Jornais: prisão imediata de réus do mensalão é defendida por 74%

Entre simpatizantes do PT, o percentual de favoráveis foi dos mesmos 74%, mostra o Datafolha

FOLHA DE S.PAULO

Prisão imediata de réus do mensalão é defendida por 74%

Pesquisa do Datafolha apontou que 74% dos brasileiros querem que os réus condenados no processo do mensalão sejam presos imediatamente. Até entre os entrevistados que disseram ter o PT como partido de preferência o percentual de respostas favoráveis à imediata execução das penas aplicadas pelo STF (Supremo Tribunal Federal) foi alto --coincidiu com o índice geral da pesquisa, de 74%.

O julgamento do mensalão foi concluído em dezembro, e os réus apresentaram recursos contra as condenações. Cabe agora ao relator do caso, o ministro Joaquim Barbosa, marcar a data para o início da análise das apelações pelo plenário do STF.

Pelo entendimento dos ministros da corte, as prisões dos condenados só poderão ocorrer após se esgotarem as possibilidades de apresentação de recursos, o que na linguagem jurídica recebe o nome de "trânsito em julgado".

O levantamento feito pelo Datafolha em 27 e 28 de junho apontou que, para 14%, pode ter havido injustiça no caso e os réus merecem um novo julgamento. O índice de pessoas que não souberam responder à questão sobre a situação dos réus foi de 12%.

As maiores taxas a favor da prisão imediata dos condenados foram apuradas entre entrevistados que disseram preferir PV (83%), PSDB (77%), PT (74%) e PMDB (74%).

Entre aqueles que disseram considerar que os réus merecem um novo julgamento, destacaram-se os entrevistados que afirmaram ter como partidos de preferência o PTB (29%), o PSB (24%), o PMDB (19%) e o PT (18%).

O Datafolha fez 4.717 entrevistas em 196 municípios. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Caminhoneiros travam rodovias em nove Estados

Bloqueios contra pedágio e por mudanças na carga de trabalho afetam ao menos 22 estradas; acesso ao porto de Santos é fechado

Dilma envia hoje sugestão de plebiscito

A presidente Dilma Rousseff disse que vai mandar hoje mensagem ao Congresso sugerindo plebiscito para a reforma política. Ela antecipou dois temas que serão tratados: o modelo de financiamento de campanhas e o sistema de votação

Exército egípcio dá ultimato para presidente pôr fim a crise

O Exército do Egito deu 48 horas a Mohammed Mursi para acabar com a crise que seu governo vive. Primeiro presidente do país eleito democraticamente

Petroleira de Eike revê produção, e ações caem 29%

A petroleira OGX, de Eike Batista, informou que pode parar em 2014 seu único campo em operação, na bacia de Campos (RJ)

Rede pública vai vacinar contra HPV a partir de 2014

A rede pública vai oferecer vacina contra o HPV (papilomavírus humano) a partir de março de 2014. Serão vacinadas meninas de 10 e 11 anos

Deficit comercial no 1º semestre é o maior em 18 anos

A balança comercial brasileira registrou deficit de US$ 3 bilhões de janeiro a junho. Foi o pior resultado no 1º semestre desde 1995, quando o rombo foi de US$ 4,2 bilhõesn

Nanoprotestos

Cem pessoas marcham contra o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) no largo da Batata, em SP, onde, há duas semanas, 65 mil questionaram a alta das tarifas; várias cidades tiveram pequenos atos ontem

 

O GLOBO

Resistência a plebiscito de Dilma cresce no Congresso

A presidente Dilma Rousseff manda hoje ao Congresso a mensagem em defesa do plebiscito para uma reforma política que valha já em 2014, mas a resistência à proposta cresce entre os partidos. Dos 513 deputados, cerca de 240 pertencem aos três partidos da oposição e aos quatro da base que já se manifestaram contra a convocação da consulta popular este ano. O tema divide até mesmo a bancada do PT. Na reunião de ontem, com 36 dos 39 ministros, Dilma ressaltou que vai sugerir alguns tópicos para a reforma, como financiamento de campanha e sistema de votação, mas ressaltou que a decisão final será do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e do Congresso. Hoje, a presidente do TSE, Cármen Lúcia, se reúne com os presidentes de 27 TREs e discutirá o tempo mínimo para a realização do plebiscito sobre a reforma.

