Jornais: Conferência tem mais de 20 grandes temas sem acordo

Energia, clima, reforma do sistema financeiro e biodiversidade estão entre os grandes assuntos ainda em aberto na Conferência das Nações Unidas, a Rio+20, informa O Globo

O GLOBO

 

Conferência tem mais de 20 grandes temas sem acordo

Sobram temas e falta consenso entre os diplomatas que negociam o texto final para a Conferência das Nações Unidas, a Rio+20, no Riocentro. Energia, clima, reforma do sistema financeiro e biodiversidade estão entre os grandes assuntos ainda em aberto. Em 81 páginas do documento que está em discussão, há 835 colchetes, o que, na linguagem da diplomacia, significa que ficam pendentes para serem resolvidos num segundo momento, como informam Liana Melo e Eliane Oliveira. Mas o tempo está se esgotando. Tanta discordância já leva técnicos a apostar que será impossível fechar a última rodada de negociações até amanhã, como previsto. Boa parte da decisão final deverá mesmo ficar para os chefes de Estado e governo e chanceleres. A questão da erradicação da pobreza é outro tema polêmico: os EUA querem que se coloque a palavra “extrema” antes de pobreza. Já os países pobres e emergentes rechaçam a ideia.

Um fundo de US$ 30 bi

A China e integrantes do chamado G-77 (grupo que reúne 130 países pobres e emergentes) podem criar fundo de US$ 30 bi anuais para financiar ações sustentáveis nas nações em desenvolvimento. A proposta facilitaria acordo no documento final da Rio+20.

Ana Cristina Barros

Representante da ONG The Nature Conservancy propõe tom conciliatório para implantar uma economia verde. Não adianta só pregar contra o capitalismo.

Sérgio Abranches

Em seis semanas em Nova York, países não conseguiram chegar a acordo que agora precisa ser arrancado em poucas horas nos bastidores do Riocentro.

MP pede a STJ para investigar Agnelo e Perillo

O procurador-geral da República pediu abertura de três inquéritos no STJ para investigar a ligação dos governadores Marconi Perillo (GO) e Agnelo Queiroz (DF) com o bicheiro Cachoeira. Agnelo ofereceu à CPI a quebra de seus sigilos, forçando Perillo a fazer o mesmo.

Agnelo nega relações com Cachoeira e oferece à CPI a quebra de seus sigilos

Citado em conversas gravadas pela Polícia Federal na Operação Monte Carlo, o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), negou ontem, em depoimento de quase dez horas à CPI do Cachoeira, que tenha qualquer relação com o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, e com dirigentes da Delta Construções. Em tentativa de fazer um contraponto ao governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), que depôs no dia anterior, Agnelo ofereceu à comissão a quebra de seus sigilos bancário, fiscal e telefônico. O governador teve dificuldades, porém, para explicar a compra de uma casa em 2007 por R$ 400 mil e a intermediação da visita que fez à Vitapan, empresa de Cachoeira, em 2009.

Também foi lacônico ao falar das providências tomadas contra o soldado da PM João Dias, que, ano passado, jogou mais de R$ 100 mil em sala do Palácio do Buriti, dizendo que estava devolvendo dinheiro que teria recebido para deixar de fazer denúncias. Dias foi o pivô do escândalo das ONGs que resultou na queda do ex-ministro Orlando Silva do Ministério do Esporte. Durante o interrogatório, Agnelo acusou repetidas vezes a organização de Cachoeira de conspirar contra seu governo, porque ele teria contrariado os interesses da construtora Delta,uma das empresas contratadas para coleta do lixo no Distrito Federal. Depois de falar por uma hora na abertura da sessão, o governador abriu mão dos sigilos bancário, fiscal e telefônico.

Nova contradição na venda da casa de Perillo

O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e sua assessoria entraram em contradição sobre a quitação da casa no condomínio Alphaville, em Goiânia, vendida para o professor Walter Paulo Santiago e que estava sendo ocupada por Carlinhos Cachoeira, quando foi preso, em fevereiro deste ano.

A casa fora adquirida por Perillo e sua mulher, Valéria Peixoto Perillo, em 22 de novembro de 2006. Na época, de acordo com os documentos do 4º Cartório de Goiânia, Perillo pagou R$ 202 mil com recursos próprios e financiou R$ 348 mil. O imóvel custou R$ 550 mil e foi adquirido do casal Waldir Lourenço de Lima e Maria Inês Nunes. O financiamento da Caixa Econômica Federal (CEF) deveria ser pago em 15 anos, com prestação inicial de R$ 6.709,82. Em 18 de março do ano passado, o governador liquidou o financiamento.

