Jornais: PF investiga se verba da compra da casa de governador saiu da Delta

Cheques que pagaram Marconi Perillo são de confecção que recebeu R$ 250 mil da Delta por meio de empresa fantasma de Cachoeira, informa Folha

FOLHA DE S. PAULO

 

PF investiga se verba da compra da casa de governador saiu da Delta

A Polícia Federal investiga se o dinheiro que pagou a compra da casa do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), saiu da empreiteira Delta, que recebeu pelo menos R$ 48 milhões do governo goiano em 2011.

Os cheques que pagaram o imóvel, de 454 m², são de uma confecção chamada Babioli, que recebeu R$ 250 mil da Delta por meio de uma empresa-fantasma do grupo de Carlinhos Cachoeira, a Alberto e Pantoja. A Babioli é de uma cunhada de Cachoeira, preso na Operação Monte Carlo, da PF.

A PF já identificou que o dinheiro da Delta foi parar numa conta da Babioli numa agência da Caixa Econômica Federal em Anápolis (GO).

Os investigadores agora querem saber se os cheques emitidos pela Babioli para a compra da casa de Perillo saíram desta mesma conta na Caixa Econômica que recebeu verba da Delta.

A cronologia dos fatos reforça a suspeita de ligação de dinheiro da Delta com a compra do imóvel. Em 30 de março de 2011, a Delta transferiu R$ 1 milhão para a Alberto e Pantoja. Cinco dias depois, a Pantoja repassou R$ 250 mil para a Babioli.

A investigação está em fase de perícia. Se atingir Perillo, a PF terá de enviar os dados para a Procuradoria-Geral da República, pois o governador tem privilégio de foro. Inquérito no Superior Tribunal de Justiça investiga relações de Perillo e Cachoeira.

Subprocurador recebeu R$ 161 mil de aliado de Cachoeira

Laudos da Polícia Federal afirmam que o grupo de Carlinhos Cachoeira, empresário acusado de comandar um esquema de exploração ilegal de jogos, pagou R$ 161 mil ao escritório de advocacia de Geraldo Brindeiro, que também é subprocurador-geral da República.

O grupo de Cachoeira é investigado pela Procuradoria-Geral da República, órgão já comandado por Brindeiro durante o governo Fernando Henrique Cardoso.

Segundo a PF, os depósitos saíram da conta de Geovani Pereira da Silva entre 2009 e 2010. Ele é considerado o tesoureiro do grupo e está foragido da Polícia Federal.

O escritório de advocacia Morais, Castilho & Brindeiro, que tem como sócio o subprocurador, é citado como um dos "principais destinatários" do dinheiro da conta de Pereira da Silva. O documento da polícia não diz para que o dinheiro foi usado.

Ruralistas e verdes atacam vetos ao Código Florestal

O governo anunciou que a presidente Dilma vetará 12 dos 84 artigos do Código Florestal e enviará ao Congresso uma medida provisória para introduzir outras mudanças, reabrindo a disputa em torno da lei ambiental. O anúncio, que desagradou tanto ambientalistas como ruralistas, elucidou apenas dois dos vetos.

O mais polêmico deles retira da lei o que o governo qualificou como anistia ao desmatamento ilegal feito em matas na beira de rios. Dessa forma, ela tentou evitar desgastes às vésperas da cúpula ambiental Rio+20.

A presidente buscou um meio termo entre os interesses de produtores rurais e as exigências feitas pelos ambientalistas, mas recebeu críticas de ambos os lados. Os ambientalistas queriam o veto total ao código e reclamam, principalmente, da falta de informações. Já os ruralistas estão descontentes com o alto custo do reflorestamento para os grandes produtores, exigido pelo novo texto.

Fernando Rodrigues: Planalto quis dar resposta antes de cúpula ambiental

Câmara do DF compra sistema que grampeia ligações

A Câmara Legislativa do Distrito Federal comprou por R$ 301 mil um equipamento capaz tanto de detectar a existência de grampos quanto de fazê-los. Ela é idêntica à utilizada pela Casa Militar do DF -que, segundo parlamentares da oposição, foi usada para monitorar ilegalmente adversários do governador Agnelo Queiroz (PT).

