Jornais: romaria a presídio foi um equívoco, diz Dilma a petistas

Ela considerou um erro a romaria de políticos que foi à cadeia visitar os petistas na primeira semana de detenção. E vê o risco de que outros presos e seus parentes fiquem revoltados com a situação

Folha de S. Paulo

Romaria a presídio foi um equívoco, diz Dilma a petistas

Apesar de ter determinado silêncio no governo sobre as prisões dos condenados do mensalão, a presidente Dilma Rousseff reprovou o regime privilegiado que permitiu visitas fora de hora aos petistas presos no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.

Ela considerou um erro a romaria de políticos que foi à cadeia visitar os petistas na primeira semana de detenção. E vê o risco de que outros presos e seus parentes fiquem revoltados com a situação.

Em viagem a Fortaleza no dia 22, Dilma discorreu sobre os três anos em que ficou presa durante o regime militar e, diante de ministros e congressistas, falou sobre o que a experiência lhe ensinou para evitar problemas na prisão.

Dirceu ganhou emprego 'por qualificação', diz empresário

Empregador do ex-ministro José Dirceu no hotel Saint Peter, em Brasília, o empresário Paulo de Abreu afirmou que conheceu o petista em uma audiência no Palácio do Planalto e o contratou "pela qualificação".

"Há 90 dias estávamos procurando um gerente administrativo. Ele foi contratado pela qualificação", disse. Segundo Abreu, eles não são amigos, o posto para gerente administrativo já existia e o último profissional no cargo foi "dispensado".

O empresário explicou que, descontados os impostos, o salário de R$ 20 mil que prometeu a Dirceu "chegará mais ou menos a R$ 14 mil".

Agência vai investigar uso de helicóptero de deputado

A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) abriu investigação sobre irregularidades no uso do helicóptero da família do senador Zezé Perrella (PDT-MG), apreendido após transportar quase meia tonelada de cocaína.

A investigação ocorre porque seu filho, o deputado estadual Gustavo Perrella (SDD-MG), ao negar envolvimento no caso e responsabilizar o piloto, disse permitir que o aparelho faça transporte ocasional mediante pagamento. Pelas normas da aviação, apenas aeronaves habilitadas como táxi-aéreo podem fazer isso.

No caso, o helicóptero da Limeira Agropecuária, empresa de Gustavo, uma irmã e um primo, tem registro apenas para uso particular.

Aécio diz que Cardozo está 'um pouco nervoso'

O senador Aécio Neves (MG), presidente do PSDB e provável candidato do partido à Presidência da República, criticou ontem a atuação do ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) nas investigações sobre o cartel de trens em São Paulo.

"Eu estou achando meu amigo ministro um pouco nervoso. Era mais fácil ir ao Congresso se explicar" disse Aécio em evento do setor imobiliário na capital paulista.

Anteontem, Cardozo disse que irá processar quem o acusou de fazer uso político das investigações e que explicará o caso no Senado e na Câmara na próxima semana.

Para Aécio, o ministro perdeu a capacidade de liderar a apuração do cartel. Sobre sua saída do cargo, o tucano disse que isso é algo que cabe à presidente Dilma Rousseff.

O Estado de S. Paulo

Senador tem de explicar caso da cocaína no helicóptero, diz Aécio

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) cobrou ontem explicações do seu colega senador Zezé Perrella (PDT-MG), após a apreensão de quase meia tonelada de cocaína no helicóptero em nome da empresa fundada pelo pedetista, que tem como sócio seu próprio filho, o deputado estadual Gustavo Perrella (SDD-MG).

Em um rápido comentário sobre o assunto, Aécio salientou que não soube de nada que apontasse o envolvimento de Perrella na apreensão da droga com a prisão do piloto do helicóptero, o assessor parlamentar Rogério Almeida Antunes.

"Ele (Perrella) tem que explicar, mas até hoje não vi nada que o vinculasse a essa questão. Temos de lhe dar o direito de resposta e é preciso que rapidamente isso seja esclarecido", afirmou o senador tucano.

Parecer abre caminho para novas prisões

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, defendeu ontem a rejeição dos recursos e a prisão imediata do ex-deputado federal Pedro Corrêa e do ex-vice-presidente do Banco Rural Vinicius Samarane. Com os pareceres, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, deve desencadear a segunda leva de prisões do condenados no mensalão.

