Jornais: João Paulo Cunha renuncia ao mandato

Condenado no mensalão, deputado do PT diz que deixa a Câmara “com a consciência do dever cumprido”

FOLHA DE S.PAULO

João Paulo Cunha renuncia ao mandato

Preso em Brasília por seu envolvimento com o esquema do mensalão, o ex-presidente da Câmara dos Deputados João Paulo Cunha (PT-SP) renunciou ontem ao mandato parlamentar, por meio de carta à direção da Casa.

A carta foi entregue à noite à Secretaria-Geral da Câmara e distribuída depois pela liderança do PT. No breve texto, o petista diz que deixa a Câmara "com a consciência do dever cumprido".

A carta tem ainda uma citação do escritor e jornalista cubano Leonardo Padura: "...pois a dor e a miséria figuram entre aquelas poucas coisas que, quando repartidas, tornam-se sempre maiores".

Condenado a nove anos e quatro meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro, João Paulo disse várias vezes nos últimos meses que não renunciaria e iria até o fim para manter o mandato.

A renúncia será oficializada na segunda, quando a carta será lida na Câmara. Com isso, o petista, que presidiu a Casa entre 2003 e 2005, evita o desgaste de enfrentar um processo de cassação.

Procurador pede prisão de ex-governador tucano

Eduardo Azeredo é acusado de participar do mensalão do PSDB em Minas; ele nega

Azeredo diz que é inocente, e Aécio sai em sua defesa

O deputado federal e ex-governador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) afirmou que confia no STF (Supremo Tribunal Federal), "que decidirá ouvindo também as alegações da defesa". Em nota, ele disse reiterar "sua inocência com relação às acusações".

O deputado afirmou ainda estranhar a "contradição entre o relatório da Procuradoria e as provas apresentadas". De acordo com Azeredo, "é inacreditável que o procurador-geral da República [Rodrigo Janot] tenha considerado, em suas alegações finais, o depoimento e documentos' fabricados por um falsário [Nilton Monteiro] já desmascarado e preso". (...)

O senador Aécio Neves (PSDB-MG), provável candidato ao Planalto, saiu ontem em defesa do deputado. Ele disse, porém, ver como provável a exploração do caso por seus adversários. "Mas essa questão está a tantos anos-luz do mensalão [do PT], que significou a utilização do Estado para mensalmente pagar apoio ao governo. Se houve algum delito, deve ser punido, mas foi um momento da campanha eleitoral", afirmou.

Sobre Azeredo, Aécio disse que "até os adversários reconhecem a sua honestidade". "O que eu posso dizer é que o governador Eduardo Azeredo é reconhecido em Minas como homem de bem", acrescentou.

Itália rejeita pedido de liberdade para Henrique Pizzolato

Em audiência, petista diz que não quer voltar ao Brasil e afirma que sua condenação no Supremo foi 'política'

Mulher de ex-diretor do Banco do Brasil critica o PT

Em entrevista à revista "IstoÉ", a mulher de Henrique Pizzolato, Andrea Haas, criticou o PT por nunca ter, segundo ela, enfrentado "esse processo [o do mensalão] de frente". "[O partido] Deixou-se carimbar", completou.

Ela disse que o marido não sabia que era monitorado pela polícia italiana e que não esperava ser preso na Itália. A mulher de Pizzolato também contou que as janelas do apartamento onde estavam em Maranello ficavam fechadas devido ao inverno.

Andrea disse estar "arrasada" com a prisão do marido e que ele "está angustiado e decepcionado".

Ela criticou o julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal e afirmou esperar que a "Justiça italiana seja mais correta e íntegra" que a brasileira.

"Na União Europeia, os direitos humanos e o amplo direito de defesa são garantias fundamentais. Hoje, a vida do Henrique não é mais dele", declarou.

Ditadura vigiou filhos do deputado Rubens Paiva

Documentos secretos da ditadura militar revelam que os órgãos da repressão espionaram os filhos do deputado Rubens Paiva mesmo após o desaparecimento dele.

O parlamentar foi morto sob tortura após ser preso clandestinamente em 1971. Ele foi visto pela última vez num quartel do Exército onde funcionava o Doi-Codi, na Tijuca, zona norte do Rio.

De acordo com os novos papéis, o escritor Marcelo Rubens Paiva e a psicóloga Vera Paiva foram seguidos e fichados durante 13 anos.

O último documento é de 1984, ano que antecedeu a redemocratização do país.

O relatório, do Centro de Informações da Aeronáutica, faz um resumo biográfico de Marcelo e afirma que ele era filiado ao PT. Segundo Vera Paiva, a informação é falsa.

Em 1981, o SNI (Serviço Nacional de Informações) escreveu que Vera estava "ultimando um trabalho sobre torturas no país", que ainda não havia sido apresentado.