A Câmara diz que os equipamentos têm "a única finalidade de contra-vigilância" e não serão usados para interceptar ligações.

O líder do PT na Câmara, Chico Vigilante, afirmou que a compra é "absolutamente desnecessária, absurda, sem sentido". O deputado defende que a Câmara chame a Polícia Civil ou a Polícia Federal para fazer varreduras se houver suspeita de grampos ilegais. "Impressiona a capacidade da Casa de gerar notícia negativa", completou.

STJ nega recurso para processar réus do mensalão por improbidade

O ministro Humberto Martins, do STJ (Superior Tribunal de Justiça), negou um recurso proposto do Ministério Público Federal (MPF) que pedia abertura de ação de improbidade administrativa contra 15 réus da denúncia do mensalão. Entre os beneficiados estão José Dirceu, Delúbio Soares, Marcos Valério e José Genoino.

O recurso nada tem a ver com a ação penal do mensalão que corre no STF (Supremo Tribunal Federal).

O MPF propôs a abertura de uma ação por improbidade na primeira instância da Justiça Federal do Distrito Federal, mas acabou tendo o pedido negado, sob o argumento de que, contra os ex-ministros José Dirceu e Anderson Adauto, não caberia ação de improbidade, por ocuparem cargos políticos.

Sob pressão de Dilma, Flores deixa a Previ

Por determinação do Palácio do Planalto, Ricardo Flores renunciou ontem à presidência da Previ, o fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil. Ele deu lugar a Dan Conrado, vice-presidente de varejo do BB. O conselho deliberativo do fundo aprovou o nome de Conrado para comandar a Previ de 2010 a 2014.

Flores poderia ficar no cargo por mais quatro anos. Ontem, ele mal conseguiu concluir a leitura de sua carta-renúncia. Foi às lágrimas. Nos últimos dias, já resignado com sua saída, Flores foi atendido em um último pedido: "Gostaria apenas de completar dois anos aqui". Ele se desligará oficialmente do fundo no dia 1º de junho, quando completa o período.

A demissão põe fim a uma queda de braço entre Flores e o presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine. Para que não saísse atirando, foi feito um acordo -cumprido à risca.

O conselho deliberativo da Previ arquivou processo para investigar operação suspeita de compra de imóvel feita por Flores.

Dilma deve fechar o Galeão para os chefes da Rio+20

O governo deve fechar parcialmente o tráfego aéreo no aeroporto internacional do Galeão durante a Conferência Rio+20.

A Folha apurou que o aeroporto pode ficar fechado de 20 a 23 de junho, das 16h à 0h, para receber os voos dos mais de cem chefes de Estado que devem participar da conferência.

Efetivada, a medida levará ao cancelamento de cerca de cem voos domésticos e afetará 15 mil passageiros -6.000 da TAM e 9.000 da Gol e da Webjet. Os voos internacionais não serão atingidos.

País tem ruas iluminadas, mas falta saneamento

O esgoto a céu aberto e o lixo nas ruas estão no entorno de 11% e de 5% dos domicílios brasileiros, respectivamente, segundo dados coletados pela primeira vez pelo IBGE no Censo 2010. Por outro lado, 96% das moradias têm iluminação pública.

A pesquisa revela grande disparidade regional, onde o Norte e o Nordeste têm índices piores de lixo e saneamento que a média nacional. Devido à urbanização mais recente, o Centro-Oeste destaca-se com os melhores indicadores.

Aluno faz greve em universidade de SP caindo aos pedaços

Salas de aula abafadas, refeitório improvisado e 30 mil livros em caixas. Sem infraestrutura, alunos da Universidade de Guarulhos estão em greve desde 23 de março. Ontem, ocuparam a Diretoria Acadêmica. No país, 70% das federais têm algum grau de paralisação.

Representantes da praça Tahrir estão fora do 2º turno no Egito

O segundo turno da primeira eleição livre da história do Egito será um duelo entre o representante do islã e um aliado do ex-ditador Hosni Mubarack – ambos distantes dos ideais da praça Tahrir, que derrubou um regime de três décadas. Na largada para o segundo turno, os dois reivindicam o papel de defensores da revolução.

