Jornais: Aécio Neves admite uso de aeroporto na terra do tio

Presidenciável tucano admite que utilizou pista não homologada de Cláudio feita em área de tio-avô e afirma que nunca viajou em avião oficial. Até ontem pela manhã, Aécio vinha se recusando a responder sobre o uso do aeroporto

Folha de S. Paulo

Aécio admite uso de aeroporto na terra do tio

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, admitiu nesta quarta (30) que usou o aeroporto de Cláudio (MG) para pousar num avião de sua família "três ou quatro vezes" nos últimos anos, mesmo sem a pista ter autorização da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para operar.

Depois de se recusar por dez dias a responder perguntas sobre o uso do aeroporto, Aécio mudou de tática para tentar reduzir o desgaste que a controvérsia em torno do assunto causou à sua imagem.

"Eu já utilizei [o local] várias vezes antes dessa pista ser asfaltada nos últimos 30 anos, desde a minha juventude", disse. "Ele era usado por empresários, fazendeiros, pessoas da região. Depois da conclusão da obra, quando não era mais governador, usei algumas poucas vezes, pousei ali algumas poucas vezes em avião da minha família."

A Folha revelou no dia 20 de julho que o governo de Minas gastou quase R$ 14 milhões para construir o aeroporto numa área de um tio-avô de Aécio, Múcio Tolentino, desapropriada pelo Estado. Parentes do tucano guardam as chaves do aeroporto.

O candidato disse ter cometido o "equívoco" de usar a pista sem que ela tivesse homologação da Anac, mas afirmou não ter conhecimento de que o aeroporto não tinha autorização legal para operar.

Dilma diz que 'tarifaço' é profecia que não se realizará

No primeiro evento que reuniu os três principais candidatos ao Planalto, a presidente Dilma Rousseff (PT) foi acusada pelos adversários de segurar o reajuste de preços de combustível e luz com objetivo eleitoral e, na resposta, negou que promoverá um "tarifaço" após o resultado da disputa eleitoral.

"O que justifica essa hipótese do tarifaço? Significa a determinação em criar expectativas negativas no momento pré-eleitoral. Pregar esse tarifaço agora é para assustar as pessoas e as empresas", disse a petista durante evento nesta quarta-feira (30) na sede da CNI (Confederação Nacional da Indústria).

Candidatos deixam empresários frustrados

Em público, elogios. Reservadamente, críticas e reparos ao desempenho de Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) na sabatina da CNI (Confederação Nacional da Indústria) nesta quarta (30).

Na avaliação reservada feita pelos principais empresários presentes ao evento, Dilma "foi bem, mas frustrou porque todos esperavam uma sinalização concreta do que pode ser seu segundo mandato no Planalto e que erros corrigiria no futuro".

Aécio Neves não empolgou na sua fala inicial, segundo os presentes, mas destacou-se no bloco de perguntas e respostas, quando foi muito aplaudido, por demonstrar estar mais preparado para enfrentar os temas econômicos defendidos pelo setor industrial.

Eduardo Campos, de acordo com empresários, fez a melhor oratória dos três, mostrou ser afirmativo, mas, com respostas consideradas genéricas, não teve a mesma desenvoltura ao enfrentar as perguntas da plateia.

Dilma leva ministros a evento eleitoral

Sete ministros de Estado deixaram o expediente nesta quarta (30) para acompanhar a presidente Dilma Rousseff num evento de campanha.

Na plateia da sabatina na CNI (Confederação Nacional da Indústria) estavam Aloizio Mercadante (Casa Civil), Guido Mantega (Fazenda), Mauro Borges (Desenvolvimento, Indústria e Comércio), Thomas Traumann (Comunicação Social), Garibaldi Alves (Previdência Social), Clelio Campolina (Ciência e Tecnologia) e Guilherme Afif (Micro e Pequena Empresa).

O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, também acompanhou a fala da presidente, em Brasília.

A AGU (Advocacia-Geral da União) diz que a participação de ministros em atos de campanha no horário de expediente não é um problema, desde que não prejudique o "exercício de suas funções".

Associação defende isenção de analistas

Os analistas do mercado de capitais podem e devem fazer livremente, e sem qualquer restrição, as suas projeções e análises de cenários em um eventual segundo mandato da presidente Dilma Rousseff ou em um governo da oposição.

A única condição é que a análise seja embasada em fatos e com argumentos defensáveis, disse Lucy Sousa, conselheira da Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais). "Que o mercado prefere o [tucano] Aécio Neves é um fato. Não quer dizer que pode fazer um desejo se tornar uma recomendação."

