso. Eryka conta que a entidade, ainda desconhecida até mesmo pelos militares com HIV, é procurada para apresentar recursos à Justiça e para brigar pelo auxílio-invalidez.

Fernanda Montenegro era a ministra da Cultura dos sonhos de Tancredo Neves

Sarney tentou cumprir o desejo, mas a atriz recusou o convite.

Coluna Seu IR tira dúvidas do leitor para fazer a declaração

 

 

O ESTADO DE S. PAULO

 

Governo planeja formalizar relação de trabalho eventual

O governo vai propor ao Congresso a criação de duas novas formas de contratação de empregados: a eventual e a por hora trabalhada, informa Iuri Dantas. A proposta deve beneficiar sobretudo o setor de serviços, o que mais emprega no País. As mudanças permitirão que as empresas contratem um empregado que só vai receber quando for chamado para alguma atividade. Esse mecanismo deve ser usado, por exemplo, por empresas de produções artísticas. No caso do “horista”, o contrato deve ajudar na complementação de pessoal em bares, restaurantes e eventos sazonais. As novas regras poderão formalizar relações de trabalho que hoje ocorrem à margem da lei como freelancer e trabalho em meio expediente.

Vice de Serra depende do tempo de TV do PSD

A indicação do candidato a vice-prefeito de São Paulo em eventual chapa do ex-governador José Serra (PSDB) dependerá da decisão do TSE sobre a participação do PSD no horário eleitoral. Se o partido de Gilberto Kassab ganhar tempo na TV ficará com a vice, um cargo valorizado, apesar das declarações de Serra de que cumprirá integralmente o mandato. Do contrário, cresce a tese da chapa puro-sangue, com a indicação do próprio PSDB.

‘Ficha Limpa é roleta-russa', diz Mendes

Crítico de primeira hora da Lei da Ficha Limpa, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes afirma que o Congresso, passadas as eleições, terá de mudar o texto. "Me parece que a Lei da Ficha Limpa vai causar vítimas em todos os partidos com essa amplitude. É uma roleta russa com todas as balas no revólver, feita pelos partidos ", diz.

Em entrevista ao Estado, Mendes defende enxugar os benefícios do Ministério Público que hoje são demanda do Judiciário, como licença-prêmio e auxílio-moradia, critica a falta de critério para os pagamentos de atrasados e afirma que a lei não permite a venda de férias pelos magistrados.

O ministro sugere ainda não ser possível, depois da decisão do STF sobre a Lei de Anistia, discutir a punição a militares, mesmo que a Comissão da Verdade venha a identificar responsáveis por crime s cometidos durante a ditadura militar. A seguir, os principais trechos da entrevista.
O Congresso deveria mudar a lei?
Me parece que a Lei da Ficha Limpa vai causar vítimas em todos os partidos com essa amplitude. É uma roleta russa com todas as balas no revólver, feita pelos partidos. Ainda vamos ouvir falar muitas vezes da Lei da Ficha Limpa. Vamos ter muitas peripécias. Acredito que o Congresso, passado o momento eleitoral, terá que rever essa lei, porque são muitas as perplexidades. O Congresso terá de assumir a responsabilidade em face da opinião pública. O Congresso talvez venha a se conscientizar de que não pode ficar aprovando leis simbólicas.
Que problemas o sr. vê na lei?
Por exemplo, os prazos de inelegibilidade são elásticos e infindáveis. A inelegibilidade pela rejeição de contas de prefeitos, por exemplo, pelos tribunais de contas. Será que isso é bom? Nós sabemos que temos problemas hoje nos tribunais de contas. Há uma excessiva politização e partidarização dos tribunais de contas. Ou nós não sabemos disso?

Rebelo quer que Fifa afaste Valcke da Copa

As declarações do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, de que os organizadores da Copa de 2014 devem levar um "chute no traseiro para que se deem conta de que precisam trabalhar" foram muito mal recebidas pelo governo. "O palavreado chulo do senhor Jérôme o desqualifica para conversar com o Brasil", afirmou o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP). Em São Paulo, ontem, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, disse que o governo não vai aceitar mais Valcke como interlocutor da Fifa para o Mundial.

