Jornais: Dilma libera R$ 2 bi em emendas para acalmar Congresso

Presidente autorizou dinheiro temendo derrotas do governo em votações no Congresso

FOLHA DE S.PAULO

Dilma libera R$ 2 bi em emendas para acalmar Congresso

Temendo derrotas do governo em votações no Congresso, a presidente Dilma autorizou a liberação de R$ 2 bilhões em emendas de deputados e senadores ao Orçamento

São Paulo vai ter 'PAC' de R$ 8 bilhões, diz Haddad

Pacote de obras para transporte, habitação e contra enchentes será anunciado hoje

Tubulação de água se rompe no Rio, e criança de 3 anos morre

O rompimento de uma tubulação de água em Campo Grande, na zona oeste do Rio, provocou a morte de uma menina de 3 anos

Leilão do trem-bala deve ser adiado de novo pelo governo

A onda de protestos, a perda de interesse de investidores e o acidente de trem na Espanha devem levar o governo a adiar outra vez o leilão do trem-bala

Projeto de corredor de ônibus prevê 26 viadutos e 10 pontes

A Prefeitura de São Paulo quer construir 26 viadutos, dez pontes, três passagens inferiores e um túnel para viabilizar a criação de 129 km de corredores de ônibus

EUA condenam militar que vazou para o WikiLeaks

O soldado Bradley Manning, que vazou documentos sigilosos do governo dos EUA para o WikiLeaks, foi absolvido da acusação de colaborar com o inimigo

Sufocante

Policiais detêm manifestante em protesto no largo da Batata contra Geraldo Alckmin; houve depredação de bancos e loja de carros

 

O GLOBO

 

Enchente estatal: Adutora rompe, mata criança, destrói casas e inunda bairro

O rompimento de uma adutora da Cedae matou uma menina de 3 anos e deixou um rastro de destruição, ontem, em Campo Grande, na Zona Oeste. O jato d'água, que atingiu 20 metros de altura, inundou três quarteirões, destruiu 17 casas, invadiu outras 200, arrastou carros e deixou 16 feridos. Bombeiros usaram botes para resgatar as vítimas, levadas para hotéis da região. Moradores dizem que a tubulação apresentava rachaduras e que, recentemente, funcionários da Cedae fizeram reparos na adutora. A companhia desmente. A polícia, porém, suspeita que o acidente seja resultado de um conserto malfeito ou de terraplenagem. Ao visitar o local, ao lado do prefeito Eduardo Paes, o governador Sérgio Cabral foi hostilizado por um grupo de moradores.

Uma caixa-preta que guarda milhões

A Cedae, empresa de economia mista controlada pelo governo do estado, lucrou R$ 163 milhões no ano passado. Mas, sem regulação, suas últimas contas analisadas pelo TCE são de 2007.

Manifestação em SP tem novos atos de vandalismo

Um protesto ontem em São Paulo contra os governadores Geraldo Alckmin (PSDB) e Sérgio Cabral (PMDB) terminou com ao menos 20 detidos e com uma agência bancária e uma concessionária de veículos depredadas. Também houve tumulto em ato em Goiânia contra o governador Marconi Perillo (PSDB), e, em Belo Horizonte, a sede da prefeitura foi desocupada por um grupo de sem-teto. No Rio, depois de arquivar inquérito que acusava Bruno Teles de arremessar um coquetel molotov durante protesto em frente ao Palácio Guanabara, o MP pede que se investigue agora a ação policial.

Penúria orçamentária: Cortes criam mal-estar com militares

A pedido do Ministério da Defesa, a Marinha recuou da decisão de dar folga geral às sextas para enfrentar os cortes de verba. Mas a insatisfação continua também no Exército e na FAB. Em 2013, os cortes na Defesa já passam de R$ 4 bi. Mas serão liberados R$ 6 bi de emendas parlamentares.

Reprova Brasil: Bom índice não garante qualidade

De 362 municípios que tiveram "alto” ou "muito alto” IDH em educação no país, só dois passam com nível satisfatório no Prova Brasil, que mede qualidade do ensino.

Quá, quá, quá: R$ 2,1 milhões para proteger prefeito

O prefeito de Maricá gasta mais de R$ 2 milhões de dinheiro público por ano para ter segurança privada. Washington Quaquá (PT) alega ameaças, que jamais foram levadas à polícia.

A fonte do WikiLeaks: Soldado condenado escapa de perpétua

Principal fonte do WikiLeaks, o soldado americano Bradley Manning se livrou da acusação de traição à pátria, mas foi condenado em 20 crimes, que podem resultar em até 136 anos de prisão.