Irã possui urânio enriquecido acima do limite, diz ONU

Inspetores da agência nuclear da ONU descobriram no Irã rastros de urânio enriquecido a 27%, grau acima do limite legal e que facilitaria chegar em meses aos 90% necessários à bomba atômica. O governo iraniano disse que pode ter ocorrido falha técnica.

Europa denuncia Argentina à OMC por protecionismo

A União Européia apresentou denúncia à OMC contra travas a importações impostas pela Argentina. Além das licenças exigidas dos importadores, o bloco criticou a obrigação de que todas as compras do exterior sejam compensadas por exportações.

Inadimplência do consumidor sobe em abril, diz BC

A inadimplência subiu em três das quatro categorias de financiamento ao consumidor monitoradas pelo Banco Central em abril. Quase 6% do total destinado à compra de veículos não foi quitado. Para analistas, o cenário reflete o elevado comprometimento dos salários.

 

O GLOBO

 

Dilma enfrenta ONGs e ruralistas com 12 vetos

A menos de um mês da abertura da Rio+20, a presidente Dilma Rousseff sancionou ontem, com 12 vetos, o novo Código Florestal, endurecendo regras contra o desmatamento. Dilma vetou a anistia aos desmatadores, que fora aprovada na Câmara, e editou uma medida provisória com 32 mudanças, entre elas a que obriga produtores rurais a recuperar áreas degradadas nas margens de rios, de acordo com o tamanho da propriedade. “Não tem anistia”, resumiu a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. Ao todo, as 44 modificações provocaram reações de ambientalistas, que defendiam o veto total, e de ruralistas. O deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) ameaça ir à Justiça contra a MP que será editada segunda-feira. O presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, deputado Homero Pereira (PSD-MT), disse que os cortes foram mais “palatáveis” que o esperado. Para ONGs como WWF, Greenpeace e SOS Mata Atlântica, o texto tem brechas jurídicas.

Novo Código Penal deverá incluir crimes ambientais

Consumidor "verde" gasta mais

Pesquisa do GLOBO mostra que o consumidor ecologicamente correto, de produtos como os de higiene, alimentos, roupas e decoração, paga, em média, 90% mais.

Galeão restringirá voos domésticos durante a Rio+20

 

PT arrecadou R$ 44 milhões de empresas

Outrora defensor das campanhas de arrecadação de fundos entre filiados, o PT mudou. Para tentar acabar com o déficit de R$ 44,5 milhões que registrou no final de 2010, a legenda partiu para uma ofensiva no ano passado sobre grandes empresas, a maior parte dela com negócios milionários com o governo federal. Assim, conseguiu em 2011, um ano sem eleições, R$ 50,7 milhões em doações, fechando as contas ainda no vermelho, mas com a dívida bastante reduzida: R$ 6,4 milhões. O que o PT arrecadou ano passado corresponde a aproximadamente 20 vezes o que o PMDB e o PSDB, cada um, no mesmo período. De contribuição de seus filiados, o PT contabilizou pouco mais de R$ 7 milhões.

A forte arrecadação do ano passado permitiu que o partido reduzisse pesadamente o déficit que cultivava há anos. Desde 2004, o PT vinha fechando as contas com déficits superiores a R$ 25 milhões. À exceção de 2010 (R$ 44 milhões), a dívida atingiu seu maior valor, R$ 33,1 milhões, em 2006, um ano depois do escândalo do mensalão.

A oposição acredita que parte da arrecadação acabou sendo usada para a quitação da dívida do mensalão. O pagamento dos empréstimos contraídos no Banco Rural foi comunicado ao Supremo Tribunal Federal em março deste ano pela defesa do ex-presidente do PT José Genoino - a dívida paga, segundo o comunicado do partido, foi de R$ 8,3 milhões.

