Jornais: COI intervém nas Olimpíadas do Rio

'Sensação é de que estamos na situação mais crítica de preparativos para os Jogos nos últimos 20 anos', diz dirigente

O GLOBO

COI intervém nas Olimpíadas do Rio

Pressionado por federações esportivas, que começam a se alarmar com os atrasos nos preparativos do Rio para os Jogos de 2016, o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, anunciou nesta quinta-feira um pacote de medidas para acelerar as obras na cidade. Embora rechace a palavra intervenção, na prática o COI decidiu tomar as rédeas da organização dos Jogos: vai acompanhar, passo a passo, as obras do Rio. As medidas foram anunciadas ao final de uma reunião do comitê executivo do COI, na Turquia. Bach avisou que vai anunciar nas próximas semanas (a data não foi fixada) a criação de forças-tarefas. O COI também vai recrutar no Rio um administrador de projetos “com experiência em construções para monitorar, no dia a dia, os progressos das obras de infraestrutura”.

Uma comissão de alto nível, com poder de decisão, também vai ser criada. Dela, participarão não apenas dirigentes do COI, como também representantes do governo brasileiro e do comitê organizador dos Jogos. Bach não deixou dúvidas sobre quem vai assumir o comando da comissão:

— O COI, claro, vai assumir o papel principal na coordenação dos esforços de todos — disse Bach.

O presidente do COI começou a entrevista explicando assim os motivos da mudança radical:

Executivo admite que empresa pagou R$ 1,9 milhão a consultoria ligada a doleiro

Segundo CEO da Jaraguá Equipamentos, consultoria serviu de intermediação para obter contratos com Petrobras

O executivo Paulo Roberto Dalmazzo, CEO da Jaraguá Equipamentos, fornecedora da Petrobras, admitiu em entrevista ao GLOBO que os R$ 1,9 milhão pagos a uma empresa de consultoria ligada ao doleiro Alberto Youssef serviram como "intermediação" para a obtenção de quatro contratos com a estatal, que totalizaram R$ 1,1 bilhão. O pagamento é investigado pela Polícia Federal.

Dalmazzo afirma que a empresa pagou por um consultor para “validar os números” da proposta apresentada em licitação, com a promessa de vencê-la, mas disse não saber dizer quem é a pessoa que prestou o serviço, porque não estava na empresa na época dos fatos. Perguntado se é possível que a contratação tenha sido uma forma de pagar propina, como sugere a Polícia Federal, respondeu: "Pode acontecer tudo. Você pode ter que pagar ou guardar para livrar seus pontos da carteira. Esse é o Brasil de hoje. Entendeu? Eu posso responder pelos meus atos; pelos dos outros, não posso”.

Há dez anos atuando no setor, ex-diretor do estaleiro de Inhaúma, no Rio de Janeiro, e ex-presidente de Óleo e Gás da Andrade Gutierrez, o executivo afirma que durante sua carreira sempre tratou diretamente com Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras que está preso, mas nega que em algum momento ele tenha lhe pedido “qualquer coisa”. Disse acreditar ser possível trabalhar como fornecedor da Petrobras sem ter que pagar "consultoria", mas afirmou reconhecer que a empresa tem “um lado podre, como tem em qualquer instituição onde tem o bicho homem”.

O executivo revelou que a Jaraguá está com dívidas de R$ 500 milhões e tenta se recuperar depois de sofrer graves erros de gestão da diretoria anterior, que envolvem inclusive a precificação dos quatro contratos com a Petrobras, que teriam custo mais elevado do que o proposto na concorrência. “Você acha que uma empresa que não está bem pode ter tido algum benefício? Acho que não”, afirmou. Ele criticou, também, “a mão do governo” na gestão da Petrobras. E disse que empresas doam a políticos e partidos para influenciar a agenda legislativa.

PT convoca Graça para tentar barrar CPI

A presidente da Petrobras, Graça Foster, irá ao Senado na próxima terça-feira para explicar as denúncias que envolvem a estatal. Foster vai participar de audiência pública conjunta da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e da Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA). A intenção do governo com a presença dela no Congresso é esvaziar a criação da CPI.

De acordo com o presidente da CAE, Lindbergh Farias (PT-RJ), a decisão foi tomada pela própria presidente, sem a necessidade de convite:

- Tomei a iniciativa de organizar a audiência depois de falar com a presidente da Petrobras, que manifestou a vontade de conversar com os senadores - afirmou.

O depoimento de Foster estava previsto para a última terça-feira, junto com o do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. Porém, os dois cancelaram a ida ao Senado depois que o líder do PT, Humberto Costa, disse que a presença deles não deveria ocorrer antes de uma eventual CPI.

