Jornais: ‘deputado do castelo’ deve substituir Azeredo

Edmar Moreira (PTB-MG) telefonou para a Secretaria-Geral da Câmara anunciando que estava pronto para assumir. Ele usou dinheiro público em suas próprias empresas

FOLHA DE S.PAULO

'Deputado do castelo' deve substituir Azeredo

A saída da cena política do ex-deputado Eduardo Azeredo (PSDB-MG) trará de volta ao Congresso Edmar Moreira (PTB-MG), protagonista de uma crise na Câmara em 2009 e que ficou conhecido como o "deputado do castelo".

Ontem, minutos após a divulgação de que o tucano pretendia renunciar ao mandato, Moreira se movimentou para garantir o posto.

Ele telefonou para a Secretaria-Geral da Câmara anunciando que estava pronto para assumir porque o primeiro suplente, Ruy Muniz (DEM-MG), atual prefeito de Montes Claros, não pegaria a vaga. Os técnicos, contudo, avisaram que a substituição teria de respeitar o protocolo.

Hoje a Câmara deve procurar Muniz, que já avisou que não vai largar a prefeitura, onde tem ainda dois anos de gestão. Só após a negativa é que a Casa acionará Moreira.

Segundo os técnicos, o "deputado do castelo" pode ficar no posto até abril, quando um dos quatro deputados titulares que estão ocupando cargos no governo de Minas devem retomar seus mandatos.

Saiba mais, no Congresso em Foco: Edmar Moreira gastou dinheiro público em suas empresas

 

Réu no mensalão tucano, deputado Azeredo renuncia

Ex-governador perde foro privilegiado, e caso pode  voltar à 1ª instância; petistas falam em manobra

Presidente do PTB anuncia apoio a Dilma

O presidente do PTB, Benito Gama, diz que seu partido já decidiu dar apoio formal à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). Segundo ele, "não é porque está forte, porque está fraco" o projeto eleitoral da petista que seu partido embarcará na coalizão.

"Isso é ponto pacífico", disse Gama em entrevista à Folha e ao UOL. Há chance de recuo? "Não, não há chance." Afirma também que o PTB estará pronto "para reagir, ajudar a levantar, a contornar o que aparecer", se Dilma enfrentar dificuldades.

Na reta final, STF tende a livrar réus de crime de quadrilha

O Supremo Tribunal Federal entra na etapa final do julgamento do mensalão hoje com a expectativa de derrubar as condenações por formação de quadrilha de réus como o ex-ministro José Dirceu, o ex-presidente do PT José Genoino e o ex-tesoureiro da sigla Delúbio Soares.

O mensalão chegou ao STF em 2006 e começou a ser julgado em plenário em 2012. Na primeira fase do julgamento, que até agora consumiu 65 sessões e se tornou o mais longo da história da corte, 25 foram condenados por crimes como corrupção, lavagem de dinheiro e peculato (desvio de recursos públicos).

A maioria dos ministros ainda entendeu que nove dos condenados haviam formado uma quadrilha para desviar recursos públicos e pagar a base aliada do Congresso no primeiro governo de Lula.

Eleições:  Impasse sobre nome de Marina em SP causa saída de porta-voz da Rede

A discussão sobre quem vai representar a Rede na disputa pelo governo de São Paulo gerou uma crise dentro do partido que a ex-senadora Marina Silva (hoje no PSB) tenta criar e contribuiu para a primeira baixa entre os "marineiros".

Célio Turino, porta-voz estadual da Rede --cargo máximo em um diretório na hierarquia da sigla-- pediu anteontem para deixar o posto. "Estou saindo mais por questões de organização do que por política. Vida partidária é muita coisinha, muita bobagem", afirmou.

Venezuela adia audiência sobre soltura de rival de Maduro

A Justiça da Venezuela mudou o local da audiência que definirá se o líder opositor Leopoldo López ficará preso ou responderá a nove acusações, entre as quais terrorismo, em liberdade

Beleza roubada

A miss Génesis Carmona, 22, é carregada após ser baleada em Valencia, no norte da Venezuela, em protesto anteontem contra o governo Maduro; ela é a quinta pessoa a morrer na onda de manifestações no país

Clóvis Rossi

Brasil não pode cometer o erro de tomar partido num país dividido

Dilma diz que pode usar até Forças Armadas em atos na Copa

A presidente Dilma Rousseff afirmou ontem que poderá usar até as Forças Armadas para conter protestos violentos durante a Copa do Mundo, que começa em junho.

"A Polícia Federal, a Força Nacional, a Polícia Rodoviária, enfim, todos os órgãos do governo federal estão prontos e orientados para agir dentro de suas competências. Se e quando for necessário nós mobilizaremos também as Forças Armadas", disse Dilma, em entrevista a rádios de Alagoas, ao ser questionada sobre atos de vandalismo.

A declaração ocorre após protestos violentos recentes pelo país --incluindo a morte do cinegrafista da Band Santiago Andrade, atingido por um rojão de manifestantes no último dia 6 no Rio.

Vídeos com casos de justiçamento se espalham pelo país

Vídeos em redes sociais mostram que casos de justiçamento têm se espalhado pelo país. Nos últimos dias, houve três agressões a suspeitos em Goiânia, além de episódios em Santa Catarina e no Piauí

Ponto cego

Edifício em construção nos arredores do parque Ibirapuera; por temerem perder a vista do obelisco, moradores da região tentam parar a obra

 

CORREIO BRAZILIENSE

Azeredo renuncia ao mandato na Câmara

Em carta, deputado rechaça denúncias de peculato e lavagem de dinheiro na campanha pela reeleição ao governo de Minas em 1998 e diz que deixa o cargo para preservar o PSDB e eleitores. STF decidirá se processo contra ele vai ou não para a justiça de primeira instância.

Um tiro na liberdade de protestar

Um dia depois da prisão do líder oposicionista Leopoldo López, a morte da miss e modelo profissional Gênesis Carmona, de 22 anos, acirrou ainda mais os ânimos na Venezuela. Estudante de ciências sociais, a jovem participava de manifestação pacífica contra o governo, na terça-feira, quando foi baleada na nuca por milicianos pró-Maduro. Chegou a ser socorrida e levada de moto para hospital, mas não resistiu ao ferimento. É a quarta pessoa a morrer vítima da forte repressão aos protestos de rua no país. A oposição convocou nova marcha para sábado e pediu à sociedade para não reagir a provocações de chavistas.

Ucrânia, sob pressão dos EUA e da UE, anuncia trégua

 

Exército irá às ruas contra manifestação

A presidente confirmou que poderá convocar as Forças Armadas para impedir tumultos no Mundial. Dilma Rousseff disse que o governo vai tratar como criminosos aqueles que participarem de atos de vandalismo. "Pessoas que escondem o rosto para se manifestar não são democratas", disse.

Reajuste para PMs custará R$93 milhões

O GDF fará remanejamento de verbas para bancar o aumento dos auxílios moradia e alimentação. Na trilha dos militares, os policiais civis já se mobilizam por melhorias salariais.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!