Polícia diz que rojão de manifestante feriu cinegrafista

Testemunha diz que artefato usado em protesto foi acionado por homem com o rosto coberto

Racionamento de água chega a duas cidades da Grande SP

Rodízio na 2º maior cidade do Estado atinge 210 mil habitantes e seis bairros

Tá sobrando?

Homem lava faixa de pedestre no Ibirapuera, zona sul de SP; Folha flagra desperdício de água em áreas nobres da cidade, apesar do risco de racionamento

 

CORREIO BRAZILIENSE

Procurador pede 22 anos de prisão para Azeredo

Ex-governador de Minas Gerais, o hoje deputado Eduardo Azeredo (PSDB-MG) é acusado de desviar R$ 3,5 milhões dos cofres de estatais para a campanha em que disputou a reeleição em 1998.0 procurador-geral da República, Rodrigo Janot, também recomendou ao STF que ele seja condenado por lavagem de dinheiro. Em nota, a assessoria do parlamentar negou as acusações.

Após três dias na Papuda, João Paulo renuncia ao mandato

Petista abre mão do mandato de deputado federal e diz que deixa a Câmara com "consciência do dever cumprido"

Três dias após ser preso, o deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP) decidiu renunciar ao mandato parlamentar, segundo informou, na noite de ontem, a Secretaria-Geral da Mesa Diretora da Câmara. Na carta de renúncia, ele diz que deixa o Congresso “com a consciência do dever cumprido”.

O petista vinha sofrendo pressão de colegas — inclusive do próprio partido — para que deixasse o cargo. No entanto, ele chegou a anunciar, na segunda-feira, durante almoço com militantes acampados em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF), que não pretendia renunciar. Segundo deputados do PT, ele estava disposto a enfrentar o processo de cassação e a votação em plenário.

Na quinta, João Paulo Cunha chegou a pedir autorização na Vara de Execuções Penais do Distrito Federal (VEP) para deixar o Complexo Penitenciário da Papuda durante o dia para trabalhar na Câmara, exercendo a função de deputado. Entretanto, o pedido não chegou a ser analisado.

Na noite de ontem, o líder do PT na Câmara, Vicentinho (SP), divulgou nota em nome da bancada do partido na Casa na qual “manifesta profundo respeito e solidariedade à decisão e reafirma a certeza da inocência do companheiro”. “Reiteramos ainda que João Paulo Cunha terá o nosso apoio em todas as iniciativas que vier a tomar para demonstrar os equívocos, os erros e as omissões que permearam o julgamento no âmbito da Ação Penal 470”, diz a nota.

Com emprego e carteira, cubana se alojará no DF

A profissional que abandonou o Mais Médicos começa no novo trabalho na semana que vem. DEM quer audiência com ministras para defender os direitos da estrangeira

A médica cubana Ramona Matos Rodríguez, que fugiu de Pacajá (PA), onde atuava pelo programa Mais Médicos, teve a carteira de trabalho emitida ontem na Delegacia Regional do Trabalho de Brasília. O documento servirá para que ela exerça uma função administrativa na Associação Médica Brasileira (AMB), a partir da próxima semana. Na segunda-feira, ela será ouvida na Procuradoria Regional do Trabalho para esclarecer o motivo de ter dito que foi “enganada” pelo governo de Cuba ao receber cerca de R$ 2,5 mil enquanto os demais profissionais estrangeiros ganham, pelo menos, R$ 10 mil na iniciativa. Ontem, o DEM pediu uma audiência entre a médica e a ministra de Direitos Humanos, Maria do Rosário, e a da Secretaria das Mulheres, Eleonora Menicucci.

A proposta de trabalho foi feita pela AMB na última quinta-feira. O órgão, que havia se posicionado contra o Mais Médicos na época do lançamento, em julho do ano passado, se dispôs a ajudar a cubana e a prepará-la para o teste do Revalida. Se ela for aprovada, poderá exercer a medicina no Brasil mesmo depois de ser desligada do programa do governo federal. Ramona é hoje refugiada provisória no país, graças ao requerimento entregue ao Conselho Nacional para os Refugiados (Conare) na quarta-feira. Não há data para que seu caso seja julgado — há na fila outros 1,5 mil pedidos de estrangeiros.

Mascarado lançou rojão que atingiu cinegrafista

Artefato explodiu na cabeça de profissional da TV Band que filmava protesto contra aumento de passagens de ônibus no Rio. Ele foi operado e permanecia internado na UTI em estado grave.

Do cafezinho ao pão, até 150% de inflação

Na hora de planejar o orçamento familiar, muita gente nem considera os pequenos gastos com padaria, cafezinho, balinhas, picolés, garrafinhas de água... Mas é bom se preocupar: essas despesas pesam cada vez mais no bolso do brasileiro, apesar de o índice oficial de inflação divulgado ontem ter apontado uma desaceleração em janeiro.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!