PF pede transferência de Youssef e outros doleiros para presídio federal

A Polícia Federal pediu nesta quinta-feira a transferência de Alberto Youssef e mais dois doleiros investigados na Operação Lava Jato para o presídio federal de Catanduvas (PR). A polícia pediu ainda que a doleira Nelma Mitsue Penasso Kodama e os outros dez presos sejam levados para presídios estaduais. Na próxima semana, o delegado Márcio Anselmo deve concluir pelo menos um dos inquéritos sobre os crimes de lavagem, evasão de divisão e corrupção, entre outros crimes investigados.

Caberá a Justiça Federal decidir se autoriza ou não a retirada dos presos, que estão detidos na carceragem da Superintendência da PF em Curitiba. A polícia pediu a transferência dos doleiros Youssef, Carlos Habib Chater e Raul Henrique Srour para o presídio de segurança máxima de Catanduvas por medida de segurança. A polícia argumenta que os três detém grande volume de informações importantes para as investigações em curso e devem ser preservados de qualquer pressão externa.

A polícia argumenta ainda que outros presos reclamaram dos doleiros. A PF queria mandar Nelma Kodama para Catanduvas, mas desistiu da ideia porque o presídio não tem ala para abrigar mulheres. Entre os presos que podem ser levados para um dos presídios administrado pelo governo do Paraná está o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, detido dia 20 de março. Segundo um policial, a PF também reforçou a equipe de investigação. Quatro delegados teriam sido destacados para cuidar do caso.

PMDB indica ao TCU afilhado de Renan e Sarney

Após desistir da vaga, Gim deve complicar quadro eleitoral em Brasília

O naufrágio da indicação do senador Gim Argello (PTB-DF) para o Tribunal de Contas da União (TCU) poderá ter implicações nos próximos dias para o próprio partido do senador, para o PMDB e até para as eleições no Distrito Federal. Para não deixar prosperar a nomeação de um técnico escolhido por partidos de oposição, o PMDB reagiu nesta quinta-feira e decidiu indicar o advogado Bruno Dantas, ligado ao presidente Renan Calheiros (PMDB-AL) e ao senador José Sarney (PMDB-AP), para ministro da Corte.

O PTB, portanto, deverá ficar sem o cargo, mas a tendência é que Gim Argello recoloque seu nome na disputa eleitoral em Brasília, complicando as negociações políticas do governador petista Agnelo Queiroz. No pacote de negociação para a ida de Gim ao TCU, estava a ocupação de sua vaga para se candidatar ao Senado por um petista indicado por Agnelo.

FOLHA DE S.PAULO

Comitê intervém contra atrasos nos Jogos do Rio

COI antecipa presença de dirigente no país para monitorar andamento de obras. No momento mais tenso desde que o Rio foi escolhido como sede da Olimpíada de 2016, o COI anunciou um plano de ação de "apoio" à organização dos Jogos.

As medidas representam uma correção de rota nos preparativos para o megaevento esportivo. São três as principais decisões anunciadas:

1) fortalecimento da presença do COI no Brasil, com a contratação de um gerente local para acompanhamento das obras e aumento da frequência de visitas do diretor-executivo da entidade, o suíço Gilbert Felli;

2) criação de um grupo para tomada de decisões de alto nível, com COI, governo e outros envolvidos nos Jogos;

3) aumento da colaboração das federações internacionais de esportes à organização da Rio-2016;

PT vai ouvir Vargas, mas resiste em expulsá-lo da sigla

A Executiva Nacional do PT decidiu ontem enviar uma comissão formada por três dirigentes da sigla para ouvir o deputado licenciado e ex-vice-presidente da Câmara, André Vargas (PT-PR), antes de instaurar uma comissão de ética no partido para analisar a relação do petista com o doleiro Alberto Youssef.

A ação foi uma resposta ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que, no início da semana, disse que Vargas deve "explicar à sociedade" sua ligação com o doleiro para que o PT "não pague o pato".

Segundo a Folha apurou, porém, a cúpula petista acredita que as possibilidades de expulsar o deputado do partido são, por enquanto, remotas, e que ele deve ser apenas advertido ao fim do processo.

Cara a Cara

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, cumprimenta líder oposicionista Henrique Capriles (à dir.) durante reunião, em Caracas, para tentar conter a violência

Governistas querem incluir convênio do PSB na CPI 'x-tudo'

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), revelou que os governistas querem investigar na CPI da Petrobras um convênio do Ministério da Ciência e Tecnologia, que era controlado pelo PSB de Eduardo Campos, com empresa de marketing político. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), revelou ontem um dos temas que os governistas devem usar na CPI da Petrobras para desgastar o ex-governador Eduardo Campos (PSB-PE), provável adversário de Dilma Rousseff em outubro.

