Jornais: preso presidente de empresa parceira da Fifa por máfia dos ingressos

Britânico Raymond Whelan é suspeito de liderar quadrilha internacional de venda de ingressos da Copa do Mundo

FOLHA DE S.PAULO

Suspeito de chefiar máfia de ingressos é preso no Rio

Raymond Whelan é diretor de empresa associada à Fifa; ele nega. CEO de empresa parceira da Fifa é preso. Britânico Raymond Whelan é suspeito de liderar quadrilha internacional de venda de ingressos.

No momento em que a Fifa se prepara para a principal semana da Copa do Mundo, um executivo de empresa parceira da entidade foi preso no Rio sob suspeita de liderar uma quadrilha internacional de venda de ingressos.

O britânico Raymond Whelan, diretor-executivo da Match, foi detido nesta segunda (7) pela Polícia Civil do Rio no Copacabana Palace, QG da Fifa na Copa.

A Match é a única firma autorizada pela Fifa a vender ingressos associados a pacotes de hospedagem para a Copa. A entidade máxima do futebol negou irregularidades.

A polícia atribui a Whelan a chefia do grupo que começou a ser desmontado no dia 1º, com a prisão de 11 pessoas no Rio e em São Paulo. O diretor é o "graúdo" ligado à Fifa citado na semana passada por investigadores do caso.

Whelan negou as suspeitas ao ser abordado por policiais no hall do hotel. No momento estavam no local o príncipe Albert de Mônaco, o ex-jogador argentino Caniggia e diretores da Fifa.

A polícia chegou ao hotel às 15h40. Informado da prisão, o diretor da Match foi levado ao seu quarto, onde foram apreendidos 82 ingressos para as semifinais e final da Copa, US$ 2.000, um notebook e o celular pelo qual Whelan conversava com o franco-argelino Lamine Fofana, outro suspeito do caso.

Batismo de fogo

Em busca de vaga na final, Brasil enfrenta Alemanha com time que nunca jogou junto e com David Luiz estreando como capitão

No Twitter, Barbosa agora fala do Mundial

O ex-presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, estreou uma conta na rede social Twitter, o @joaquimboficial --e três das quatro atualizações tratam da Copa do Mundo.

A última, de sábado (5), sugere escalação da seleção contra a Alemanha. "Luiz Gustavo, Fernandinho, Paulinho, Ramires ou William; Hulk, Fred. Bernard como arma no segundo tempo", escreve.

Previsão de gastos do PMDB nos Estados é a maior entre partidos

Os três maiores partidos do país lideram a previsão de gastos das campanhas para governador deste ano.

Entre todas as legendas, o PMDB é o partido com orçamentos mais elevados, com despesa estimada de R$ 36,9 milhões para cada candidato a governador, em média.

O PT aparece logo atrás, com média de R$ 34 milhões, seguido pelo PSDB, que estimou despesas de R$ 31,9 milhões por candidatura.

Decisão da Justiça de SP anula convenção que lançou Padilha

Uma decisão de caráter provisório da Justiça de São Paulo derrubou a suspensão partidária que havia sido imposta pelo PT ao deputado estadual Luiz Moura e anulou a convenção estadual da legenda ocorrida no mês de junho.

A decisão cria um embaraço ao partido no início da campanha eleitoral e, se for mantida, invalida todas as candidaturas do PT no Estado, inclusive a de Alexandre Padilha, que disputa o governo paulista.

Campos diz que recusou oferta do PT para ser protagonista em 2018

O candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB) afirmou nesta segunda-feira (7) ter recusado propostas feitas pelo governo para que ele permanecesse na coalizão de apoio a Dilma Rousseff (PT), entre elas uma "para 2018".

A referência é a uma sinalização de setores do PT de que ele seria o candidato da aliança Palácio do Planalto daqui a quatro anos caso se mantivesse fiel a Dilma.

A declaração de Campos foi dada em resposta à pergunta sobre por que o PSB, que hoje considera Dilma um fracasso, só rompeu com o governo em setembro.

"Quando vimos que o projeto tinha inconsistências, fizemos a crítica interna. E fizemos o que não é comum na política, saímos do governo. Pela porta da frente. A nós foram tentadas várias promessas, de participação no governo, de participação em chapa, promessa para 2018", disse.

