Jornais: aéreas terão subsídio para operar rotas já existentes

Medida do governo deve beneficiar cem linhas rentáveis. Subvenção pode somar R$ 1 bilhão por ano. Haverá também investimento público em 270 aeroportos de cidades menores

O GLOBO

Aéreas terão subsídio para operar rotas já existentes

Medida do governo deve beneficiar cem linhas rentáveis. Subvenção pode somar R$ 1 bilhão por ano. Haverá também investimento público em 270 aeroportos de cidades menores

O programa criado pelo governo para incentivar a aviação regional, publicado no Diário Oficial da União ontem, um ano e meio após ser anunciado, prevê subsídios a empresas aéreas para que operem novas rotas, mas abre espaço para incentivos também a linhas existentes entre capital e cidades do interior. Mais de cem rotas já rentáveis serão beneficiadas, segundo fontes do governo. O programa ainda precisa ser regulamentado, mas o valor da subvenção deve chegar a R$ 1 bilhão por ano. Há previsão de investimentos em 270 aeroportos regionais.

Um ano e meio após a presidente Dilma Rousseff anunciar um plano para disseminar os voos no país, foi publicada ontem, no Diário Oficial da União, a medida provisória (MP) 652, que cria o Programa de Desenvolvimento da Aviação Regional (PDAR). A proposta, que ainda precisa ser regulamentada, autoriza a União a conceder subsídios às companhias aéreas para pagar parte dos custos dos voos em rotas regionais e todas as tarifas aeroportuárias nos terminais incluídos no programa. Na prática, o governo vai colocar dinheiro nas empresas para cobrir gastos operacionais das novas rotas e das já existentes entre aeroportos de capitais e cidades do interior, que movimentem até 800 mil passageiros por ano. Ou seja, mais de cem rotas rentáveis, que não necessitam da ajuda do governo para serem operadas regularmente, serão beneficiadas com o subsídio.

Nos bastidores, fontes do próprio governo criticam a proposta, alegando que não faz sentido subsidiar rotas já existentes, principalmente em municípios de fácil acesso, com boas rodovias, como nas regiões Sul e Sudeste.

— Vai facilitar a vida para a classe média, para quem já utiliza o avião. Esses recursos públicos poderiam ter outra destinação — disse uma fonte.

O montante a ser destinado à subvenção ainda será definido, devendo ficar na casa de R$ 1 bilhão por ano. Os recursos virão do Fundo Nacional da Aviação Civil (Fnac), que é abastecido com o dinheiro arrecadado com as concessões dos grandes aeroportos. O fundo encerrou 2013 com R$ 2,7 bilhões em caixa.

Deste total, R$ 1,2 bilhão é referente a outorgas das concessões de Cumbica e Viracopos, em São Paulo, e do aeroporto de Brasília. O programa será aberto a todas as empresas, e o valor do subsídio será proporcional ao tipo de avião utilizado, tamanho do terminal atendido, número de passageiros transportados e aos quilômetros voados. As companhias interessadas terão que assinar um contrato com a União e comprovar regularidade jurídica e fiscal, de acordo com a MP.

Gravação indica doação de Barata para Bethlem

Gravações obtidas pela "Época" sugerem que Jacob Barata, o Rei dos Ônibus, fez doações ilegais para a campanha do deputado Rodrigo Bethlem (PMDB), suspeito de corrupção quando era secretário da Prefeitura do Rio. Em conversa com a ex-mulher, Bethlem diz sobre quando era vereador: "Fui muito útil para esse cara na Câmara".

'Esperava unzinho', diz aliado do PSB

Eduardo Campos (PSB) e Marina Silva inauguraram em SP comitê voluntário, chamado de "renovação da política", mas o dono da casa, Piauí, disse que esperava 'receber unzinho' do cabo eleitoral Pernambuco, ligado à Rede.

Servidores ajudam Dilma em debate

Funcionários de ministérios foram escalados para auxiliar Dilma em debate amanhã na CNI. O comitê de Dilma nega. A petista voltou a criticar o Santander.