Ao defender que a comissão investigue assuntos não ligados à Petrobras, Renan disse que a CPI deve apurar a relação do Ministério da Ciência e Tecnologia com a empresa Ideia Digital, que faz campanhas eleitorais e marketing político para o PSB.

"Ora, como é que o Congresso vai investigar a Petrobras, e eu acho que deve investigar sim, e não vai investigar o Metrô, o Porto de Suape, a corrupção que houve com dinheiro público no Ministério da Ciência e Tecnologia, que pagou inclusive marqueteiros nas campanhas eleitorais?", disse Renan.

Campos foi ministro de Ciência e Tecnologia no governo Lula. O senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), líder do PSB no Senado, ocupou a Secretaria de Inclusão Social da pasta em 2003.

Militantes do PT hostilizam Barbosa em bar

Novo modelo para licitação não garante redução de custos

O governo tenta ampliar para todas as licitações uma nova lei de contratações que tem menos de dois anos de funcionamento real e, por enquanto, poucas obras relevantes concluídas.

Mais flexível que a Lei das Licitações, de 1993, o RDC (Regime Diferenciado de Contratações) diminuiu em dois terços o tempo total dos empreendimentos --do início da licitação até a conclusão da obra--, mas, pelo menos nas reformas dos aeroportos, não resultou em redução de custos, como esperado.

Em junho de 2011, o governo conseguiu aprovar o RDC no Congresso só para obras da Copa de 2014 e da Olimpíada de 2016. A ideia era apressar as construções, já atrasadas.

Em 2012, o governo ganhou autorização do Congresso para utilizar o RDC também para obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

Anteontem, a Câmara aprovou projeto ampliando a possibilidade para todas as concorrências, o que praticamente extingue a Lei das Licitações, caso entre em vigor.

A medida tem de ser aprovada pelo Senado e sancionada pela presidente Dilma Rousseff para sair do papel.

Na prática, o RDC começou a ser usado em 2012 --porque as licitações mais importantes da Copa já estavam prontas antes disso.

Promotora omitiu da Justiça plano de quebrar sigilo do Planalto

A promotora que investiga suspeitas de que o ex-ministro José Dirceu usou um telefone celular na prisão escondeu sua intenção de investigar ligações feitas a partir do Palácio do Planalto ao pedir à Justiça a quebra de sigilo de aparelhos usados no local.

No pedido apresentado na semana passada ao Supremo Tribunal Federal, a promotora Márcia Milhomens Sirotheau Corrêa, do Ministério Público do Distrito Federal, não faz nenhuma referência ao palácio, mas indica suas coordenadas geográficas como alvo da investigação.

Condenado no julgamento do mensalão, Dirceu está preso desde novembro no complexo penitenciário da Papuda, em Brasília. O Ministério Público abriu inquérito em janeiro para saber se ele fez ligações telefônicas de dentro do presídio, o que é proibido.

O secretário de Indústria da Bahia, James Correia, disse em janeiro à coluna "Painel" ter falado com Dirceu por celular no dia 6 de janeiro. O advogado de Dirceu, José Luis Oliveira Lima, nega que o contato tenha ocorrido.

Desemprego no país cai a 7,1% em 2013, apesar de PIB fraco

A taxa de desemprego caiu para 7,1% no país em 2013, apesar do fraco desempenho econômico. Em 2012, havia sido de 7,4%, segundo a nova pesquisa do IBGE, mais ampla e trimestral. O "descolamento" com o PIB se deve à alta do emprego e da renda

Polícia Civil flagra furto de água em comércios de SP

Em meio à crise de abastecimento, a Polícia Civil flagrou comércios e pensões na Grande São Paulo burlando o registro do consumo de água. Entre as técnicas, está o uso de um ímã, que trava o ponteiro do medidor

Condenação: jornalista terá de pagar R$ 60 mil a diretor da Globo

O apresentador da TV Record e blogueiro Paulo Henrique Amorim terá de pagar indenização no valor de R$ 60 mil ao diretor de jornalismo da TV Globo, Ali Kamel, por danos morais.

Amorim foi processado por ter chamado Kamel de racista, em 2009, numa postagem em seu blog. Por isso, Kamel foi ao Judiciário, obtendo o direito a uma indenização fixada pelo Tribunal de Justiça do Rio.