Segundo a conselheira, o profissional do Santander responsável pelo texto distribuído aos clientes não era um analista. O texto afirmava que a vitória de Dilma seria prejudicial à economia.

PSDB propõe ação contra Cardozo por caso Pasadena

O líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy (PSDB-BA), anunciou nesta quarta-feira (30) que vai protocolar uma representação na Procuradoria-Geral da República contra o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, por sua atuação no processo da refinaria de Pasadena no Tribunal de Contas da União.

Padilha apoia expulsão do deputado Luiz Moura do PT

O candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, defendeu nesta quarta-feira (30) a expulsão do deputado estadual Luiz Moura do partido.

O deputado foi suspenso do PT em junho, após a notícia de que participou de reunião com membros do PCC. Moura recorreu da decisão na Justiça e venceu, registrando sua candidatura à reeleição pela sigla.

União cobra R$ 18 mi de réus do mensalão

Seis dos 24 condenados no processo do mensalão já são considerados devedores da União por não terem pago a multa fixada como pena pelo Supremo Tribunal Federal. As dívidas inscritas no nome deles somam R$ 17,65 milhões, segundo levantamento feito pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. O órgão, vinculado ao Ministério da Fazenda, é responsável por cobrar quem deve aos cofres públicos.

Se o pagamento não é parcelado ou quitado dentro do prazo estabelecido, a cobrança é feita judicialmente e os devedores passam a ter o nome lançado no cadastro da dívida ativa da União.

O prazo para o pagamento da multa acabou em janeiro e os valores iniciais, fixados pelo STF, foram corrigidos pela taxa básica de juros além de terem acréscimo de 20%, previsto em lei.

Até agora a Procuradoria informou ter recebido apenas seis certidões de condenação com as respectivas multas. "Já se encontram em procedimento de cobrança", informou a Procuradoria.

Entre os seis condenados, Marcos Valério Souza, o operador do esquema, tem o maior valor inscrito na dívida ativa: R$ 6,61 milhões.

Do advogado e ex-sócio de Valério, Ramon Hollerbach, a União cobra R$ 6,43 milhões. Entraram para a lista de devedores os ex-deputados Valdemar Costa Neto (R$ 1,9 milhão), Bispo Rodrigues (R$ 1,1 milhão) e José Borba (R$ 1 milhão). O ex-tesoureiro do PL (atual PR) Jacinto Lamas parcelou a multa de R$ 523,9 mil e tem pago a dívida em dia.

Somente os petistas José Dirceu, José Genoino, Delúbio Soares e João Paulo Cunha pagaram suas multas, após arrecadarem doações. O restante dos sentenciados ainda negocia, questiona o valor da multa na Justiça ou espera o cálculo do montante devido.

Justiça pode antecipar saída de Genoino da prisão

A Vara de Execuções Penais do Distrito Federal decidiu nesta quarta-feira (30) que o ex-deputado José Genoino tem direito a abater 32 dias da própria pena.

Com a redução, ele poderia ir para casa por já ter cumprido um sexto da pena.

Na decisão, a juíza Leila Cury afirma que, além dos dias em que trabalhou na cadeia, os cursos de "introdução à informática e internet" e de "direito constitucional" feitos por Genoino se enquadram nos critérios para remissão da pena.

Petebista lidera em PE; aliado de Campos tem 11%

O senador Armando Monteiro Neto (PTB-PE) saiu na frente na disputa pelo governo de Pernambuco, segundo pesquisa Ibope encomendada pela TV Globo e divulgada na noite desta quarta (30).

Armando Monteiro --que apoia a candidatura da presidente Dilma Rousseff (PT)--tem 43% das intenções de voto, enquanto Paulo Câmara (PSB), candidato escolhido pelo ex-governador e presidenciável Eduardo Campos (PSB-PE), tem 11%.

 

O Estado de S. Paulo

Dilma pede fim do pessimismo e oposição defende regras claras para a economia

PSDB vai questioanr ‘claque’ ministerial

Aécio confirma que usou aeroporto e diz que foi um ‘equívoco’

Gasto per capita em obra mineira é o maior do programa

Pezão afirma que deputado suspeito de receber propina desistiu de tentar reeleição

Justiça suspende pesquisa de jornal do ABC a pedido de Skaf

 

O Globo

Campanha de Dilma prevê dificuldades na área cultural

Marqueteiro de Dilma monta QG em bairro nobre de Brasília

Pezão diz que Bethlem já avisou a aliados que desistirá da reeleição


Valor Econômico

Dilma, Aécio e Campos tentam atrair indústria

Cercados por parcela representativa do PIB nacional, os três principais candidatos à Presidência apresentaram ontem seus planos para reanimar a indústria nacional. Principal alvo das queixas do empresariado, a presidente Dilma Rousseff saiu em defesa de seu governo, admitiu estar insatisfeita com o ritmo dos investimentos, mas lembrou que o setor produtivo tem sido contemplado com incentivos e subsídios. O senador tucano Aécio Neves, segundo colocado nas pesquisas, reforçou promessas e se alongou nas críticas à gestão petista, enquanto o candidato do PSB, Eduardo Campos, concentrou-se nas propostas enviadas previamente pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e acabou como o mais aplaudido.

