Aprovação a Dilma despenca de 57% para 30% em três semanas

Queda de 27 pontos é a maior de um presidente aferida pelo Datafolha desde Collor em 1990

FOLHA DE S. PAULO

Aprovação a Dilma despenca de 57% a 30% em 3 semanas

Queda de 27 pontos é a maior de um presidente aferida pelo Datafolha desde Collor em 1990

Pesquisa Datafolha finalizada ontem mostra que a popularidade da presidente Dilma Rousseff desmoronou.

A avaliação positiva do governo da petista caiu 27 pontos em três semanas.

Hoje, 30% dos brasileiros consideram a gestão Dilma boa ou ótima. Na primeira semana de junho, antes da onda de protestos que irradiou pelo país, a aprovação era de 57%. Em março, seu melhor momento, o índice era mais que o dobro do atual, 65%.

A queda de Dilma é a maior redução de aprovação de um presidente entre uma pesquisa e outra desde o plano econômico do então presidente Fernando Collor de Mello, em 1990, quando a poupança dos brasileiros foi confiscada.

Naquela ocasião, entre março, imediatamente antes da posse, e junho, a queda foi de 35 pontos (71% para 36%).

Em relação a pesquisa anterior, o total de brasileiros que julga a gestão Dilma como ruim ou péssima foi de 9% para 25%. Numa escala de 0 a 10, a nota média da presidente caiu de 7,1 para 5,8.

Neste mês, Dilma perdeu sempre mais de 20 pontos em todas regiões do país e em todos os recortes de idade, renda e escolaridade.

O Datafolha perguntou sobre o desempenho de Dilma frente aos protestos. Para 32%, sua postura foi ótima ou boa; 38% julgaram como regular; outros 26% avaliaram como ruim ou péssima.

Deputado é o 1º parlamentar preso na redemocratização

Depois de passar quase dois dias desaparecido, o deputado Natan Donadon (PMDB-RO) se entregou à Polícia Federal em um ponto de ônibus em Brasília

Oito em cada dez pessoas apoiam as manifestações

Oito em cada dez brasileiros apoiam as manifestações que tomaram as ruas do país nas últimas semanas. Pesquisa Datafolha revela que 81% são favoráveis aos protestos

Lula nega críticas a Dilma

O Instituto Lula negou, em nota divulgada ontem, que o ex-presidente tenha feito críticas à articulação política do governo de Dilma Rousseff.

Lula, que embarcou pela manhã para a Etiópia, disse que a presidente "mostrou extraordinária sensibilidade ao propor a convocação de um plebiscito sobre a reforma política".

"A iniciativa tem o mérito de romper o impasse nessa questão decisiva, que há décadas vem entrando e saindo da agenda nacional, sem lograr mudanças significativas. Ouvindo o povo, nosso sistema político poderá se renovar e aperfeiçoar. É o que se espera dele."

A Folha revelou que Lula chamou de "barbeiragem" a condução política do governo em reação aos protestos de rua. Segundo petistas, Lula não gostou da decisão de consultar o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) sem ouvir governistas, como o vice-presidente Michel Temer (PMDB).

O ex-presidente se queixou em especial da forma "atabalhoada" com que a proposta de constituinte foi apresentada, sem prévia consulta à base governista. Menos de 24 horas após o anúncio, a ideia foi descartada pelo governo.

A reportagem da Folha foi baseada no relato de três interlocutores do ex-presidente. A Folha ouviu ainda colaboradores diretos do ex-presidente no próprio Instituto Lula.

Revolta

Bolivianos fazem vigília em delegacia de SP onde estão os suspeitos de matar Brayan, 5, em assalto; a mãe disse que ele pedia para não ser morto

Bolsa paulista tem pior semestre em quase 5 anos

Com desvalorização de 22,14%, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, registrou o pior semestre desde a segunda metade de 2008

Economista está entre saqueadores de protesto em SP

Um dos saqueadores nos protestos é o economista Cleber Rosa, 29, que confessou à polícia ter furtado 41 anéis de joalheria em São Paulo

Governos não deixarão legado da Copa, diz Paes

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), disse em entrevista à Folha que os governos erraram e não conseguirão deixar legado da Copa-14

 

O ESTADO DE S. PAULO

Donadon se entrega e é o 1º deputado preso desde 1974

Detido em avenida de Brasília, parlamentar está em cela individual na Papuda e pode ter mandato cassado.