Rescisão de serviço de celular, internet e TV será automática

A partir desta terça (8), empresas de telefonia, TV paga e internet serão obrigadas a dar ao usuário opção de cancelar o serviço automaticamente, sem passar por atendimento de funcionário. A rescisão poderá ser feita no site ou por opção em menu telefônico

 

 

O GLOBO

Preso diretor de empresa ligada à Fifa

Sem Neymar, Felipão esconde o jogo

Em SP, um roubo de R$ 80 milhões

Dilma planeja ofensiva digital e cria equipes no governo e no PT

Após fazer uma maratona de inaugurações e lançamentos de programas até o último sábado, limite previsto por lei, a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição, iniciou a campanha eleitoral apostando numa ofensiva digital. A sua estratégia na internet é formulada por um tripé formado pelas equipes de governo, de campanha e do PT.

No Palácio do Planalto, essa área é chefiada pelo ministro Thomas Traumann (Comunicação Social). É dele a responsabilidade pelo perfil institucional do Planalto no Facebook, no qual ontem a presidente respondeu ao vivo sobre a Copa do Mundo. Nessa conta só podem ser divulgadas ações de governo. Traumann ainda cuida da conta de Dilma no Twitter, que, por ter caráter pessoal, pode tratar de política.

Campos volta a criticar Dilma e diz que o povo só vai pensar em política com o fim da Copa

O presidenciável Eduardo Campos (PSB) terminou seu segundo dia oficial de campanha eleitoral em sua terra natal, Pernambuco, em evento de apoio ao candidato Paulo Câmara, candidato do seu partido ao governo do estado. Ao falar para cerca de 1.200 pessoas, Campos voltou a defender que ‘Dilma saia de trás do marqueteiro’, tal como discurso já defendido nesta manhã em Brasília. O socialista ainda voltou a acusar as “velhas raposas” de estarem “roubando o que é do povo”:

— O Brasil está mais vulnerável. o Brasil não aguenta tanto patrimonialismo, tanto fisiologismo. Não aguenta tanta coisa errada. Nós estamos deixando passar o bonde da história, que outros não deixaram passar. Getúlio Vargas não deixou passar, no pós-guerra (Mundial), e colocou o Brasil no futuro. Juscelino Kubistcheck não deixou passar, e colocou o Brasil no futuro. E nós estamos perdendo a janela de oportunidades, no Brasil pós-2008, na mediocridade de uma frente conservadora, atrasada, patrimonialista, e isso o povo não quer mais. Não tenho dúvida de que o Brasil vai mudar com muita força — discursou o socialista.

Deputados estaduais e candidatos à reeleição no Rio respondem a processos na Justiça

A menos de três meses das eleições, 15 deputados estaduais fluminenses - 21% da bancada da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) - respondem a 23 processos por crimes eleitorais. Doze deles são candidatos novamente. Entre os crimes estão abuso de poder, conduta vedada, captação ilegal de recursos, abuso econômico e captação ilícita de votos, cuja pena prevista é de cassação do mandato ou da diplomação.

Os processos foram iniciados pela Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) ainda durante a campanha eleitoral de 2010 e correm hoje no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Mas os parlamentares conseguiram se eleger e exercer seus mandatos até hoje, sem que o processo fosse concluído pela Justiça Eleitoral.

Garotinho chama Lindbergh de ‘candidato dos mensaleiros’

No segundo dia de campanha, o deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) continuou em sua “zona de conforto” eleitoral. Na noite desta segunda-feira, ele foi para a Pavuna, na Zona Norte do Rio, aos pés da favela do Chapadão, e conversou com moradores e candidatos a deputado da região. Além de criticar o governo do PMDB do ex-governador Sérgio Cabral e de Luiz Fernando Pezão, Garotinho chamou o candidato petista ao Palácio Guanabara, Lindbergh Farias, de “candidato dos mensaleiros”. Sobre o escândalo de compra de votos de parlamentares, deflagrado em 2005, o ex-governador fez questão de lembrar que a presidente Dilma Rousseff, que ele apoia, apenas “pagou o preço” do ex-presidente Lula:

— A Dilma está pagando a conta do Lula, o mensalão foi no governo do Lula, não no da Dilma. O Lindbergh é candidato da turma do mensalão — disse o ex-governador.