Dilma sanciona marco regulatório de ONGs

A presidente Dilma Rousseff fará cerimônia hoje no Palácio do Planalto para sancionar a lei que institui o marco regulatório das organizações da sociedade civil, aprovada pelo Congresso no começo do mês. O ato é uma reivindicação histórica das entidades beneficiadas pelos convênios com o governo.

PT deve expulsar Moura para evitar desgaste a Padilha

Em meio a denúncias envolvendo o deputado estadual Luiz Moura (SP) de suposta ligação com a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), o PT paulista definirá até amanhã se expulsará o parlamentar do partido. A tendência é de que a maioria dos dirigentes aprove a expulsão de Moura, para evitar novos desgastes à legenda e à candidatura do petista Alexandre Padilha ao governo de São Paulo. Hoje, a executiva do partido se reunirá para debater o caso e deve ouvir Moura.

Aécio diz que pode ter errado quando usou aeroporto de tio

O senador Aécio Neves (MG), candidato do PSDB à Presidência, reconheceu ontem ter pousado várias vezes - nenhuma delas como governador - no aeroporto construído em terreno que era de propriedade de seu tio-avô Múcio Tolentino e foi desapropriado pelo Estado, no município de Cláudio. O senador admitiu ter cometido o equívoco de não procurar saber se a pista estava homologada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Para empresários, Campos saiu-se melhor

Na avaliação dos empresários presentes na sabatina com os três principais candidatos à Presidência, promovida pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), Eduardo Campos (PSB) teve o melhor desempenho. A empatia com a plateia foi grande, não por acaso ele foi aplaudido mais vezes, mas faltaram alguns "fundamentos", principalmente na área econômica, e foi cobrada uma postura mais clara do candidato em algumas áreas como reforma trabalhista.

 

Correio Braziliense

Justiça reconhece direito e Genoino está a um passo do regime aberto

O ex-deputado José Genoino espera migrar do regime de prisão semiaberto para o aberto nos próximos dias. Decisão da Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal publicada ontem reconhece que o ex-presidente do PT tem o direito de reduzir 34 dias da pena. Com essa remissão, ele receberia o benefício de ir para casa por ter cumprido um sexto da punição. A decisão de autorizar a progressão de regime caberá ao novo relator do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luís Roberto Barroso.

A juíza Leila Cury validou o pedido da defesa de Genoino pela remissão dos dias, enviado na semana passada. Segundo a decisão da VEP, além dos dias trabalhados na unidade carcerária, os cursos de introdução à informática e internet e de direito constitucional feitos pelo ex-deputado na cadeia se enquadram nas exigências para remissão da pena. O advogado de Genoino, Luiz Fernando Pacheco, comentou ontem que esperava um parecer favorável da VEP. “É um pedido matemático, assim como um mais um são dois.”

Segundo a decisão da juíza, deliberações sobre a mudança de regime para os condenados no mensalão estão sendo analisadas pelo STF. Por isso, ela remeteu a decisão ao ministro Barroso. A Corte volta do recesso a partir de amanhã e a expectativa é de que o pedido de Genoino, condenado a quatro anos e oito meses por corrupção, seja analisado nos próximos dias. Segundo o advogado do petista, em caso de decisão favorável, ele deve ficar, num primeiro momento, na casa que alugou em Brasília.

Tribunal de Contas da União vai rever acórdão que isenta Graça Foster

A presidente da Petrobras, Graça Foster, poderá ser incluída no acórdão do Tribunal de Contas da União (TCU) que responsabiliza a antiga diretoria pelo prejuízo na compra da Refinaria de Pasadena.

Um ex-diretor chegou a ser acusado por atos praticados após a saída dele, e a Corte estuda rever o documento, o que abre brecha para a inclusão de Graça.

Nessa quarta-feira (30/7), José Orlando de Azevedo, ex-presidente da Petrobras América e primo de José Gabrielli, negou, em depoimento na CPMI da Petrobras, qualquer participação no litígio da compra de Pasadena.

 

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!