O deputado federal Natan Donadon (RO) se entregou ontem à Polícia Federal em um ponto de ônibus de uma avenida de Brasília, em cumprimento à ordem de prisão determinada pelo STF na quarta-feira. Primeiro parlamentar preso no exercício do mandato desde 1974. Donadon foi condenado em 2010 a prisão de 13 anos, 4 meses e 10 dias por formação de quadrilha e peculato. Ele foi punido sob a acusação de ter desviado recursos da Assembleia Legislativa de Rondônia por meio de contrato simulado de publicidade. Antes de se apresentar, o parlamentar, expulso do PMDB, negociou a PF para que fosse conduzido sem exposição. O deputado foi levado para uma cela individual do Complexo Penitenciário da Papuda. Um processo de cassação de mandato tramita na Câmara.

Demora desgasta PF

A Polícia Federal soube da ordem de prisão de Donadon pela TV. Ficou acertado que ele se entregaria na quinta-feira, o que não ocorreu.

Presidente se cala sobre ‘cura gay’ em reunião com o LGBT

Em reunião com representantes de movimentos de gays, lésbicas, bissexuais, transexuais e travestis, a presidente Dilma Rousseff afirmou que o Estado tem o dever de impedir a violência contra a comunidade LGBT, mas manteve silencia sobre o projeto chamado de “cura gay” que tramita na Câmara.

‘Dilma não ouviu a voz das ruas’, diz Marina

Possível candidata em 2014, Marina Silva disse, em entrevista ao ‘Estado’, que o discurso da presidente Dilma Rousseff em reação aos protestos foi orientado pelo marketing e não tinha condições de funcionar.

Alckmin pensa em extinguir mais secretarias

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou ontem à TV Estadão que poderá extinguir outras das atuais 25 secretarias , já considerando o fim da de Desenvolvimento Metropolitano. Ele anunciou um pacote de cortes, antecipado pelo Estado, pela necessidade de subsidiar a redução das tarifas de transporte.

Bovespa tem pior semestre desde 2008

A Bovespa encerrou o 1º semestre com queda de 22,14%, pior resultado para inicio de ano desde 1972. Levando-se em conta também o período de fim de ano, é pior desempenho semestral desde 2008.

Governo terá de decidir de novo sobre Battisti

Rede pública terá neste ano vacina contra HPB

Monsenhor é preso por fraude no Vaticano.

Amazônia. Áreas protegidas perto de obras do PAC têm mais desmate.

Nota 7 da Fifa ao País causa mal-estar

A Fifa fez cobranças ao governo e deu ontem ao Brasil a nota 7 pela preparação para a copa de 2014 – a África do Sul recebeu 7,5 em 2009.

Fernando Reinach: Sexo e a organização social

O mecanismo que determina se o individuo é macho ou fêmea é usado pelas formigas lava-pés para decidir se a colônia será uma democracia.

Notas & Informações: A aventura e o vespeiro

Bastaram algumas conversas para Dilma ver a enrascada em que se enfiou com o plebiscito.

 

O GLOBO

Donadon se entrega e Brasil tem 1º deputado presidiário

Parlamentar está em cela comum de 6m² e agora deve também perder mandato

Condenação é de 2010, mas julgamento do recurso definitivo só ocorreu em meio à onda de protestos no país; prisão pode abrir caminho para apressar punição de parlamentares acusados de desviar dinheiro público.

Condenado desde 2010 a 13 anos de prisão, o deputado Natan Donadon (RO) se entregou à PF, após 36 horas foragido, e está numa cela comum, de 6m², do presídio da Papuda, em Brasília. É a primeira vez que o país tem um parlamentar preso no exercício do mandato. O caso se arrastava na Câmara e no STF. Com a onda de manifestações no país, o Supremo julgou último recurso e mandou prender Donadon, que foi expulso do PMDB. A Câmara promete acelerar o processo contra ele por quebra de decoro.

Bolsa: pior semestre desde 2008

Com a alta do dólar, os fundos cambiais foram o melhor investimento no semestre, com ganho de 8,44%. Já a Bolsa de Valores de são Paulo vive seu pior momento desde a crise financeira global de 2008: o índice recuou 22,14%, o segundo maior tombo do mundo, atrás apenas da bolsa peruana.

Herança maldita para 2015

Meta de inflação fixada pelo Conselho Monetário Nacional valerá até 2015 e ficará de herança para o novo governo.

Edmar Bacha: Governo brincou com a inflação

Taxa custou a ser contida, ao fazer expansão descontrolada de crédito e gastos.