Lei Anticorrupção: levantamento aponta baixo número de investigações

Em vigor há seis meses, a lei federal que pune empresas por atos de corrupção não foi regulamentada até hoje. Sem essa regulamentação, e com pouco tempo de vigência, a chamada Lei Anticorrupção ainda não “pegou”: levantamento do GLOBO nos Ministérios Públicos Federal e estaduais, na Procuradoria Geral da República e na Controladoria Geral da União (CGU) mostrou baixo número de investigações baseadas na nova legislação, e ainda nenhuma punição. Apesar disso, o governo federal assegura que o texto já está mudando a postura das empresas, pois prevê multa alta — alcança até 20% do faturamento bruto — e não depende da Justiça para ser aplicada. De número 12.846/2013, a lei passou a responsabilizar pessoas jurídicas por atos de corrupção; até então, só pessoas físicas eram punidas.

Corrupção 'invisível' faz parte da rotina dos brasileiros

A facilidade para identificar atos de corrupção na política não se repete quando o assunto envolve práticas do cotidiano dos brasileiros. Atitudes tomadas com o objetivo de alcançar vantagens, como usar o vale refeição para fazer compras no supermercado ou comprar produtos falsificados podem ser consideradas corrupção. Para o cientista político Alexandre Gouveia, isso se explica pelo fato da população ter mais facilidade de se vitimizar e criticar os atos corruptos realizados pelos políticos brasileiros. Porém, ele ressalta que esse problema é culpa também de quem não está envolvido diretamente com a política:

— Não haveriam políticos corruptos se o eleitor brasileiro fosse mais presente nos assuntos da política, fosse mais atuante em observar e acompanhar minimamente as atividades dos políticos eleitos por ele. Se cada eleitor cumprisse o papel de dedicar um mínimo de tempo qualificado para escolher seus candidatos e se, no mínimo, a cada 6 meses acompanhasse as suas atividades, comportamento e resultados, certamente o cenário seria outro — afirma.

Após encontro com lideranças de Cláudio (MG), Fernando Pimentel diz que aeroporto é clandestino

Depois de participar de reunião a portas fechadas com lideranças políticas da cidade de Cláudio, o candidato petista ao governo de Minas Gerais, Fernando Pimentel, atacou o tucano Aécio Neves e fez ironias sobre o caso que envolve a construção de um aeródromo no município. A pista foi construída em terreno que era do tio de Aécio, desapropriado pelo governo de Minas.

Ex-ministro do governo Dilma, Pimentel receberá a presidente Dilma Rousseff em seu palanque para tentar alavancar a campanha à reeleição ao Planalto no segundo maior colégio eleitoral do país. Durante a entrevista, ele negou, em tom irônico, que tenha usado o aeródromo de Cláudio.

— Não, não uso pista clandestina. Então nunca usei. É uma pista clandestina — afirmou, em entrevista no comitê do partido na capital.

Gilberto Carvalho diz que caso de aeroporto que envolve Aécio é apenas a ponta do iceberg

O ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, fez duras críticas ao candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, em entrevista ao GLOBO. Carvalho afirmou que as explicações de Aécio sobre o caso envolvendo a construção de um aeroporto em Cláudio (MG), num terreno que pertenceu a seus familiares, não está explicado e que o tucano ainda terá problemas para explicar “outras coisas”.

— Acho que absolutamente não está explicado (o caso do aeroporto). E vai ser muito difícil explicar essas e outras coisas que aconteceram em Minas Gerais nos últimos tempos. Aquilo que conheço da minha relação com companheiros de Minas Gerais, o governador (Aécio) vai ter dificuldade de explicar muitas coisas... O aeroporto é apenas a ponta do iceberg de um tipo de prática que marcou aquele governo — disse Gilberto Carvalho, que concedeu entrevista ao GLOBO num sítio do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), em Luziânia (GO), onde foi participar de um encontro com movimentos sociais.

Vargas acusa relator do Conselho de Ética de ‘pré-julgamento’

O deputado André Vargas (sem partido-PR) usou seu Twitter, nesta segunda-feira, para confirmar que não irá comparecer ao Conselho de Ética da Câmara esta semana. Vargas também acusou pelo microblog o relator de seu processo, Júlio Delgado (PSB-MG), de pré julgamento. Delgado avisou aos advogados do deputado que irá encerrar a instrução do processo nesta terça-feira, cumprindo prazo regimental. No Twitter, Vargas acusa o relator de atropelar seu direito de defesa e de o prejulgar.