Esquema de laranjas da Delta funcionou em SP

Além do Rio e Goiás, a rede de laranjas que recebia dinheiro da Delta, por meio do esquema do bicheiro Carlinhos Cachoeira, também tem ramificações em São Paulo. A empresa RCI Software e Hardware Ltda, que se favoreceu de um saque de R$ 196 mil, segundo investigação da Operação Monte Carlo da Polícia Federal, tem como sócio um desempregado que mora em uma casa simples da periferia da Zona Norte da capital paulista. Outras duas empresas da cidade aparecem como beneficiárias e o valor total dos saques chega a R$ 586 mil.

Eufranio Ferreira Alves, de 65 anos, ficou surpreso ao ser informado que a RCI tinha ligação com o esquema de Cachoeira.

- Eu não vi um centavo desse dinheiro. Estou passando por dificuldades.

A investigação da Operação Monte Carlo mostra que a RCI sacou R$ 196 mil da Alberto & Pantoja Construções e Transportes, capitalizada, segundo a Polícia Federal, com 99,9% de recursos da Delta Construções.

Eufranio afirma não ter um emprego fixo desde 1995. Conta que vive de alguns bicos na área de contabilidade. De acordo com registro na Junta Comercial de São Paulo, ele é responsável por R$ 940.500 dos R$ 950 mil do capital social da empresa. Ele entrou na sociedade em março do ano passado.

Outras duas empresas fizeram saque

De maio de 2010 a abril de 2011, a Delta repassou R$ 26.247,052 à RCI Software e Hardware Ltda - apenas R$ 3.100 de tudo o que foi movimentado não vieram da Delta. Segundo a investigação, que quebrou o sigilo da empresa, a Pantoja não apresentou declaração de Imposto de Renda em 2010. No Rio, reportagem do GLOBO mostrou ontem que empresas que sacaram dinheiro na Brava Construções - capitalizada com 98% de recursos da Delta - têm sócios laranjas.

Outras duas empresas de São Paulo também sacaram dinheiro da Pantoja. A Camarada Comércio foi beneficiada por R$ 303 mil. A empresa tem sede em um prédio comercial, também na região da Avenida Paulista. Pelo número do conjunto registrado, a Camarada deveria ficar no 15 andar do edifício, mas o prédio só tem 14 andares. Já a Safira Tecnologia e Comércio recebeu R$ 87 mil. A empresa funciona na Zona Leste de São Paulo. O sócio majoritário da empresa não estava no local na tarde de ontem.

O juiz Carlos Alberto da Silva, da 1ª Vara da Fazenda Pública, cassou a liminar que mantinha a Delta Construções à frente de dois contratos para o recolhimento do lixo do Distrito Federal. A empresa ainda pode recorrer, mas se a decisão for mantida a Delta deverá ser substituída pelas concorrentes Sustentare (ex-Qualix) e Valor Ambiental. Os dois contratos são da ordem de R$ 470 milhões. Esta seria a maior perda financeira da Delta desde o surgimento do escândalo sobre o envolvimento de dirigentes da empresa com o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

 

TCU: apenas uma a cada cinco obras do PAC ficou pronta na gestão de Lula

O Tribunal de Contas da União (TCU) revelou que só uma a cada cinco obras da primeira versão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) ficou pronta até o fim do governo Luiz Inácio Lula da Silva. O programa, que vigorou de 2007 a 2010, terminou aquele ano com 13.653 ações, das quais 2.947 foram concluídas, em valor equivalente a R$ 192 bilhões ou 13,73% do valor final do PAC 1.

Na virada de 2010 para 2011, em meio à campanha e posse da presidente Dilma Rousseff, o governo descumpriu a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e uma determinação do TCU ao não divulgar o balanço final do PAC 1. Em 2011, o primeiro balanço de Dilma já foi apresentado como do PAC 2, carregando obras do PAC 1. Segundo relatório dos técnicos do TCU, a decisão unilateral do governo provocou o descumprimento de acórdão do tribunal, que determinava a apresentação das informações a cada quatro meses.

PF indicia 7 por queda de prédio no Rio

A PF indiciou sete pessoas pelo desabamento de três prédios no Centro do Rio, que causou 17 mortes, em janeiro. Os acusados são quatro operários, o síndico do Edifício Liberdade e o presidente e a administradora da empresa que fazia a obra que, segundo a polícia, causou a queda.