Rio sem estádios após a festa do Maracanã

Encerrada a Copa das Confederações, o futebol carioca se depara com uma triste realidade: os grandes clubes não sabem quando jogarão nos dois principais estádios do Rio. O Maracanã não tem prazo para ser liberado. No Engenhão, as obras devem terminar em novembro de 2014.

Balança comercial

Déficit é o pior em 18 anos. O registro tardio de importações de combustíveis feitas pela Petrobras no ano passado provocou um rombo de US$ 3 bilhões na balança comerciai brasileira no primeiro semestre deste ano. Além disso, as exportações também caíram.

Mais uma manobra pelo superávit

Uma mudança no estatuto do BNDES publicada em edição extra do Diário Oficial abre caminho para aumentar os dividendos pagos pelo banco à União, com o objetivo de reforçar o caixa e cumprir a meta fiscal.

Efeito negativo : OGX tem queda de 29% e puxa Bolsa

A OGX, empresa de petróleo do grupo de Eike Batista, anunciou que seu único campo em produção, Tubarão Azul, pode deixar de produzir em 2014. Outros três campos vão ser abandonados. As ações caíram 29,11% e derrubaram a Bolsa brasileira.

Caixa-preta: Lucro dos ônibus gera divergência

O Sindicato das Empresas de Ônibus do Rio informou que o lucro das transportadoras em 2012 foi de R$ 77,1 milhões (cada uma teria lucrado R$ 153 mil por mês). O valor supera em R$ 7,7 milhões o informado pela prefeitura (RS 69,4 milhões).

Egito em crise: Ultimato militar a Mursi e oposição

Diante da deterioração do cenário político no Egito, com milhões de pessoas nas ruas pedindo a renúncia do presidente islamista Mohamed Mursi, o Exército deu um ultimato até amanhã para que governo e oposição se entendam.

Ciência: Estímulo ao tráfico de animais

Nova resolução do Conama permite que qualquer pessoa fique com até dez animais silvestres.

Vacina anti-hpv via SUS

Serão oferecidas gratuitamente as três doses do produto que previne o câncer de útero.

Governo tentará barrar ‘bondades’ de Renan

Preocupado com o rombo nos cofres públicos e disposto a reafirmar o compromisso fiscal do governo, o Palácio do Planalto, por determinação da presidente Dilma Rousseff, acionou os parlamentares do PT para tentar barrar a aprovação a toque de caixa de projetos colocados na pauta pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), como resposta ao clamor das ruas nas últimas semanas. Na mira estão propostas como o passe livre para estudantes no transporte público, financiado pelos royalties do petróleo, e a destinação de 10% da receita corrente bruta para a Saúde.

Rodovias bloqueadas no RJ e mais 7 estados

Caminhoneiros bloquearam desde as primeiras horas de ontem rodovias federais e estaduais de oito estados, inclusive os trechos fluminenses da Via Dutra, na altura de Barra Mansa, e da BR-040, na altura de Itaipava, em Petrópolis. Convocados pelo Movimento União Brasil Caminhoneiro, um dos sindicatos da categoria, os protestos são contra o aumento do pedágio, do combustível e da restrição para circular na capital paulista, e a favor de melhorias nas condições das pistas, entre outras reivindicações.

Datafolha: 74% querem prisão de mensaleiros

Pesquisa divulgada ontem pelo Instituto Datafolha mostra que 74% dos brasileiros querem a prisão imediata dos condenados no escândalo do mensalão. O desejo é comum até mesmo entre 74% daqueles que apontaram o PT como partido de sua preferência. As maiores taxas de manifestações favoráveis à prisão imediata dos condenados foram apuradas entre os entrevistados que declararam preferir o PV (83%), contra 77% do PSDB e 74% do PMDB.

Entre aqueles que disseram considerar que os réus merecem um novo julgamento, destacaram-se os entrevistados que afirmaram ter como partidos de preferência o PTB (29%), o PSB (24%), o PMDB (19%) e o PT (18%).

O julgamento dos envolvidos no escândalo do mensalão foi concluído em dezembro. Vinte e cinco deles, incluindo o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e o deputado federal e ex-presidente do PT José Genoino, foram condenados. Os réus apresentaram recursos contra a condenação, e cabe agora ao relator do processo, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, marcar a data para o início da análise das apelações pelo plenário do STF.

