Jornais: Renan usa avião da FAB para ir ao implante de cabelo

Presidente do Senado usou aeronave da FAB (Força Aérea Brasileira) para viajar na noite de quarta-feira ao Recife, onde, no dia seguinte, submeteu-se a uma cirurgia para implantar 10 mil fios de cabelo

Folha de S. Paulo

Renan Calheiros usa aeronave da FAB para ir ao Recife, onde implantou fios de cabelo

De cabelo em pé

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), usou aeronave da FAB (Força Aérea Brasileira) para viajar na noite de quarta-feira ao Recife, onde, no dia seguinte, submeteu-se a uma cirurgia para implantar 10 mil fios de cabelo. É a segunda vez neste ano que Renan usa avião da FAB para fins particulares. Em junho, foi a Trancoso (BA) para o casamento da filha do colega Eduardo Braga (PMDB-AM). Depois que esta coluna revelou o fato, reembolsou R$ 32 mil à União.

Outro lado

Procurada pela coluna, a assessoria de imprensa do presidente do Senado não se manifestou sobre o uso da aeronave. A agenda oficial publicada no site da Casa não registra compromissos do peemedebista na capital pernambucana.

Dirceu será subaproveitado em emprego, diz advogado

O advogado José Gerardo Grossi, que ofereceu emprego ao ex-ministro José Dirceu, disse acreditar que, devido à experiência política, o petista será subaproveitado no novo emprego, uma vez que sua missão será tomar conta da biblioteca do escritório.
Grossi, no entanto, justificou a decisão de encaixar Dirceu, condenado pelo mensalão, nesta função, com salário de R$ 2.100, dizendo que não ofereceu trabalho ao político, mas ao presidiário.

"Hoje ele é um presidiário cumprindo pena. Eu não ofereci trabalho para o ministro, mas para o presidiário. Não tenho dúvida [que ele será subaproveitado], mas eu preciso de alguém para organizar a biblioteca e se ele não der conta vou ter que arrumar outro que faça", afirmou.

Ministro do STJ permite que Delta volte a ter contratos com o governo

O ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Ari Pargendler acatou pedidos da Delta Construções e de sua subsidiária, Técnica Construções, e suspendeu as restrições impostas às duas companhias pela CGU (Controladoria-Geral da União).

A decisão abre caminho para que a Delta e a Técnica voltem a ter contratos com o poder público. Como a decisão foi liminar (provisória), ela será analisada --e poderá ser mantida ou derrubada-- numa das turmas do STJ no ano que vem.
A Delta, do empresário Fernando Cavendish, ficou conhecida em 2012 em meio à Operação Monte Carlo da Polícia Federal e por suas ligações com o empresário Carlinhos Cachoeira. A CGU considerou a empresa inidônea para firmar contratos com o poder público.
O Estado de S. Paulo

Após pressão russa, Brasil participará de reunião para conter guerra na Síria

O Brasil estará na conferência de paz da Síria, no dia 22 de janeiro, na Suíça. A confirmação foi feita pela ONU ontem, após uma reunião em Genebra entra representantes dos EUA e da Rússia com o mediador da ONU para o conflito na Síria, Lakhdar Brahiml.

Há uma semana, o Estado antecipou que oBrasil seria convidado a participar da negociação. Moscou insiste na participação completa do Brics (Brasil, Rússia, índia, China e África do Sul), como forma de "garantir legitimidade internacional" para o processo de paz que poderá ser iniciado. Outro objetivo é contrapor apresençade países, liderados pelos EUA, que pretendem impor na conferência de paza saída do presidente Bashar Assad do poder como precondição ao diálogo.

A lista final de participantes fechada ontem inclui todos os membros do Conselho de Segurança dz ONU, mas também outros 26 governos - o Brasil deve participar das principais decisões. A maioria é da região do Golfo Pérsico de influência no mundo muçulmano, como Argélia, Turquia, Egito, Jordânia, Líbano, Catar, Emirados Árabes e Arábia Saudita. Entre os europeus, a lista inclui Alemanha, Itália, Espanha, Suíça, Dinamarca e Noruega.