Anteontem, ao depor na CPI do Cachoeira, Perillo repetiu a história de que o ex-vereador Wladimir Garcez adquiriu a mansão e, como pagamento, lhe deu três cheques, totalizando R$ 1,4 milhão. Os cheques pertenciam à confecção Excitant, e foram assinados pelo sobrinho de Cachoeira, Leonardo Ramos. O governador também afirmou que utilizou o primeiro cheque para quitar o financiamento. (...)No entanto, quando O GLOBO publicou reportagem questionando a quitação do financiamento, em 11 de maio, a assessoria disse, por meio de email, que "a quitação da casa foi feita com recursos de venda de bens e empréstimos. Tudo devidamente declarado no Imposto de Renda exercício 2011."

Espanha cai mais; gregos correm para os bancos

Após o socorro de € 100 bilhões aos seus bancos, a Espanha foi rebaixada pela agência Moody’s, ficando só a um nível acima do risco especulativo. Os gregos, com a ameaça de o país sair do euro, estocam alimentos e sacam € 800 milhões por dia dos bancos. (Págs. 1, 21 e 22)

Galeão, mais uma vez, fica fora de anúncio de leilão

A esperada concessão do Galeão não será anunciada hoje, durante a assinatura dos contratos entre os vencedores de Guarulhos, Brasília e Viracopos e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Segundo interlocutores do Palácio do Planalto, o governo ainda não bateu o martelo sobre as mudanças no modelo de concessão a serem adotadas na segunda rodada de privatização do setor. O objetivo é assegurar que os aeroportos sejam operados por grandes empresas com experiência internacional, o que não aconteceu na primeira fase.

Segundo fontes do governo, uma das mudanças em estudo é retirar do edital a exigência de que o operador aeroportuário faça parte do consórcio. Por outro lado, o edital deve determinar que o vencedor da licitação contrate - antes mesmo de assinar o contrato - um gestor aeroportuário com experiência superior a cinco milhões de passageiros. Na primeira fase, a exigência foi de cinco milhões, o que abriu espaço para que pequenas empresas ganhassem a disputa.

Estado do Rio quer vender 27 imóveis

O governo do Rio pedirá à Alerj autorização para vender 27 bens. Além do QG da PM, estão na lista dois batalhões e o complexo de delegacias do Leblon, que serão encolhidas, terreno na Lagoa e até apartamento em Niterói. A alegação é cortar gastos com espaços mal aproveitados.

 

 

FOLHA DE S. PAULO

 

Propina liberou obra de shopping, acusa executiva

Ex-diretora de empresa do grupo Brookfield disse à Folha e ao Ministério Público que a multinacional pagou R$ 1,6 milhão em propina para aprovar obras irregulares dos shoppings Pátio Higienópolis e Pátio Paulista, relatam Rogério Pagnan e Evandro Spinelli.

Segundo Daniela Gonzalez, o dinheiro do suborno foi entregue a Hussain Aref Saab, ex-diretor do setor de aprovação de prédios da prefeitura, e ao vereador Aurélio Miguel (PR), que tem influência política na CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

STF arquiva ação contra fundadores da Renascer

O STF (Supremo Tribunal Federal) determinou o arquivamento de uma ação penal contra os fundadores da Igreja Renascer em Cristo, Estevan e Sonia Hernandes, que corria na Justiça Estadual de São Paulo por suposta prática de lavagem de dinheiro. A decisão foi tomada anteontem pela 1ª Turma do tribunal, por unanimidade, ao analisar um habeas corpus proposto pela defesa do casal.

Eles eram acusados de comandar uma organização criminosa que usava a estrutura religiosa e de empresas vinculadas à igreja para lavar dinheiro. A denúncia dizia que eles arrecadavam grandes quantias dos fiéis, que eram "ludibriados" pelo casal.Ainda de acordo com acusação, os recursos eram utilizados em proveito do casal e de terceiros, "desvirtuando as atividades eminentemente assistenciais e aplicando seguidos golpes".

Os ministros determinaram o encerramento da ação penal por uma questão técnica. De acordo com os membros do STF, a denúncia proposta pelo Ministério Público acusou o casal apenas por lavagem de dinheiro por meio de organização criminosa. Segundo a corte, porém, o dinheiro só poderia ser "lavado" com a existência de um crime anterior. Os ministros argumentaram que organização criminosa não é tipificada como crime e por isso, a denúncia deveria ter especificado qual irregularidade foi cometida antes.