 

O ESTADO DE S. PAULO

‘Não farei demagogia no corte de gastos’, diz Dilma

Presidente reúne ministros, afirma que não reduzirá despesas sociais e que seu governo é ‘padrão Felipão’

Na primeira reunião ministerial do ano, a presidente Dilma Rousseff disse que não fará demagogia para cortar gastos. Sem citar o governador Geraldo Alckmin (PSDB), ela afirmou que não reduzirá a equipe de 39 ministros. “Não farei demagogia de cortar gastos que não ocupo, mas vou cortar gastos e também vou tentar olhar onde e em que setor é possível fazer isso”, disse. “Cortar Bolsa Família jamais.” Na semana passada, Alckmin anunciou medidas para reduzir despesas. "O povo, nas ruas, não pediu redução de direito social e o meu governo não fará isso”, disse Dilma. “O meu governo é padrão Felipão”, afirmou, numa referência à vitória da seleção. A presidente também reafirmou a permanência da equipe econômica. Dilma vai sugerir hoje ao Congresso que o plebiscito sobre reforma política aborde o custeio das campanhas e o tipo devoto. O TSE avalia procedimentos e prazos.

Dora Kramer: Impávido colosso

A presidente registra queda de popularidade e quer mostrar que “o Brasil não está parado”. Reunião de 39 ministros é tradução do gigantismo, ineficiência e desperdício.

Haddad e Padilha devem ter ajuda

O Planalto tenta conter o desgaste de lideranças do PT. Fernando Haddad deve receber RS 1,7 bilhão para SP. 0 ministro Alexandre Padilha (Saúde) espera verbas para programas.

Exército do Egito dá ultimato a presidente

As Forças Armadas do Egito manifestaram ontem seu apoio á população e deram um ultimato de 48 horas para o governo do presidente Mohamed Morsi e a oposição “atenderem às demandas do povo”. Mas os militares prometeram não se envolver na política do país. Desde o domingo, os confrontos durante os protestos deixaram 16 mortos e 781 feridos. O comunicado, lido em um pronunciamento na TV estatal, elevou os temores de um golpe de Esta do e do retorno das Forças Armadas à cena politica.

Empresa de Eike desiste de poço; ações despencam

A OGX, do grupo de Eike Batista, informou ontem que sua principal aposta de receita, o campo Tubarão Azul, na Bacia de Campos, pode parar de produzir em 2014. Após o anúncio, as ações fecharam com queda de 29,11%. A notícia alimentou boatos de que a empresa está perto de renegociar dívidas. A OGX tem até setembro para entregar à ANP um novo plano de desenvolvimento de seus campos.

CVM vai analisar ajuda

A CVM analisará um aporte que Eike Batista faria na OGX. A injeção de recursos deveria ser aprovada por conselheiros, que deixaram os cargos.

Balança tem pior semestre em 18 anos
De janeiro a junho, o País comprou US$ 5 bilhões mais em mercadorias do que vendeu ao exterior. Em 1995,0 déficit na balança comercial havia sido de US$ 4,2 bilhões.

Protesto: felizes e de alma lavada

O trio de voluntários que protestou no gramado do Maracanã durante a festa de encerramento da Copa das Confederações - com faixas contra a privatização do estádio e a favor da causa gay - sentia ontem a sensação de dever cumprido: “As vozes da rua se fizeram presentes", disse a atriz Claudia Wer.

Após mal-estar, Brasil fica sem nota da Fifa

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, não deu uma nota para a Copa das Confederações, mas disse ter certeza de que o Brasil será aprovado no Mundial de 2014. A decisão de não dar uma pontuação foi tomada após o mal-estar causado pela nota 7 que o País recebeu na sexta-feira pela preparação da Copa.

José Paulo Kupfer: Doping fiscal

Escancararam-se a baixa eficiência e a falta de transparência das políticas fiscais, males crônicos das finanças federais, estaduais e municipais.