Figueiredo será representante do govemo brasileiro

0 convite para que 0 Brasil seja um dos participantes da conferência de paz sobre a Síria, em Genebra, foi extremamente bem recebido pelo governo brasileiro e o encontro, no fim de janeiro, terá como representante 0 próprio ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo. 0 Itamaraty espera apenas receber a lista final de participantes para se manifestar oficialmente.
Na semana passada, o governo brasileiro já tinha sido sondado sobre uma possível participação na conferência e havia sinalizado positivamente. Ontem, o enviado especial das Nações Unidas para o conflito na Síria, Lakhdar Brahimi, telefonou para a representação brasileira em Genebra e formalizou o convite para participar da cúpula.

Correio Braziliense

Carvalho prevê segundo turno

Após participar de uma cerimônia de Natal para os funcionários do Palácio do Planalto, o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, afirmou ontem não acreditar na reeleição de Dilma Rousseff em primeiro turno, na disputa do ano que vem. "Eu não tenho expectativa, não. Eu acho que vai ser uma eleição muito dura, muito suada, com muito respeito aos nossos adversários", comentou.

Segundo Carvalho, o PT vai "com tudo" para a campanha nas eleições em 2014 para garantir mais quatro anos no governo, mesmo com as últimas pesquisas mostrando uma vitória de Dilma em primeiro turno. "Será uma eleição dificílima, não temos dúvida disso. Nada de salto alto", garantiu.

Apesar da preocupação do partido, o ministro disse que ainda não há um plano definido para a campanha, mas sinalizou que Dilma deve intensificar os deslocamentos às vésperas das eleições. "O que vai acontecer é que ela vai continuar a viajar bastante, primeiro, porque tem o que inaugurar, tem o que visitar, obras que estavam paradas foram retomadas, como é o caso da transposição, e outras. Viajando, além de tudo, você vê melhor as coisas", afirmou.

Constrangimento no PSB

Após quatro anos colecionando declarações desastrosas, o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Wilson Damázio, foi finalmente exonerado do cargo. Candidato a presidente da República no próximo ano, o governador do estado, Eduardo Campos (PSB), que sempre o bancou — mesmo nas situações mais embaraçosas —, desta vez, não perdeu tempo. O motivo é claro: eleição presidencial de 2014. No fim do mandato, o pessebista sabe que qualquer sujeira em seu paletó pode prejudicar o sonhado voo nacional. A entrevista que o ex-secretário concedeu ao Jornal do Commercio, publicada na quinta-feira, afirmando, entre outras coisas, que homossexualidade pode ser um desvio de conduta e que mulheres têm fascínio por policiais fardados, extrapolou o que poderia ser apenas um mais constrangimento.

Dirceu de volta à fila do emprego

Convidado para trabalhar no escritório do advogado José Gerardo Grossi, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu terá de esperar o fim do recesso do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) para que seu pedido de autorização para o serviço externo comece a ser apreciado. Desta vez, a proposta de emprego ao petista, que cumpre pena no Complexo da Papuda, é mais modesta que a primeira, apresentada em novembro pelo Hotel Saint Peter.

Em vez dos R$ 20 mil oferecidos para a função de gerente administrativo, ele receberá salário de R$ 2,1 mil para cuidar da biblioteca do escritório de advocacia, caso tenha a solicitação atendida pela Vara de Execuções Penais (VEP). Como o petista desistiu no último dia 5 da primeira oferta de emprego, seu novo pedido entrará no final da fila da Seção Psicossocial da VEP.
Réus de mudança da Papuda

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, autorizou ontem a transferência dos ex-deputados federais Pedro Corrêa (PP-PE) e Pedro Henry (PP-MT) para seus respectivos estados. Ao longo da semana, o ministro já havia atendido solicitações idênticas apresentadas por outros três condenados no processo do mensalão: os ex-dirigentes do Banco Rural José Roberto Salgado e Vinicius Samarane e o ex-deputado Romeu Queiroz. Eles serão transferidos para Minas Gerais.

Por enquanto, entre os 17 sentenciados do mensalão que se encontram presos, três já cumprem pena fora de Brasília. A ex-presidente do Banco Rural Kátia Rabello e a ex-diretora da agência SMP&B Simone Vasconcelos foram as primeiras transferidas da capital brasileira para Belo Horizonte, onde residem suas respectivas famílias. Rogério Tolentino, ex-advogado do empresário Marcos Valério, também está em Minas. Depois de se entregar, ele foi autorizado a permanecer no estado. Tolentino está detido na Penitenciária José Maria Alkmin, em Ribeirão das Neves, na região metropolitana da capital mineira.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!