 

O ESTADO DE S. PAULO

 

Dilma muda Código por MP e veta anistia a desmatador

Pressionada por setores da sociedade civil e às vésperas de ser a grande anfitriã da conferência Rio+20, a presidente Dilma Rousseff decidiu vetar 12 pontos do texto do Código Florestal aprovado pela Câmara. Dilma não deu anistia a desmatadores e, via medida provisória, vai estabelecer novas faixas de proteção para as Áreas de Preservação Permanente à beira de rios, que serão proporcionais ao tamanho da propriedade. Serão feitas 32 modificações no texto da Câmara - 14 recuperam o projeto aprovado no Senado. Os ambientalistas, que queriam o veto total, não ficaram satisfeitos. Parta eles, faltou clareza sobre as mudanças que Dilma fará no Código. Já os ruralistas consideram uma vitória que Dilma não tenha vetado tudo e esperam poder negociar o tema quando a medida provisória for votada.

João Paulo Capobiano – Ambientalista

“Foi um pronunciamento genérico. A forma de tratar um assunto tão polêmico foi irresponsável”.

Ministra do STF espera que colegas mostrem salários

Após divulgar seu contracheque, que revelou um salário bruto de R$ 33 mil, a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, que também preside o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disse acreditar que os outros ministros seguirão seu exemplo. “O Supremo definiu que nós e os servidores teríamos que liberar, então eu acho que no TSE o encaminhamento deverá ser o mesmo. Todos os tribunais terão que resolver diretamente com seus servidores por causa da autonomia”, disse.

Segundo Cármen Lúcia, os tribunais estão trabalhando intensamente para dar pleno atendimento à nova lei. “Teremos uma nova reunião na próxima quarta para verificar como é que se vai cuidar de todos os aspectos”, informou.

A ministra informou que pretende apresentar na reunião um projeto de resolução defendendo “o acesso pleno” a todas as informações. “A ideia é essa mesma. A República é pública”, destacou a ministra, ontem, em Belo Horizonte, durante homenagem na PUC-Minas, onde é professora licenciada. De acordo com a ministra, o

TSE criou um Núcleo de Atendimento ao Cidadão. O novo serviço contará com um espaço físico na sede do tribunal, onde a população poderá acessar informações sobre a instituição, como determina a Lei da Transparência, e também fazer a solicitação daquelas que ainda não estão disponíveis.

ONU cobra mais ações por direitos humanos

Os programas de erradicação da miséria, tratados como prioridades do governo federal, e destacados durante o Exame Periódico Universal (EPU) do Brasil, ontem, em Genebra, não são considerados pela comunidade internacional suficientes para resolver os problemas de desrespeito aos direitos humanos no País. A delegação brasileira, liderada pela ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, apresentou o relatório com as medidas adotadas pelo governo federal entre 2008 e 2011, e ouviu sugestões dos membros das Nações Unidas. A maioria das recomendações recaiu sobre a necessidade de melhorar o sistema prisional e a proteção a defensores de direitos humanos.

Falou-se, ainda, em aprimorar o sistema judiciário e garantir a independência de juízes. Alguns membros da ONU citaram as violações de direitos humanos na Usina de Belo Monte e cobraram proteção a jornalistas e profissionais da imprensa. Países como Dinamarca, Espanha, Estados Unidos e Grã-Bretanha fizeram r eferência à s e xecuções cometidas pela Polícia Militar e pediram o fim da prática, a prisão e julgamentos dos responsáveis. Houve, ainda, sugestões de acabar com a Polícia Miliar. “A Dinamarca recomenda que o governo do Brasil trabalhe para abolir o sistema de Polícia Militar e promova medidas mais efetivas para reduzir a incidência das execuções extrajudiciais.” O Canadá destacou a necessidade de evitar desocupações forçadas nas reestruturações urbanas para a Copa de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.