Garotinho chegou ao lado da filha e candidata à Câmara, Clarissa Garotinho, da candidata ao Senado, Liliam Sá (PROS-RJ), e com o vice Marcio Garcia. Ele comentou que já marcou reuniões na Zona Sul do Rio para tentar diminuir os índices de rejeição que tem na capital do estado. Segundo o republicano, sua rejeição é mínima se comparada com os números de Dilma e o tucano Aécio Neves.

 

O ESTADO DE S.PAULO

Máfia do ingresso: diretor de sócia Fifa é preso

Dilma entregará taça e já fala em outra Copa

Felipão faz mistério

Governo estuda ceder mais áreas do pré-sal à Petrobras

Bando faz cem reféns e roubam 40 mil produtos eletrônicos

 

VALOR ECONÔMICO

Cenário define ganhadores e perdedores do mercado

Micro versus macro. O cenário desafiador imposto à bolsa brasileira no primeiro semestre deixou uma separação nítida entre os principais ganhadores e perdedores do mercado

Americanas e B2W captam R$ 2,6 bilhões

Duas empresas de varejo que têm entre seus sócios os empresários Jorge Paulo Lemann, Beto Sicupira e Marcel Telles estão tomando empréstimos do BNDES que somam R$ 2,66 bilhões

Campanhas publicitárias vão até o fim

O Brasil na semifinal da Copa do Mundo, algo que não acontecia há 12 anos, reforça o otimismo dos anunciantes. Mesmo que a seleção não passe pela Alemanha hoje, as marcas, algumas patrocinadoras da seleção, vão manter campanhas nas mídias tradicional e digital

Nova atitude

A Copa já é um sucesso, segundo Carlos Alberto Parreira, coordenador técnico da seleção brasileira. "Os estádios estão ótimos, as imagens passadas para o mundo, excelentes e a qualidade dos jogos é ótima", disse a Letícia Casado, do "Valor"

Neymar e o hexa se tornam assunto de Estado

O golpe que tirou Neymar da Copa teve impacto também no governo. Ele ainda se contorcia no gramado do Castelão quando Dilma ligou para ministros em busca de informações sobre a gravidade da lesão. A contusão do atacante, misturada com a questão eleitoral, virou assunto de Estado

Negociação busca salvar fusão Oi-PT

Nas negociações para salvar a fusão entre Oi e Portugal Telecom, o principal desejo das empresas é contornar o problema criado pela aplicação bilionária da tele portuguesa na holding do grupo Espírito Santo sem ter de mexer na relação de troca da operação

'Contrabando' em MP favorece setor de bebidas

A indústria de bebidas tenta mudar o sistema de tributação do setor por meio de um artigo incorporado a uma medida provisória que tratava originalmente de energia

Nespresso sonha com fábrica no país

Em sua primeira visita ao país como executivo-chefe global da Nespresso, Jean Marc Duvoisin disse estimar que a categoria atinja uma presença de 20% no país no longo prazo. "Se o Brasil crescer bastante, podemos brigar por uma fábrica aqui", disse Stefan Nilsson, diretor da marca no país

General deixa diretoria-geral do Dnit

PR cobiça autarquia, controlada pelo partido até 2011, que pretende investir R$ 13 bilhões neste ano

Dilma "sentiu" a contusão de Neymar

Presidente quer o hexa para animar sua campanha

Joaquim Barbosa adia aposentadoria para agosto

 

Intenção é permitir mais tempo para transferir as atividades da presidência ao ministro Ricardo Lewandowski

Aécio escolhe coordenador financeiro

Ex-ministro de FHC assume a função; tesoureiro será Frederico Pacheco, colaborador de outras campanhas do tucano

Para FHC, Copa não se mistura com política

Campos diz que PT quis tirá-lo do páreo

Janot vai ao TSE contra propaganda antecipada

Partido define articulador de campanhas estaduais

Cúpula petista intervém na Paraíba e no Amazonas

 

CORREIO BRAZILIENSE

Brasil na cabeça

Ninguém duvida. Neymar é fora de série. Da mesma estirpe de um Pelé e de um Garrincha, ele desequilibra. A joelhada que o tirou da Copa comoveu o país. De tal forma que seu nome virou grito de guerra da torcida. E uma máscara do craque será distribuída no Mineirão, como parte de uma campanha publicitária . (Págs. 17 a 22 - Superesportes)