“Não comparecerei ao Conselho de Ética pois o relator está atropelando meu Direito de Defesa e a decisão do STF que deu acesso aos documentos”, disse Vargas em um primeiro post, acrescentando em seguida: “Júlio Delgado deveria de (sic) por suspeito pois emitiu o seu pré julgamento desde sua nomeação e agora atropelando decisão do SUPREMO”.

Diretor do BNDES diz que não existe 'bolsa empresário'

O diretor de Planejamento do BNDES, João Carlos Ferraz, afirmou nesta segunda-feira que não se preocupa com o fato de o banco estar no centro da disputa eleitoral deste ano, mas sim com o debate pejorativo que compara o apoio do banco a grandes empresas à "bolsa empresário" ou "bolsa BNDES". No fim de semana, alguns candidatos de oposição e seus aliados disseram que o problema do Brasil não é o valor destinado à Bolsa Família, mas sim à "Bolsa Empresário" – dinheiro subsidiado ao BNDES, que oferece financiamento a investimentos e projetos empresariais. Segundo Ferraz, o apoio que o BNDES faz a grandes empresas é similar ao realizado em países como Alemanha, Canadá, China, México e Finlândia.

— O problema não é estar no centro do debate, mas tem que ser um debate qualificado. Não pode ficar preso por chavões. Dizer que há bolsa empresário no Brasil não é pejorativo com o BNDES, é pejorativo com o empresariado brasileiro — disse o diretor depois de participar da abertura do seminário internacional "O presente e o futuro das instituições financeiras de desenvolvimento: um diálogo de aprendizado", realizado pela Minds e pela Ford Fundation e que ocorre na sede do BNDES, no Rio.

Oito crianças morrem em ataque a campo de refugiados em Gaza

Dilma diz que território palestino é palco de massacre e defende retirada de embaixador. Apesar de o Conselho de Segurança da ONU ter pedido cessar-fogo imediato, Israel disse que a ofensiva militar continuará até neutralizar o Hamas. Oito crianças morreram ontem num ataque a Gaza e os dois lados se acusam.

Conflitos são herança da Primeira Guerra

Para analistas, fronteiras traçadas após o confronto estão na raiz dos problemas do Oriente Médio.

Argentina ganha apoio dos credores

Parte dos investidores que aceitaram receber menos da Argentina abriu mão de direitos iguais aos dos "fundos abutres", diz o "Financial Times".

Mercado espera agora PIB de 0,9%

Pela nona vez seguida, economistas ouvidos pelo Banco Central reduziram a expectativa de avanço do PIB. E agora preveem crescimento de 0,9%.

MPF recomenda a SP racionar água

Ilimar Franco: correndo atrás

Os coordenadores estaduais da campanha da presidente Dilma concluíram ontem que o governo tem um déficit de comunicação. O comando do PT quer suprir essa carência e vai enviar aos estados um inventário de realizações. Os principais alvos são Minas e São Paulo. Com essa ofensiva, o PT acredita que vai dividir os louros de obras e ações com Geraldo Alckmin e Antonio Anastasia.

Merval Pereira: o Estado e o capitalismo

Concordo com a presidente Dilma, que classificou ontem o que está acontecendo no mercado financeiro de "inadmissível" e "lamentável", mas tenho a visão oposta à dela: o que é inaceitável é um governo, qualquer governo, interferir em uma empresa privada impedindo que ela expresse sua opinião sobre a situação econômica do país.

Ancelmo Gois: direita, volver

O deputado federal Jair Bolsonaro protocolou na Embaixada de Israel um pedido de desculpas pela "destrambelhada, inoportuna, hipócrita e covarde manifestação do governo brasileiro" sobre o conflito em Gaza.

Míriam Leitão: drama argentino

As últimas horas foram de tentativa desesperada de evitar o calote argentino. O país pagou antecipadamente os US$ 650 milhões da primeira parcela devida ao Clube de Paris, organismo que reúne os representantes dos governos credores. É uma forma de provar que não quer ficar inadimplente.