Luiza Erundina é indicada a vice do PT em São Paulo

O PSB indicou a ex-prefeita Luiza Erundina, 77, para ocupar a vaga de vice na chapa do candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad. O anúncio deve sair amanhã. Aliados de José Serra (PSDB) preparam críticas à administração de Erundina, que se elegeu pelo PT em 1988.

Rio+20: Emergentes propõem fundo de US$ 30 bi para ambiente

As negociações da Rio+20 começaram com uma proposta dos países em desenvolvimento para a criação de um fundo de US$ 30 bilhões por ano para o desenvolvimento sustentável. Segundo o texto, o dinheiro viria das nações desenvolvidas, que, em crise, devem se opor à proposta.

A CPI que bate palma para os seus investigados

A CPI criada para investigar a relação de políticos com o contraventor Carlinhos Cachoeira virou uma guerra de claques.

O governador do DF, Agnelo Queiroz (PT), foi aplaudido pelos parlamentares governistas, que, em tese, investigam a suposta ligação de seu governo com Cachoeira. Tucanos já haviam feito o mesmo com o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB).

Governo e oposição travam 'guerra' de requerimentos

O mais recente foco de conflito da CPI do Cachoeira é uma disputa em torno das tentativas de convocação de José Serra (PSDB), que disputará a Prefeitura de São Paulo, e da presidente Dilma Rousseff. O embate entre oposição e governo pode vir à tona na sessão de hoje.

Na semana passada, o deputado Doutor Rosinha (PT-PR) apresentou requerimento para ouvir Serra e o ex-diretor da Dersa (departamento de estradas de São Paulo) Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto.

Para o deputado é necessário que Serra esclareça a razão do crescimento dos contratos feitos com a Delta no período entre 2005, quando o tucano foi prefeito, a 2010, quando deixou o governo do Estado para disputar as eleições presidenciais.

Proposta torna crime erro em pesquisa eleitoral

A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara aprovou um projeto que torna crime a divulgação de pesquisa de intenção de voto até cinco dias antes da eleição quando o resultado final ficar acima da margem de erro prevista do levantamento.

Após a votação na CCJ, no fim de maio, o texto seguiu para análise do plenário. Ainda não há previsão para que ele seja votado. Se aprovado, terá que tramitar no Senado.

 

O ESTADO DE S. PAULO

 

Dilma prepara impulso para investimentos nos Estados

A presidente Dilma Rousseff receberá os 27 governadores amanhã para anunciar novas medidas econômicas. A ideia é “mobilizar os Estados e garantir a ampliação do investimento público como ferramenta anticíclica contra a crise internacional”, disse o governador de Sergipe, Marcelo Déda (PT). Dilma deverá anunciar crédito do BNDES superior a R$ 10 bilhões, e o Banco do Brasil entrou no filão de empréstimos aos governadores. Segundo interlocutores, a presidente está inconformada porque a economia não reage, apesar das medidas já anunciadas, e elegeu investimentos como “prioridade zero”. O governo vai baratear o financiamento de investimentos em infraestrutura com os Fundos de Desenvolvimento da Amazônia e do Nordeste.

Presidente ainda vê espaço para consumo

A presidente Dilma Rousseff disse que o governo continuará a incentivar o consumo como meio de impulsionar a economia. Ela disse que se “espanta" quando “dizem que o momento do consumo no Brasil já passou”. Segundo ela, ainda há demanda reprimida no País, pois “milhões e milhões de brasileiros não têm acesso a vários bens de consumo”.

Procuradoria vai investigar governadores de GO e DF

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, pediu ao Superior Tribunal de Justiça a abertura de inquéritos para investigar os governadores de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT). Gurgel quer apurar as suspeitas de envolvimento de ambos com Carlinhos Cachoeira. No caso de Queiroz, também será investigado se ele participou de supostas irregularidades na Anvisa.

Quebra de sigilos vai a votação

A CPI do Cachoeira votará hoje os pedidos de quebra de sigilos bancário, fiscal e telefônico de Agnelo Queiroz e Marconi Perillo. A decisão ocorreu após Queiroz ter concordado em abrir dados.

Agnelo não consegue explicar compra de casa

O governador Agnelo Queiroz (PT-DF) não conseguiu explicar ontem a origem do dinheiro para a compra de uma casa no Setor de Mansões Dom Bosco em Brasília. O imóvel foi adquirido em 2007, após o petista deixar o Ministério dos Esportes e meses antes de assumir a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Mesmo com o gesto político de abrir o sigilo bancário, o governador se enrolou na hora de dizer como pagou a casa. "Houve cheque, houve depósito... Tudo vai ficar claro com a quebra do sigilo", afirmou Agnelo, depois de ser questionado repetidamente sobre a transação financeira. Para a oposição, todas as respostas foram evasivas.