Nos pareceres, Janot argumentou que Pedro Corrêa e Samarane não tiveram a seu favor os votos de pelo menos quatro ministros, condição definida no regimento do STF para que o réu peça novo julgamento para seu caso. Esse raciocínio deve se estender a outros quatro réus que estão em situação semelhante: os deputados Valdemar Costa Neto (PR-SP) e Pedro Henry (PP-MT), o ex-deputado Bispo Rodrigues e o advogado Rogério Tolentino.

Prisão começa em pizza

A prisão dos petistas condenados do mensalão na Penitenciária da Papuda, em Brasília, começou em pizza - mais precisamente, dez pizzas grandes. A Polícia Federal encomendou caixas da típica comida italiana e promoveu um jantar “VIP” para os padrões da cadeia. Proibidas para os demais presos, que são obrigados a comer as quentinhas da prisão, as pizzas foram compradas pelos policiais de plantão na noite do dia 16, um sábado.

Elas chegaram à cela 4, que abrigava o deputado José Genoino (PT), o ex-ministro José Dirceu, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e o ex-tesoureiro do PL (hoje PR) Jacinto Lamas. O cardápio é citado em relatório do procurador Aurélio Veiga Rios, que visitou o local no dia seguinte e constatou “a existência de dois sacos de lixo de 100 litros com as embalagens de pizza”.

Consultoria ligada a cartel doou para tucanos

A Focco Tecnologia, empresa de ex-diretores da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (GPTM) suspeitos de envolvimento com o cartel metroferroviário em São Paulo, foi a segunda maior doadora da campanha do vereador tucano Mário Covas Neto, o Zuzinha, em 2012.

A consultoria também deu dinheiro,"em menores quantidades, a outros políticos do PSDB na campanha de 2010. Hoje ambos estão no primeiro escalão do governo Geraldo Alckmin (PSDB). São eles o secretário estadual de Meio Ambiente e deputado estadual licenciado Bruno Covas e o secretário estadual de Energia e deputado federal licenciado, José Aníbal.

Sócios da empresa, os ex-diretores da CPTM João Roberto Zaniboni e Ademir Venâncio de Araújo foram indiciados pela Polícia Federal sob suspeita de corrupção, lavagem de dinheiro, formação de cartel e crime financeiro. Zaniboni foi condenado pela Justiça da Suíça por lavagem de dinheiro.

A Focco já recebeu R$ 32,9 milhões do governo paulista entre 2010 e 2013 por serviços de consultoria. Ela assinou contratos para “supervisão de projetos” com CPTM, Metrô, Agência Reguladora de Transportes do Estado (Artesp), Secretaria de Transportes Metropolitanos e Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU).

O Globo

Na Papuda, atendimento médico é privilégio

O tratamento médico dispensado ao ex-presidente do PT José Genoino é praticamente uma exclusividade dentro do sistema prisional de Brasília. O GLOBO teve acesso a uma lista de 12 detentos que fizeram pedidos de atendimento em razão de graves problemas de saúde ao longo deste ano. A rapidez com que o petista conseguiu encaminhamentos para fazer exames de saúde, tratamentos fora do cárcere e o direito de permanecer temporariamente fora do complexo da Papuda não se repete para favorecer os outros presos.

No mesmo dia da decisão judicial que transferiu Genoino para o Centro de Internamento e Reeducação (Cm) do presídio da Papuda, onde internos cumprem pena em regime semiaberto, o juiz da Vara de Execuções Penais, Ademar Silva de Vasconcelos, determinou que o deputado licenciado fosse examinado por uma equipe do Instituto Médico-Legal. O petista havia sofrido um pico de hipertensão arterial, o que motivou o pedido de exame.

PT afirma que laudo sobre Genoino foi manipulado

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, disse ontem que foi manipulado o laudo médico afirmando que o deputado José Genoino não pode ser considerado impossibilitado de trabalhar em definitivo. O documento, assinado por cardiologistas da Universidade de Brasília (UnB) e entregue ao Supremo Tribunal Federal (STF), afirma que a cardi-opatia do ex-presidente do PT "não se caracteriza como grave" e que não há necessidade de tratamento domiciliar permanente.