 

FOLHA DE S.PAULO

Economia é alvo do mesmo pessimismo pré-Copa, diz Dilma

Em sabatina, presidente afirma que repetição do clima que antecedeu ao Mundial é 'especulação contra o país'. Dilma considerou 'lamentável' texto do Santander sobre eleição. Para petista, ação em Gaza não é genocídio, mas, sim, um massacre. Presidente diz que mensalão do PT teve 'dois pesos e umas 19 medidas'.

Em vídeo, Skaf diz que é adversário do PT em SP

Em vídeo publicado em suas páginas oficiais na internet, o candidato ao governo de São Paulo pelo PMDB, Paulo Skaf, sugere que perguntas sobre um possível palanque em sua campanha para a presidente Dilma Rousseff (PT) são coisa de quem "sabe de nada, inocente".

A frase é uma referência à música de mesmo título do grupo baiano É o Tchan, que voltou à tona após uma propaganda de televisão e virou bordão recorrente na web.

No plano federal, PT e PMDB são aliados. Nas últimas semanas, Skaf reiterou que não dará espaço a Dilma em sua campanha, a despeito dos pedidos do vice-presidente Michel Temer, principal cacique peemedebista em São Paulo e candidato à reeleição na chapa petista.

TSE veta anúncios de consultoria econômica

A pedido da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) obrigou a consultoria econômica Empiricus Research a retirar do ar campanha publicitária relacionada às eleições de outubro.

Veiculada na internet por meio de anúncios no Google, a campanha orientava os clientes sobre em quais ações investir em caso de vitória de determinado candidato.

Dois anúncios se tornaram populares na web: "Como se proteger da Dilma, saiba como proteger seu patrimônio em caso de reeleição de Dilma" e "E se Aécio Neves ganhar? Que ações devem subir se Aécio ganhar a eleição". A Empiricus é conhecida no mercado por seus textos polêmicos e por análises com humor.

Lula diz que analista do Santander não entende nada sobre o Brasil

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou nesta segunda-feira (28) o informe produzido pelo Banco Santander que prevê um cenário econômico negativo para o país caso a presidente Dilma Rousseff seja reeleita. Segundo ele, a responsável pelo texto enviado a clientes da instituição "não entende porra nenhuma de Brasil".

Em discurso na 14º plenária da Central Única dos Trabalhadores, ele ressaltou que não há outro país em que o Santander lucre tanto como no Brasil e questionou ainda o fato da funcionária que escreveu o informe ter chegado a um cargo de chefia.

"Essa moça que falou [isso] não entende porra nenhuma de Brasil e de governo Dilma Rousseff. Manter uma mulher dessas em cargo de chefia é sinceramente... Pode mandar embora e dar o bônus dela pra mim, que eu sei como é que eu falo", criticou

Credores buscam saída para evitar calote argentino

À beira de sofrerem calote da Argentina, credores que aceitaram acordo em 2005 e 2010 tentam receber sua parcela da dívida no prazo, que expira nesta quarta

Sabesp comemora ação que reduz entrega de água

Ao diminuir a pressão da água distribuída à noite, a Sabesp gera uma "economia fabulosa", de até quase 13% em litros por segundo, diz o diretor Paulo Massato

A caminho da Flip, líder indígena denuncia ameaças de morte em RR

O líder indígena Davi Kopenawa apresentou, nesta segunda (28), à Polícia Federal em Boa Vista (RR) denúncia de que vem sofrendo ameaças de morte ao longo das últimas semanas. O líder Yanomami pediu proteção. Documento semelhante foi entregue na sexta (18) ao Ministério Público Federal em Roraima.

A associação Hutukara, dirigida por Kopenawa, aumentou a segurança em sua sede, em Boa Vista, e tem mantido o dirigente em locais sigilosos.

Premiê de Israel diz que ofensiva será longa em Gaza

Binyamin Netanyahu, pediu aos israelenses que se preparem para longa operação em Gaza que só acabará quando o território for desmilitarizado

MTST promete atos após despejo no Morumbi

Guilherme Boulos, líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) e colunista da Folha, afirmou que haverá "grandes mobilizações nos próximos dias" contra a reintegração de posse de uma área no Morumbi (zona oeste).