Agnelo diz ter pago R$ 400 mil pela casa. Em 2006, seu patrimônio somava R$ 224 mil. Em 2010, ele declarou à Justiça Eleitoral ter R$ 1,1 milhão, incluindo a casa, no valor de R$ 450 mil, outros três imóveis, três carros e mais de R$ 150 mil em bancos.

TRF desbloqueia bens de empresa de Cachoeira

O Tribunal Regional Federal da 1.ª Região (TRF-1) decidiu ontem desbloquear os bens da Vitapan, empresa farmacêutica controlada por pessoas do grupo do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. A decisão da 2.ª Sessão do TRF-1 confirmou liminar concedida em 24 de março pelo relator, desembargador Tourinho Neto.

Por 5 votos a 1, o colegiado seguiu o entendimento de Tourinho Neto segundo o qual não houve fundamentação na decisão da Justiça Federal de Goiás, que determinou o bloqueio. Segundo Tourinho, a decisão apenas se valeu da manifestação do Ministério Público.

Os magistrados entenderam que não havia indícios de que a Vitapan tenha cometido lavagem de dinheiro, uma vez que, argumentaram, a empresa não foi investigada pela Operação Monte Carlo. A Vitapan tem hoje entre seus sócios pessoas próximas de Cachoeira.

Brasil quer que Rio+20 decida como custear economia verde

O negociador-chefe do Brasil, Luiz Alberto Figueiredo Machado, afirmou ontem, na abertura da Rio+20, que há espaço para confiança de que a conferência terá resultado satisfatório. Ele declarou, porém, que um dos pontos que devem requerer mais esforços diplomáticos é encontrar mecanismos para financiar a transição para uma economia verde. O Brasil vai propor a criação de um fundo internacional.

Dilma Rousseff, presidente: “Não consideramos que o respeito ao meio ambiente só se dá em fase de expansão do ciclo econômico”

Tribo

Índios chegam à Aldeia Kari-Oca, montada em Jacarepaguá para a participação deles na Rio+20.

Erundina será indicada para vice na chapa de Haddad

A ex-prefeita e deputada Luiza Erundina (PSB) será indicada para a vaga de vice-prefeito na chapa de Fernando Haddad, candidato do PT à Prefeitura, informam Fernando Gallo e Julia Duailibi. O anúncio deve ser feito amanhã em evento do qual participarão o ex-presidente Lula e o presidente do PSB e governador, Eduardo Campos. Erundina disse que “o diretório nacional está fazendo a discussão”. (Págs. 1 e Nacional A11)

EUA extraviam passaportes de brasileiros

Passaportes de brasileiros que pediram visto para os EUA sumiram do consulado em São Paulo. O consulado diz que são “menos de 400” os documentos extraviados. Agentes da PF falam em até 700.

Atentados em série matam 84 no Iraque

Popularidade de Obama é a mais baixa no ano

 

 

CORREIO BRAZILIENSE

 

Agnelo abre sigilos e passa no teste da CPI

Logo no início, o governador do DF pôs a oposição numa sinuca ao anunciar que autorizava a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico. No dia anterior, Marconi Perillo, de Goiás, se recusara a fazer o mesmo. Diante da decisão do petista Agnelo Queiroz, o tucano recuou e ligou para a CPI abrindo mão desses segredos. No depoimento de quase 10 horas, Agnelo voltou a negar qualquer ligação com a quadrilha do bicheiro Carlinhos Cachoeira. Pelo contrário, disse: “A organização tramou a minha derrubada”. Oposicionistas também lançaram suspeitas sobre a compra da casa onde hoje vive o governador, que declarou já ter provado a lisura do negócio à Receita. A Procuradoria Geral da República pediu ao STJ a abertura de inquéritos contra Agnelo e Perillo.

Meio Ambiente: Como a Rio+20 afeta a sua vida

Muita gente nem sabe. Mas tudo o que faz — tomar banho, dirigir, cozinhar… — influi na natureza. A conferência que começou ontem no Rio e reúne líderes de 193 países vai discutir ações para preservar o planeta.

Servidores: Reajuste para deter grevistas

Governo desiste de cortar salário de médicos. E acena com novo plano de carreira para professores de federais, em greve há quase um mês. Além deles, só militares e o pessoal do Judiciário devem ter aumento.

Lula é internado e faz exame antes de ir ao Recife

Fumou no voo e acabou preso

Brasiliense é detido pela PF após descer do avião em Natal. Com sinais de embriaguez, ele se trancou no banheiro a acendeu pelo menos três cigarros.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!