"Com essa postura, Jérôme Valcke atrapalhou a discussão da Lei Geral da Copa", entende Vaccarezza. O projeto deverá ser votado nesta semana pela Comissão de Constituição e Justiça. " Vou pedir para o relator da Lei Geral (deputado Vicente Cândido, do PT/SP) Geral e os deputados da base para interromperem qualquer discussão com o secretário da Fifa".

Vaccarezza disse que se Valcke for à Câmara (ele virá ao Brasil dia 12), vai procurá-lo. "Vou me dirigir a ele para dizer que se trata de um desqualificado para ter qualquer tipo de diálogo com o Brasil. Para mim, ele é persona non grata na Câmara dos Deputados". O líder do governo espera que a Fifa escolha outra pessoa para dialogar com o Brasil sobre a Lei Geral.

Aldo reage. Em São Paulo, ontem de manhã, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, também bateu forte em Valcke. Durante a entrevista coletiva que ele mesmo convocou, Aldo disse que vai exigir da Fifa um novo interlocutor para a Copa de 2014.

"Por conta dessas declarações inaceitáveis, que estão atrapalhando o ambiente de cooperação entre o Brasil e a Fifa, o governo brasileiro não vai aceitá-lo mais como interlocutor. Essa comunicação não pode ser feita através de quem emite declarações intempestivas", declarou o ministro. Ele garantiu que não vai aceitar um pedido de desculpas da Fifa.

Aliás - Ciência em baixa

Ao comentar o incêndio na base da Antártida, o físico Ennio Candotti diz que o Brasil não considera a pesquisa científica essencial.

BP pagará US$ 7,8 bi a vítimas de vazamento

 

 

 

CORREIO BRAZILIENSE

 

Mulheres de pedra devastadas pelo crack

Os repórteres Lilian Tahan e Almiro Marcos iniciam hoje a serie do Correio que mostra o flagelo das mulheres que se viciam em crack no DF. Muitas moram nas ruas. A maioria se prostitui para sustentar o consumo da droga. Em Ceilândia Norte, é Rosa (nome fictício, foto), 42 anos, quem comanda há quase dois anos uma cracolândia em um ginásio abandonado. Ela teve 14 filhos, muitos deles criados em convívio com a marginalidade com a dependência.

Concurso: Salários do Senado podem superar em 17 vezes os valores pagos pelo mercado

As remunerações muito acima da média, que chegam a R$ 23,8 mil, explicam por que a concorrência é tão alta para a seleção mais aguardada do ano, que tem provas marcadas para o próximo domingo. Os 157,9 mil candidatos inscritos aceleraram os estudos para vencer uma disputa acirrada.

Chute na canela: Governo não recebe mais dirigente da Fifa

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, afirmou que vai cortar o diálogo com Jérome Valcke. Em visita às obras do Mané Garrincha, que recebeu certificado internacional, governador Agnelo Queiroz considerou "infeliz" a declaração do francês.

O amor nos tempos do bicho

De fevereiro a agosto de 2011, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) trocou 298 telefonemas com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, preso na semana passada. O parlamentar disse que o motivo de tantas ligações foi sentimental. "A mulher do meu suplente o deixou e passou a viver com Cachoeira", justificou.

Esplanada: Crise no BB piora inferno de Mantega

Ministro da Fazenda enfrenta a mais grave crise política na pasta. Guerra entre os presidentes do BB e da Previ, após o escândalo na Casa da Moeda, obrigou Mantega a tomar providências que vão muito além de medidas econômicas.

Portugês: E o acordo ortográfico ficou no papel...

A transição para as novas regras da língua portuguesa termina este ano, mas as mudanças permanecem um grande mistério para muitos professores e alunos de escolas públicas.

As negociatas que atravancam a reforma agrária brasileira

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!