Invadido em 20 de junho, o terreno apelidado de Portal do Povo, pertencente à construtora Even, foi retomado nesta segunda (28) pela Polícia Militar, em ação pacífica. Cerca de 50 sem-teto estavam no local, por volta das 10h30. O MTST ainda definirá as ações, mas o alvo será o governo estadual, disse Boulos.

 

O ESTADO DE S.PAULO

Mercado interferir na política é inadmissível, diz Dilma

“Não é genocídio, é massacre”, afirma presidente sobre Gaza

Cenário: Dilma planeja reaproximação com segmento produtivo

Enquanto parte para o embate com o mercado financeiro e com as "especulações inadmissíveis" às vésperas da eleição, a presidente Dilma Rousseff quer se reaproximar do setor empresarial. Para tanto, planeja um encontro com industriais para mostrar um plano de crescimento do setor em eventual novo mandato.

Dilma pretende dizer aos empresários que incentivará maior participação da indústria no comércio exterior, com o aumento das exportações de manufaturados e de bens de consumo. No atual mandato, esse setor perdeu espaço na economia e hoje um dos carros-chefe da balança comercial é o agronegócio. Para o diálogo nessa área, ela conta com a senadora Kátia Abreu (TO), presidente da Confederação Nacional da Agricultura, que era do DEM e está no PMDB.

Documentos revelam a origem de depósitos nas contas de Marinho

Na ação em que pede afastamento do conselheiro do TCE/SP, Promotoria juntou 13 ordens bancárias e cartas de ex-executivos da Alstom

O Ministério Público de São Paulo juntou 13 documentos enviados pelas autoridades da Suíça e da França na ação protocolada em junho na Justiça por meio da qual pede o afastamento e a condenação por improbidade do conselheiro Robson Marinho, do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Entre os documentos destacam-se ordens de transferência de valores para a conta Higgins Finance Ltd, offshore constituída nas Ilhas Virgens Britânicas, da qual Marinho e a mulher detêm os direitos econômicos.

Portais falham em teste de transparência

Pesquisa avalia publicação de dados orçamentários na internet e mostra que governo federal, Senado e prefeituras descumprem requisitos

Os portais de transparência orçamentária do governo federal, das prefeituras das 26 capitais e do governo do Distrito Federal foram reprovados em vários quesitos em uma pesquisa que avaliou a qualidade das informações publicadas na internet.

Em uma escala de zero a 10, as três prefeituras líderes do ranking (Rio de Janeiro, São Luís e João Pessoa) tiveram nota 6, e nada menos que 21 prefeituras ficaram com 4 ou menos. O Portal da Transparência do governo federal e o sistema de informações orçamentárias do Senado obtiveram nota 5.

O estudo foi conduzido pelo Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), em parceria com o Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas para o Acesso à Informação (Gpopai/USP) e com financiamento da Web Foundation, entidade dirigida pelo britânico Tim Berners-Lee, um dos criadores da internet.

 

VALOR ECONÔMICO

Fundos de pensão voltam a bater metas no semestre

Depois de um péssimo 2013, quando tiveram perdas contábeis bilionárias, a maior parte dos fundos de pensão conseguiu superar suas metas de rentabilidade no primeiro semestre deste ano graças ao bom desempenho da renda fixa, que foi a vilã do setor no ano passado

Interferência de bancos é inadmissível, diz a presidente

Dilma afirma que desculpas do Santander por críticas à reeleição foram protocolares

Dilma chama conflito em Gaza de massacre

'Marola' de 2013 ficou sem resposta convincente

Lula diz que Brasil é país em que Santander ganha mais

TSE suspende anúncio sobre 'risco Dilma'

Ministro proíbe veiculação de comercial de consultoria que relaciona reeleição à perda de patrimônio

Voluntário de Campos cobra pagamento

Um voluntário da candidatura de Eduardo Campos e Marina Silva à Presidência provocou mal-estar ao afirmar que esperava receber dinheiro por colaborar com a campanha do PSB na manhã de ontem em Osasco, na Grande São Paulo.