Ladrões matam criança de 5 anos

Seis ladrões invadiram a casa de uma família de bolivianos, na Zona Leste de São Paulo, e mataram o filho do casal, de 5 anos. Segundo a mãe, ele foi morto porque chorava.

Ônibus: Rio ganha quinto consórcio

Sem alarde ou licitação, empresas de ônibus criam quinto conglomerado para operar os corredores de BRTs que a prefeitura planeja implantar até 2015.

Futuro da Marina em jogo

Prefeitura cria comitê para decidir o que construir na área após rumor de que Eike Batista venderá projeto.

Família de Mandela briga na Justiça

Enquanto sul-africanos rezam pela saúde do ex-líder, parentes disputam na Justiça o direito de transferir os restos mortais de três filhos de Mandela para a sua aldeia.

‘Vamos acreditar, gente’ pede Neymar sobre final

Esperança do Brasil na final da Copa das Confederações, amanhã Neymar reconheceu o favoritismo da Espanha, mas pediu: “Vamos acreditar”. A presidente Dilma, vaiada na abertura do torneio, em Brasília, cancelou sua presença no Maracanã. A PM vai ampliar de 12 para 16 o número de ruas interditadas em torno do estádio, a partir das 13h de amanhã. O jogo começa às 19h.

Ancelmo Góis: tudo por Blatter

Salvador terá jogo no calorão de uma da tarde para Blatter ir também ao Maracanã.

Promessa de diálogo

Em dia de poucos protestos, a presidente Dilma reuniu-se ontem com entidades ligadas à juventude afinadas com o governo, e que não engrossaram as manifestações. Ela disse que criará um canal de diálogo nas redes sociais.

Miriam Leitão: com os olhos no passado

Equívocos do ministro interino Marcelo Néri sobre os protestos.

Arnaldo Bloch: quem sempre paga a conta

Nem os mais pobres nem os filhos da elite: é a classe média.

Projeto ameaça contratos em vigor

Medida aprovada na Câmara prevê que royalties de campos já descobertos também fiquem com Educação e Saúde.

Meu Deus!

Contador do Vaticano, monsenhor Nunzio Scarano foi preso, em Roma, acusado de planejar levar 6 milhões de Euros da Suíça para a Itália, em avião fretado.

 

CORREIO BRAZILIENSE

Do Congresso para a Papuda

Condenado por crimes de corrupção, Natan Donadon é preso em ponto de ônibus da L2 Sul

O deputado federal Natan Donadon negociou a rendição durante dois dias para que ocorresse longe da imprensa. Conseguiu. Às llh de ontem, ele foi detido no meio da rua, na Asa Sul. À tarde, já estava no complexo penitenciário de Brasília, numa cela individual. Podem ter sido as suas últimas regalias. Donadon é o primeiro congressista preso em pleno mandato desde a redemocratização do país e, nos últimos dias, a condenação se transformou em símbolo da luta contra a impunidade. A prisão para cumprir mais de 13 anos de pena por desvio de dinheiro público foi decidida na quarta-feira pelo STF. Na quinta, o PMDB de Rondônia o expulsou. E na sexta, a Câmara abriu processo para cassá-lo. Juristas acreditam que o caso tenha influência direta no destino de quatro deputados julgados no mensalão que aguardam a análise do Supremo dos recursos contra a prisão.

Nas ruas contra os cubanos

Depois de marcharem pela W3 Sul, cerca de 350 médicos brasilienses protestaram em frente ao Palácio do Planalto contra a contratação de profissionais estrangeiros pelo governo. Eles cobram melhorias nas condições de atendimento na rede pública de saúde.

Unificando as reivindicações

Temendo o esvaziamento dos atos populares, organizadores se reúnem em Brasília para compor uma agenda das próximas marchas.

Dólar em alta puxa inflação

A disparada da moeda, que fechou a R$ 2.232, contamina os preços dos importados. O BC gastou US$ 20 bi este ano para segurar a cotação.

Monsenhor do Vaticano desviou R$ 58 milhões.

Marcadas para setembro novas provas da Anvisa.

Presos suspeitos do assassinato da criança boliviana

Sem medo de encarar os favoritos

Neymar admite que a Espanha é a melhor seleção do futebol atual, mas garante que o Brasil fará uma grande exibição amanhã, na final da Copa das Confederações “O mundo inteiro queria uma partida como esta”, disse o atacante

 

Outros textos com referências a Dilma Rousseff

Mais sobre as manifestações de junho e seus desdobramentos

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!