 

O ESTADO DE S.PAULO

Pressionada, Dilma chama PMDB para neutralizar CPI

Cobrada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na sexta-feira passada para que atue politicamente e tente neutralizar o impacto da iminente instalação da CPI da Petrobrás, a presidente Dilma Rousseff chamou nesta quinta-feira, 10, para um almoço no Palácio da Alvorada os senadores mais influentes do PMDB, seu principal aliado: o presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), o líder do governo, Eduardo Braga (AM), o líder do partido, Eunício Oliveira (CE), e o presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Vital do Rêgo (PB).

O script anticrise incluiu a promessa a Eunício Oliveira que fará de tudo para garantir a ele a vaga na disputa para o governo do Ceará na coligação composta pelo PT e pelo PROS dos irmãos Cid e Ciro Gomes, uma reivindicação antiga do PMDB.

Uma das principais preocupações de Dilma com a CPI da Petrobrás está relacionada à compra da refinaria de Pasadena, nos EUA. Em 2006, quando era presidente do Conselho de Administração da estatal, ela ajudou a aprovar a aquisição de 50% unidade. Depois, se opôs à compra de 100% da refinaria. Esse é o ponto de partida da oposição no Senado. Vital do Rêgo, que esteve nesta quinta com a presidente, ajudou a ampliar o escopo da comissão na quarta-feira incluindo entre os assuntos a serem investigados o cartel no Metrô em São Paulo e suspeitas de irregularidades no Porto de Suape, em Pernambuco. O objetivo é desgastar os adversários Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB).

No almoço, a presidente pediu ainda empenho dos peemedebistas para aprovar o Marco Civil da Internet no Senado na semana que vem. A ideia é que ela sancione a lei antes da conferência internacional sobre governança na internet, marcada para os dias 23 e 24, em São Paulo.

'Vamos para o enfrentamento', diz favorito a vice na Câmara sobre CPI

José Guimarães (PT-CE) , favorito para substituir André Vargas, defende CPI 'ampla, geral e irrestrita' e acordo com PMDB no Ceará para proteger a presidente Dilma; para ele, a eleição 'não é fácil'

Favorito para substituir o colega André Vargas, que renunciou à vice-presidência da Câmara após o Conselho de Ética abrir processo de cassação contra ele, o deputado José Guimarães (PT-CE) pode encerrar a disputa petista pela vaga por ter o apoio de várias tendências do partido. Vice-presidente nacional do PT, Guimarães defende a tática do confronto com o PSDB e o PSB e uma CPI "ampla, geral e irrestrita" para investigar não apenas a Petrobrás como o cartel do Metrô em São Paulo e denúncias de irregularidades no Porto de Suape, em Pernambuco.

"O risco que corre o pau, corre o machado. Então, vamos para o enfrentamento", disse Guimarães, que é irmão do ex-deputado José Genoino, condenado no processo do mensalão. "O PT não pode ficar na defensiva."

Renan defende seu parecer e ironiza ex-ministros do STF

Presidente do Senado diz que magistrados que o criticaram deveriam ler mais atentamente texto sobre CPI ampliada

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), ironizou ontem críticas de ex-ministros do Supremo Tribunal Federal que o acusaram de distorcer o entendimento da Corte para impor uma CPI da Petrobrás destinada a investigar vários temas desconexos, que vão de suspeitas de irregularidades na estatal até denúncias de formação de cartel em contratos do Metrô de São Paulo.

"Queria aproveitar a oportunidade para recomendar ao ministro (Paulo) Brossard e ao ministro Carlos Velloso, que, por favor, leiam pausadamente a minha decisão. Eles acabaram comentando uma decisão que eles não leram", afirmou Renan.

Na leitura do parecer no plenário do Senado na semana passada, Renan mencionou decisão do STF com base num habeas corpus do então ministro Paulo Brossard para justificar a CPI da Petrobrás investigar vários temas.

MP do DF denuncia 35 por mensalão do DEM

O Ministério Público do Distrito Federal ajuizou nesta semana denúncias contra 35 envolvidos no escândalo que ficou conhecido como "mensalão do DEM", dentre eles o ex-governador José Roberto Arruda e o ex-vice-governador Paulo Octávio. O caso ocorreu em 2009 e foi deflagrado pela Polícia Federal, em uma operação batizada de "Caixa de Pandora".

Ela consistia no desvio de recursos públicos para pagamento de propinas a políticos em troca de apoio ao então governador. Os recursos vinham majoritariamente por meio de contratos de informática superfaturados do Governo do Distrito Federal.