Dilma pronta para troca chumbo na TV

Presidente está treinada para enfrentar debates

CNI sugere mudanças na política fiscal para resgatar confiança na economia

Uma delas é a adoção de uma meta de resultado primário estrutural, ou seja, que considere ajustes ao ciclo econômico

Entidade quer mudar reajuste do mínimo

Cenários políticos para todos os gostos

Campanha morna e indicadores conflitantes dão margem para análises eleitorais divergentes

Caso PT aperta a geração de caixa da Oi

A Oi acenou ao mercado com um futuro promissor em seu plano de expansão, mas já frustrou os investidores com uma nova crise deflagrada pela sócia PT. O Valor apurou que a geração de caixa da companhia está comprometida para este ano só com gastos agendados anteriormente

Mercado acha que dólar fica quase estável

Com a política monetária ainda acomodatícia nos EUA, a manutenção do programa de intervenção no câmbio pelo Banco Central até ao menos o fim do ano e o retorno atrativo da renda fixa no Brasil, os analistas têm revisado para baixo as projeções da taxa de câmbio para dezembro

Melhoras em 2015

De acordo com Edward Lange, a holding de corretoras de seguros Brasil Insurance espera começar a colher os frutos de sua reestruturação na segunda metade do ano que vem

Argentina teme que calote leve a crise política

O temor das pessoas comuns sobre como a Argentina vai amanhecer na quinta-feira reflete as preocupações dos especialistas com a extensão dos estragos que o calote na dívida poderá causar. Há quem acredite que os danos serão tão grandes que o governo não conseguirá se sustentar

Em Ivrea, uma visão da decadência italiana

Na cidade italiana de Ivrea, a decadência é visível nas quadras de tênis abandonadas e cobertas de mato. Ivrea oferece a visão da reversão econômica italiana. O país ainda é a nona maior economia no mundo, mas é o único da União Europeia cujo PIB per capita caiu em relação a 2000

Em busca do navio menos poluente

A indústria da navegação está modernizando os navios para torná-los mais sustentáveis e eficientes. O movimento atende a protocolos internacionais que limitam a poluição do ar pela navegação e buscam reduzir custos. A iniciativa é liderada por companhias estrangeiras

 

CORREIO BRAZILIENSE

Deputados vão trabalhar só quatro dias até eleição

Previsão é de votação na terça e na quarta-feira da semana que vem e em mais duas sessões em setembro. Empenhada em garantir um novo mandato, a maioria dos deputados está em campanha. E, mesmo com o recesso no fim, líderes admitem que não será fácil trazer esses parlamentares a Brasília antes das eleições de 5 de outubro. Ainda que seja, no máximo, por 96 horas para cumprir o "esforço concentrado" que prevê votações em 5 e 6 de agosto e em 2 e 3 de setembro.

Rombo na conta da previdência dos servidores

O caixa não fecha. Nos primeiros cinco meses de 2014, a arrecadação de contribuições do funcionalismo não cobriu a despesa com aposentadorias e pensões. O prejuízo fica com o governo federal, que já gastou R$ 25, 1 bilhões para cobrir o rombo. O déficit pode chegar a R$ 65 bilhões no ano.

Israel prevê guerra longa

Em declaração à nação, após morteiros matarem quatro soldados israelenses, primeiro-ministro alerta que conflito poderá se prolongar e pede que a população se prepare.

Cerco fechado aos porcalhões

TRE-DF vai aumentar o número de operações para retirada de propaganda eleitoral irregular. O tribunal espera o aumento no número de denúncias.

Nas entrelinhas: Luiz Carlos Azedo

A Aliança do Atlântico, próxima de Washington, apresenta resultados mais compensadores para os integrantes do que o Mercosul. Com a tarifa zero, o Brasil recuperaria o protagonismo perdido.

Denise Rothenburg: deu certo na Copa. E agora?

Pesquisa realizada com 20 mil agentes de todo o país e que será divulgada amanhã, no Fórum Nacional de Segurança Pública, em São Paulo, mostra que 71% dos entrevistados consideram ser possível um trabalho conjunto para garantir a tranquilidade da população.

Mais sobre aviação

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!