Caminhoneiros param estradas em 9 Estados

Caminhoneiros e manifestantes fizeram ontem 35 protestos em 23 rodovias de 9 Estados do País. Eles pedem redução no preço dos pedágios e dos combustíveis, mudanças na legislação e mais segurança. À tarde, a Justiça determinou o desbloqueio das estradas federais. Em São Paulo, a Tropa de Choque agiu para liberar a Castelo Branco. Inicialmente, os protestos estavam programados para terminar só amanhã. Cerca de 50 moradores de Itapecerica da Serra bloquearam, na manhã de ontem, o Trecho Sul do Rodoanel. O grupo reivindicava melhorias para a cidade.

 

CORREIO BRAZILIENSE

Dilma tem pressa para o plebiscito. E o Brasil?

Governo envia hoje ao Congresso os temas para a consulta popular sobre a reforma política. TSE já estuda a melhor data

Principal bandeira do Palácio do Planalto para conter a onda de manifestações, a proposta de plebiscito será apresentada nesta terça-feira. Ontem, durante reunião ministerial, Dilma Rousseff disse que gostaria de ver mudanças já nas próximas eleições. Isso, no entanto, só seria possível se as alterações fossem aprovadas até um ano antes do pleito, marcado para 5 de outubro de 2014. A presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministra Cármen Lúcia, convocou os presidentes dos 27 TREs para debater os prazos. Sem consenso entre os parlamentares e na sociedade, a proposta deve encontrar forte resistência

Nas ruas contra a corrupção

Cerca de 500 pessoas marcharam ontem pelo centro de Brasília. Os manifestantes seguiram pacificamente pelas principais avenidas da cidade, mas houve um pequeno tumulto ao lado do prédio da Câmara Legislativa

Ingressos "serão os mais baratos"

A promessa da Fifa, Jérôme Valcke, aos torcedores que esperavam para hoje a definição de quanto vão gastar para ver os jogos do Mundial de 2014.

Governo prepara cortes de R$ 20 bi

Diante da onda de desconfiança que varre o país, a presidente Dilma Rousseff garantiu ontem aos investidores que cumprirá um dos cinco pactos listados por ela para responder às demandas que vêm das ruas: o controle das contas públicas. Ela enfatizou que o governo vai “olhar onde é possível e onde não é possível” para atingir a meta de superavit primário de 2,3 % do Produto Interno Bruto (PIB), como demanda o mercado financeiro, assustado com a gastança que está empurrando a inflação para muito além do centro da meta, de 4,5%, perseguida pelo Banco Central. Entre a equipe econômica, a promessa é de que haja um contingenciamento de gastos entre R$ 15 bilhões e R$ 20 bilhões.

Rombo recorde na balança comercial

Apesar de ter apresentado um superavit de US$ 2,394 bilhões em junho, a balança comercial acumula um rombo de US$ 3 bilhões no ano, o pior resultado em um primeiro semestre nos últimos 18 anos — o saldo negativo só foi maior nos primeiros seis meses de 1995, quando atingiu US$ 4,2 bilhões. Os dados foram divulgados ontem pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic). Segundo a secretária de Comércio Exterior, Tatiana Prazeres, as importações de petróleo foram as principais responsáveis pelo desequilíbrio.

Bloqueados o acesso ao Porto de Santos

O trânsito em várias rodovias do país foi interrompido, ontem, por caminhoneiros que reivindicavam, entre outros pontos, a mudança do tempo de descanso imposto pela Lei n.º 12.619, conhecida como a Lei do Motorista. Em São Paulo, eles usaram paus e pedras para bloquear os acessos ao Porto de Santos. Preocupado com o efeito dos protestos na atividade econômica e nas exportações, o governo federal pediu e obteve, na Justiça, uma liminar que proíbe o fechamento das vias.

Egípcios dão ultimato ao presidente

Enquanto a oposição exige a renúncia de Mohamed Morsy, as Forças Armadas deram dois dias para que o mandatário atenda as reivindicações. A população voltou ontem às ruas.

Médicos: Estrangeiros vão ganhar até R$10 mil

O salário para os médicos de outros países será o mesmo oferecido aos brasileiros dispostos a trabalhar no interior. Entidades anunciam mobilização contra a chegada de profissionais do exterior.

Pressão popular chega aos distritais

Pedido de reabertura de processos contra os deputados Aylton Gomes, Rôney Nemer e Benedito Domingos obriga Mesa Diretora a interromper o recesso de julho paia avaliar o documento.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!