Governistas na CPI vão convocar Marconi Perillo

Os partidos aliados aceleraram o fechamento de um acordo para aprovar apenas a convocação do governador de Goiás, o tucano Marconi Perillo, pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Cachoeira, na reunião administrativa prevista para terça-feira. Diante do mal-estar e de ameaças do PMDB, os petistas concordaram em manter a blindagem ao governador do Rio, Sérgio Cabral. Por ora, a estratégia é tentar poupar o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), mas setores do PT já admitem deixá-lo à própria sorte se a oposição ameaçar paralisar a CPI. A alegação para poupar os governadores de partidos da base aliada é de que eles não aparecem envolvidos diretamente com o esquema ilegal do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Mas os aliados já foram avisados de que essa ação cirúrgica para atingir apenas o tucano pode paralisar a CPI e forçar uma operação toma-lá-dá-cá, com o sacrifício do petista. Para preservar Cabral, o PMDB ameaçou: se o governador fluminense for convocado, o PT ficará isolado na CPI. O "troco", segundo um peemedebista, virá na aprovação de requerimentos com "alto teor de periculosidade para o governo", como a convocação de Luiz Antonio Pagot, ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutu- ra (Dnit), e a quebra dos sigilos de todos os contratos da Delta com o governos federal e estaduais.

Demóstenes recebia grupo no gabinete

Um relatório da Polícia Legislativa complicou ainda mais a situação do senador Demóstenes Torres (ex-DEM, sem par- tido-GO). O registro de entrada e saída do Senado mostrou que integrantes do esquema do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, frequentavam o gabinete do parlamentar. No ano passado, foram registradas duas visitas de Gleyb Ferreira da Cruz, espécie de faz-tudo do grupo de Carlinhos Cachoeira, responsável de operações financeiras a contatos políticos. Em 2007 e 2008, foram oito visitas do araponga Idalberto Matias de Araújo, conhecido como Dadá, braço direito de Cachoeira. Além do gabinete, a Polícia Federal suspeita que o próprio apartamento f uncional de Demóstenes era usado para encontros do grupo. Em conversas interceptadas durante a Operação Monte Carlo, Dadá relata uma reunião de integrantes do esquema no local.

Procuradoria tenta abortar manobra de réus

Parecer da Procuradoria Regional da República da 1.ª Região tenta abortar a manobra dos réus do esquema comandado por Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, de anular a prisão dos denunciados por causa do foro privilegiado do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO). A estratégia, repetida pela defesa dos investigados na Operação Monte Carlo, ainda não prosperou. A Justiça acatou a manifestação do MP e negou os habeas corpus. No pedido de Geovani Pereira da Silva, contador de Cachoeira que está foragido, o Ministério Público sustenta que as investigações tinham como foco desarticular uma organização criminosa envolvida com a exploração ilegal de caça-níqueis, bingos e jogo do bicho em Goiás. O MP diz ainda que buscava informações sobre a participação de agentes públicos estaduais e federais, em especial na área de segurança pública. Segundo o MP, Demóstenes, assim como outros políticos com prerrogativa de foro, aparece nos encontros de forma fortuita com o grupo e durante as investigações não era possível identificar evidência da participação do parlamentar no esquema criminoso.

Governo pode afrouxar contas para ajudar economia

O governo pode reduzir o esforço fiscal deste ano para que a economia cresça mais, informam Adriana Fernandes e Lu Aiko Otta. Essa possibilidade é considerada pela equipe econômica como alternativa caso a crise internacional se intensifique e as medidas já anunciadas de estímulo ao crédito e ao consumo sejam insuficientes para alcançar o novo objetivo: crescer mais do que os 2,7% do ano passado. A hipótese de fechar as contas com um saldo menor para pagamento de juros da dívida, o chamado superávit primário, daria mais fôlego para o governo adotar medidas de estímulo, como o aumento das despesas totais (não apenas os gastos com investimentos, mas também de custeio), mesmo num cenário de desaceleração da arrecadação. O governo também quer abrir espaço para novas desonerações tributárias, medida que a presidente Dilma Rousseff considera fundamental para ajudar as empresas.

Inadimplência cresce

Taxa de atraso acima de 90 dias no crédito de veículos subiu de 5,7% em março para 5,9% em abril.