 

O ESTADO DE S. PAULO

 

Dilma libera R$ 6 bi em emendas até o fim do ano

Pressionada por aliados e antevendo nova rebelião no Congresso a partir da próxima semana, quando deputados e senadores voltam das férias, a presidente Dilma Rousseff determinou a liberação de recursos para três lotes de emendas parlamentares, num total de R$ 6 bilhões. Dilma pediu aos dez ministros com quem se reuniu ontem no Palácio da Alvorada uma lista dos principais projetos contidos nas emendas paradas em cada pasta. Embora o governo tenha anunciado corte adicional de R$ 10 bilhões no Orçamento para cumprir a meta fiscal e recuperar a confiança do mercado na política econômica, Dilma decidiu manter a reserva para o pagamento de emendas. A presidente foi aconselhada a agir para neutralizar a proposta do orçamento impositivo, que tornaria obrigatória a execução das emendas parlamentares, movimento liderado pelo PMDB. Os R$ 6 bilhões devem ser liberados em três parcelas, em agosto, setembro e novembro.

Presidente anuncia recursos para Haddad

A presidente Dilma Rousseff anuncia hoje em SP a liberação de recursos que auxiliarão a Prefeitura a implantar 127 km de corredores de ônibus na capital, ao custo de R$ 4,4 bilhões. A cerimônia é uma aposta para melhorar a avaliação do prefeito Fernando Haddad (PT). Além da linha de financiamento para mobilidade urbana, Dilma anunciará verbas para obras de drenagem e habitação.

Tropa de Choque reprime protesto em SP e prende 20

Pela segunda vez em cinco dias, manifestantes ocuparam vias de São Paulo, destruíram lixeiras, atearam fogo em sacos plásticos, quebraram vidros de lojas e enfrentaram a polícia durante protesto contra a gestão Geraldo Alckmin (PSDB) e pela desmilitarização da Polícia Militar. Ao menos 20 pessoas foram presas. Mas a ação, que no início da noite de ontem prometia paralisar São Paulo, foi abafada pela PM, que deslocou mais de 200 homens para conter os cerca de 150 manifestantes. O ato começou às 18 horas no Largo da Batata, em Pinheiros, e seguiu para a Avenida Paulista. A Tropa de Choque acompanhou o protesto e chegou a usar bombas de gás para conter episódios de vandalismo.

Adutora rompe no Rio e mata criança

O rompimento de uma adutora no bairro de Campo Grande, na zona oeste do Rio, matou uma criança de 3 anos, feriu outras 16 pessoas, destruiu 17 casas, vários carros e deixou 70 desalojados na madrugada de ontem. O governador Sérgio Cabral (PMDB) e o prefeito Eduardo Paes (PMDB) estiveram no local, mas foram hostilizados por moradores. A visita fez parte da estratégia que Cabral iniciou para tentar reverter sua queda de popularidade, atualmente em 12%. Desde 6 de junho vêm sendo realizados protestos sob o lema “Fora Cabral”.

Superávit do semestre fica abaixo da meta

A economia feita pelos governos federal, estaduais e municipais para pagamento de juros da dívida caiu 20% no primeiro semestre. Na comparação com o PI B, foi o pior desempenho da série iniciada em 2001.0 superávit ficou em R$ 52,2 bilhões, ou 2,25%do PIB. Nos 12 meses encerrados em junho, resultado equivale a 2%. A meta é 2,3%.

Fleury volta a defender ação no Carandiru

OAB propõe estágio em comunidades carentes

 

 

 

CORREIO BRAZILIENSE

 

Governo dá a aliados R$ 2 bi e tira R$ 1 bi dos militares

Redução no orçamento da Defesa leva a Marinha a anunciar corte de um dia de trabalho de seu pessoal, mas depois recua. Em reunião, Dilma cobra de ministros pressa na liberação de emendas de parlamentares.

Médicos protestam em 16 estados e no DF

A paralisação de dois dias, iniciada ontem, é em repúdio ao Programa Mais Médicos, do governo federal. Serviços de urgência e de emergência foram mantidos, mas cirurgias previamente marcadas acabaram suspensas. No Distrito Federal, pacientes tiveram de enfrentar longa espera para serem atendidos. A UnB se posicionou contra o aumento de dois anos na duração do curso de medicina.

Bando leva R$ 500 mil de banco em Taguatinga

Assaltantes renderam funcionários do Banco do Brasil da QNE17, invadiram o cofre da agência e fugiram a pé com o dinheiro.

Morte e destruição no rastro do descaso

O rompimento de uma adutora derrubou casas e alagou ruas no bairro de Campo Grande, Zona Oeste do Rio. Uma menina de 3 anos morreu quando a mãe tentava salvá-la da inundação. Obras malfeitas no sistema podem ter provocado o acidente.

Dívida pública: Tesouro usa R$ 128,8 bi das reservas

Desconfiança de investidores obrigou o governo a resgatar quase R$ 130 bilhões em títulos no primeiro semestre deste ano. Do dinheiro guardado para enfrentar emergências, teria sobrado menos de R$ 95 bilhões em caixa.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!