Máfia de ingressos leva sócio da Fifa à cadeia

Ressaca pós-Copa e eleições fazem PIB de 1% ficar cada vez mais próximo

A economia começou o segundo semestre do ano em marcha lenta. Em meio à piora geral da indústria e do varejo, dois dos principais motores do crescimento econômico, o Produto Interno Bruto (PIB) continua a dar sinais cada vez mais claros de estagnação. A sensação geral que atinge empresários e famílias é de que os resultados já ruins deverão piorar nos próximos meses. Não por acaso, as apostas do mercado financeiro para o desempenho do PIB caíram pela sexta semana consecutiva, para uma alta de apenas 1,07%. São projeções que, embora mais fracas, ainda são consideradas otimistas por diversos especialistas.

“Hoje, um crescimento de 1% do PIB está mais para o teto das projeções do que para um resultado que efetivamente possa ser alcançado em 2014”, disse a economista-chefe da XP Investimentos, Zeina Latif. “No início do ano, nós prevíamos um avanço do PIB de no, máximo, 1,5%, mas essa projeção teve de ser revisada para baixo, diante do contexto mais complicado que a economia brasileira tem enfrentado recentemente”, assinalou.

Candidatos a governador não começaram com intensidade campanha nas ruas

Com o país em clima de Copa do Mundo, a maioria dos postulantes aos governos estaduais evitou aparições públicas e o corpo a corpo com os eleitores. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, os atuais governadores e candidatos à reeleição Geraldo Alckmin (PSDB-SP) e Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ) passaram o dia cumprindo agendas de governo. “Campanha só no almoço, à noite e nos fins de semana”, disse Alckmin no último domingo. Enquanto isso, o senador e candidato ao governo do Rio Lindbergh Farias (PT) visitou ontem as cidades de Macaé e Cabo Frio. Já o deputado federal Anthony Garotinho (PR) se focou na organização da campanha e, à noite, participou de uma reunião com apoiadores no bairro de Itabuna, na periferia da capital carioca. O candidato do PSol, Tarcísio Motta, caminhou com a candidata à Presidência pela legenda, Luciana Genro, no centro da cidade.

Em Minas Gerais, os dois principais candidatos ao governo, Pimenta da Veiga (PSDB) e Fernando Pimentel (PT), se dedicaram ao corpo a corpo com os eleitores em Belo Horizonte, cidade em que os dois já foram prefeitos. Pimentel passou a tarde na comunidade Aglomerado da Serra ao lado do ex-ministro Patrus Ananias. O tucano, por sua vez, visitou a Feira de Artesanato da cidade, no centro. As escolhas estão relacionadas ao trabalho desenvolvido pelos dois quando estavam à frente da prefeitura: o tucano teria sido o responsável pela transferência da feira para a área central de BH, incrementando a renda dos artesãos; já o petista lançou no Aglomerado um programa de melhorias da infraestrutura urbana de áreas carentes.

Oposição crê em propaganda antecipada em bate-papo de Dilma no Facebook

No primeiro dia de agenda oficial da presidente Dilma Rousseff como candidata, no exercício do cargo, a linha que separa a campanha e o comando do Executivo deu um nó. Logo pela manhã, a página pessoal da presidente no Facebook, administrada pelo PT, anunciou que ela responderia ali perguntas sobre a Copa do Mundo às 10h. A publicação foi apagada e, quase duas horas depois, a Secretaria de Comunicação do Planalto informou que a presidente conversaria com internautas na página do Palácio do Planalto. Especialistas dizem que o bate-papo institucional é controverso no aspecto da promoção pessoal e, assim, defendem regras claras sobre o uso da máquina pública.

Candidato Aécio Neves vai defender o legado de Fernando Henrique Cardoso

Um dia depois do início oficial da campanha eleitoral, o candidato do PSDB à Presidência, senador Aécio Neves (MG), avaliou que a disputa só fará parte da rotina do eleitor brasileiro com o fim do Mundial de futebol, neste fim de semana. “Após a Copa do Mundo, as pessoas vão estar mais conectadas com a eleição. A eleição entrará na agenda de boa parte da população brasileira que ainda está alheia a ela hoje”, comentou.

O tucano se reuniu ontem, em São Paulo, com a coordenação de equipe para definir estratégias regionais. Aécio aproveitou o encontro para demonstrar que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso será figura presente na campanha e terá o legado defendido

Mais sobre Copa do Mundo

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!