A cidade do bem-estar

Bem cuidada e arborizada, Buritizal é a cidade mais organizada de SP, de acordo com o Censo 2010 do IBGE. No Estado, oito em cada 10 domicílios, em média, têm boas condições urbanísticas no seu entorno.

2º turno no Egito deve ter islâmico e ex-premiê

Projeções apontam que o candidato da Irmandade Muçulmana, Mohamed Morsi, enfrentará Ahmed Shafik, último premiê do governo Hosni Mubarack, no segundo turno da eleição egípcia.

Tendência de alta de homicídios em SP se confirma

O número de homicídios dolosos no Estado cresceu 5,4% de janeiro a abril, ante igual período de 2011. A tendência contraria a tese de que a alta registrada em março foi “um ponto fora da curva”.

Governo não vai bancar assentos no Itaquerão

Mordomo do papa é preso com documentos secretos

 

 

CORREIO BRAZILIENSE

 

Agora, nem rezando, Brunelli

Protagonista da famosa “oração da propina” no escândalo da Caixa de Pandora, o ex-deputado distrital é acusado de desviar dinheiro público que deveria beneficiar idosos.

Quando ainda era parlamentar, Júnior Brunelli apresentou emendas favorecendo a Associação Monte das Oliveiras (AMO), criada por parentes dele. Em 2009, o Governo do DF liberou R$ 2,6 milhões para a entidade. Investigações da Polícia Civil mostram que o dinheiro, que deveria beneficiar projetos sociais voltados para idosos, foi desviado por Brunelli. Por determinação da Justiça, foram presos três acusados de participar do esquema – o contador Carlos Antônio Carneiro, 41 anos, o empresário Spartacus Savite, 39, e um assessor do ex-distrital, Adilson de Oliveira, 46. Mas, até as 23h de ontem, o ex-distrital, de 42 anos, não havia sido localizado e era considerado foragido.

Rands busca a bênção de Lula

Com a decisão da Executiva Nacional do PT de anular as prévias ocorridas no último domingo para definir o pré-candidato do partido à Prefeitura do Recife, o secretário estadual de Governo e postulante ao Executivo municipal, Maurício Rands, aproveitou a agenda em São Paulo para conversar com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ontem. O assunto foi justamente as novas prévias na capital pernambucana, marcadas para 3 de junho.

A visita de Rands ao ex-presidente é mais um sinal de que o PT quer agradar ao máximo o governador de Pernambuco, Eduardo Campos — que também é o presidente nacional do PSB —, forçando-o a decidir o mais rapidamente possível o apoio do PSB a Fernando Haddad (PT) na disputa pela Prefeitura de São Paulo. Rands é o nome apoiado por Campos — de forma velada, para não melindrar alguns setores do PT pernambucano — para a Prefeitura do Recife.

No último domingo, as prévias internas deram a vitória à João da Costa, atual prefeito, que pretende concorrer à reeleição. Mas Rands, o ex-prefeito João Paulo e o senador Humberto Costa afirmaram que houve golpe na disputa. Na última quinta, a Executiva Nacional do PT, reunida em São Paulo, anulou a disputa e marcou as novas prévias.

Polícia investiga outros suspeitos

Não está descartado o envolvimento, no esquema criminoso, de funcionários da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Social e Transferência de Renda (Sedest). À época da liberação do dinheiro, o órgão era chefiado por Eliana Pedrosa, hoje deputada distrital.

Rio+20 pauta os vetos do Planalto ao projeto

Após anunciar a nova versão para o Código Florestal, a presidente Dilma teve um momento de descontração e brincou com o neto, Gabriel. A decisão do governo desagradou a ruralistas e a ambientalistas, mas evitou grandes polêmicas antes da conferência mundial, em junho.

Injúria racial: Polícia indicia médico. PM é insultado

Acusado de desrespeitar a funcionária de um cinema, o psicanalista Heverton de Menezes foi denunciado à Justiça. Ontem, após bater o carro em Taguatinga, um engenheiro chamou o policial de “negão”.

Avaliações sob suspeita na cultura

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!