Falcão partiu para o ataque, durante encontro com intelectuais da Fundação Perseu Abramo, em São Paulo:

— E agora, não contentes com esse tipo de condenação política, humilham os companheiros na forma do cumprimento da pena. Colocam em risco, e serão responsabilizados por isso, a vida do companheiro Genoino, que padece de uma cardiopatia grave, e manipulam, inclusive, laudos para mantê-lo na prisão em condições que ele não pode suportar.

Procurador faz parecer a favor da prisão de Corrêa e Samarane

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou pareceres ontem ao Supremo Tribunal Federal (STF) recomendando a prisão imediata do ex-deputado Pedro Corrêa (PP-PE) e do ex-dirigente do Banco Rural Vinicius Samarane, condenados no processo do mensalão. O presidente do tribunal e relator do processo, ministro Joaquim Barbosa, aguardava apenas essa manifestação para decidir se manda prender os réus.

O procurador-geral ainda vai enviar ao STF pareceres referentes a outros quatro condenados na mesma situação — e, portanto, a tendência é que opine por mais prisões. Corrêa foi condenado a sete anos e dois meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro e deve começar a cumprir pena em regime semiaberto. Samarane foi condenado a oito anos, nove meses e dez dias de prisão por lavagem de dinheiro e gestão fraudulenta. A pena será cumprida em regime inicialmente fechado.

Correio Braziliense

Regalia mantida aos condenados na Papuda

Um dia depois de a Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal ter determinado que as autoridades penitenciárias deem "tratamento igualitário" a todos os presos do Complexo Penitenciário da Papuda, os sentenciados do mensalão continuaram com o privilégio de receber parentes e amigos na sexta-feira. Conforme as normas gerais do presídio, os dias oficiais de visitação são às quartas e às quintas-feiras. Em relação aos mensaleiros, no entanto, as visitas foram permitidas, de forma extraordinária, sempre na véspera do fim de semana. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) diz que o direito se estende a todos os detentos das alas onde estão os condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF), e não apenas aos mensaleiros.

A medida incomodou parentes de detentos, que passam horas nas filas e chegam a dormir na porta da Papuda para garantir o direito de visitar o familiar. Quanto mais cedo chega, mais tempo a pessoa poderá passar com o detento. Ao longo do dia de ontem, parentes de condenados da Ação Penal 470 estiveram no complexo, como a mulher do ex-tesoureiro do PL Jacinto Lamas e familiares do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu — ambos cumprem pena no regime semiaberto. Na sexta, não há filas. Na avaliação de parentes de presos, a possibilidade de visita nesse dia configura vantagem.

Encontros suspeitos de Cardozo

0 ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, teve pelo menos dois encontros comArthurTeixeiráe Sérgio Teixeira (morto em 2011) na época em que era deputado federá. A informação foi dada pelo advogado de defesa de Arthur, Eduardo Pizarro Camelôs. Arthur é proprietário da Procint consultoria e Sérgio era dono da Constech. As duas empresas são suspeitas de pagar propina a parlamentares do PSDB e a secretários do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, em troca de vantagens nos contratos firmados com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos e com o Metrô de São Paulo.

De acordo com Eduardo Pizarro, Sérgio foi procurado, há mais de 10 anos, por um amigo pessoal que teria lhe dito que o recém-eleito deputado José Eduardo Cardozo "gostaria de conhecer melhor os setores de energia e transporte metroferroviário, os quais oderiam ser objeto de sua atuação no exercício de seu mandato".

O presidenciável do PSol

O PSol escolherá neste fim de semana, durante congresso nacional, o nome de quem representará o partido na disputa presidencial de 2014. No evento, que vai até amanhã em Luziânia (GO), são esperados 700 militantes que escolherão o pré-candidato entre o senador Randolfe Rodrigues (AP), a ex-deputada federal Luciana Genro (RS) e o ex-candidato a prefeito de Fortaleza Renato Roseno. O senador, porém, já é o favorito de mais de 52% dos filiados e Luciana poderá ficar como vice em sua chapa. Mais do que emplacar um presidente, o objetivo principal da legenda é aumentar a bancada federal na Câmara e no Senado.

Leia também o que saiu hoje nos jornais e foi publicado ontem no Congresso em Foco:

Procurador-geral pede prisão de ex-deputado condenado no mensalão

Assessores de Mantega demitidos após denúncia de corrupção

Joaquim determina que junta avalie saúde de Roberto Jefferson

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!