Nas ações, o Ministério Público pede a condenação dos envolvidos por diversos crimes, como corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, além da devolução de aos cofres públicos de mais de R$ 739 milhões.

 

CORREIO BRAZILIENSE

Esquema liga doleiro de petista a Cachoeira

Suposto sócio do deputado André Vargas (PT-PR), que renunciou à vice-presidência da Câmara após o escândalo vir à tona, o doleiro Alberto Youssef é suspeito de comandar uma espécie de novo mensalão para distribuição de dinheiro a políticos aliados do governo. Agora, cruzamento de dados da Operação Lava-Jato, da PF, mostra que a MO Consultoria, chefiada por Youssef, também recebeu recursos de empresas de fachada ligadas ao bicheiro Carlinhos Cachoeira. O Deltaduto, como ficou conhecido o esquema de financiamento de campanhas eleitorais vinculado ao contraventor, era abastecido por repasses milionários de recursos da construtora Delta, do empresário Fernando Cavendish.

#vaitrabalhardeputado: distritais só não se cansam da mordomia

Salário de R$ 20 mil, verbas indenizatória e de gabinete — que, juntas, chegam a R$ 200 mil — e outros privilégios a perder de vista. Mesmo assim, eles resistem à pressão popular para que trabalhem. Até simularam produtividade na terça-feira. Compareceram à sessão da quarta. Mas, ontem, outra vez? Aí, não. Cansadas, as excelências deixaram o plenário às moscas. Quem sabe, terça, eles voltam?

Promotores da Pandora estão sob ataque

A defesa de nove envolvidos no mensalão do DEM pediu o afastamento de integrantes do Ministério Público do caso. Eles teriam sido citados por Durval Barbosa num esquema de corrupção de contratos de lixo. O MP nega as acusações e diz que há uma manobra para tumultuar o processo e atrasar as ações.

Assessor de Erica Kokay xinga Joaquim Barbosa na 406 Sul

O Brasil em pé de guerra

Pesquisa mostra que, a cada 10 assassinatos no mundo, um ocorre no país. São 50 mil mortes por ano. A ONU, no entanto, elogia projetos como a UPP e o Pacto pela Vida.

Fotolegenda: chuva ou descaso?

Defesa Civil e Bombeiros afirmam que as tendas que caíram ontem sobre 150 pessoas, em Ceilândia, não passaram pela vistoria de segurança. Houve 10 feridos no incidente, que paralisou o mutirão de cirurgias e exames oftalmológicos da Secretaria de Saúde. Uma perícia foi realizada no local para apurar as causas do desabamento.

 

VALOR ECONÔMICO

CVM conclui que Eike usou informações privilegiadas

Investigação feita pela CVM indica que Eike Batista e os administradores da OGX levaram dez meses para informar o mercado sobre a inviabilidade de campos de petróleo da companhia

Tombini fala em pausa no ciclo de aperto

O BC pode interromper o ciclo de aumento do juro básico nos meses à frente, apesar de um repique nos preços dos alimentos, disse o presidente do BC, Alexandre Tombini, em entrevista ao "The Wall Street Journal", em Washington, onde participa dos encontros do Fundo Monetário Internacional

Argentina muda postura e Mercosul fecha oferta à UE

Os países do Mercosul praticamente fecharam uma oferta conjunta para um acordo de livre comércio com a UE. A nova postura da Argentina nas negociações surpreendeu o governo brasileiro

Sem transportes, greve para o país

Com a adesão dos sindicatos ligados ao setor de transportes, a maior parte dos argentinos ficou em casa ontem, o que garantiu o sucesso da greve geral de 24 horas na Argentina. O país amanheceu sem ônibus, trens e metrô, não houve transporte de cargas e nenhum avião decolou

China desvia soja do Brasil para os EUA

Com portos abarrotados, armazéns lotados e margens negativas para os esmagadores que atuam em seu mercado, grandes importadores chineses começaram a revender cargas de soja compradas no Brasil para processadoras americanas

STF anula 100 mil contratações de Aécio

Decisão do STF que anulou a contratação de quase 100 mil servidores não concursados feita pelo então governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), em 2006, coloca o "choque de gestão" na berlinda da disputa eleitoral. Em 12 meses o governo terá de fazer concurso para preencher as vagas

Mundial leva ânimo a empresas de ônibus

Os empresários do setor de transportes terrestres estão mais otimistas com a Copa do que os executivos das companhias aéreas. A previsão é de crescimento de até 30% na venda de bilhetes

Mais sobre Olimpíadas

Nosso jornalismo precisa da sua assinatura

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!