Jornais: “inflação da Copa” chega a 583% em hotéis

Também em destaque: acuado, Alckmin diz que cartel atuou em outros estados; STF retoma o julgamento do mensalão; Kerry diz que EUA espionaram para proteger o Brasil

VALOR ECONÔMICO

A “inflação da Copa” chega a 583% em hotéis

As diárias que estão sendo cobradas nas reservas de hotéis para a Copa do Mundo incorporam um aumento de até 583% em relação às verificadas no mês passado. Foi o que concluiu a Embratur após um amplo levantamento nas 12 cidades-sede da Copa de 2014. Segundo a pesquisa, a tarifa média no Rio é de US$ 461, em comparação aos US$ 200 de Johannesburgo, na Copa da África do Sul (2010), e US$ 300 em Berlim, na da Alemanha (2006).

O presidente do Embratur, Flávio Dino, está preocupado com o que os técnicos do órgão estão chamando de “inflação da Copa”. Ele teme que os altos preços dos hotéis possam não só prejudicar as vendas de pacotes para o evento como também fixar a imagem do Brasil como um destino turístico caro. “Isso justamente quando o país deve bater a barreira histórica de 6 milhões de turistas por ano”, disse Dino ao Valor PRO, serviço de notícias em tempo real do Valor.

Ex-diretor da Aneel vê Cesp e Cemig prejudicadas

Cemig e Cesp estão “cobertas de razão” na disputa com o governo federal sobre a renovação das concessões. Esse é o entendimento do procurador Julião Coelho, que renunciou ao mandato de diretor da Aneel. As duas estaduais de energia, controladas pelos governos de Minas e São Paulo, alegavam durante o processo de renovação antecipada das concessões o direito de prorrogar os contratos uma primeira vez, como fizeram todas as outras empresas até aquele momento, com o aval do Ministério de Minas e Energia.

O ex-diretor da agência afirma que a “expectativa de direito” é fundamental para dar estabilidade jurídica e regulatória ao setor. “Nessas usinas, os titulares tinham uma justa expectativa, uma legítima expectativa, de que teriam suas concessões prorrogadas”, disse ao Valor.

Fusão no setor de medicamentos

A Brasil Pharma, rede de varejo de farmácias controlada pelo banco BTG Pactuai, negocia com três das maiores distribuidoras de medicamentos do país — Profarma, PanPharma (ex-Panarello) e Santa Cruz — com o objetivo de unir as operações com uma dessas companhias nos próximos meses, apurou o Valor. As discussões tiveram início há cerca de três meses, de forma separada com cada distribuidora, e já avançaram “consideravelmente”, de acordo com fontes familiarizadas com a operação.

No momento, as conversas tentam quantificar os ganhos de sinergia para cada uma das possíveis parceiras. Caso o negócio seja concluído, será criada a maior rede de varejo e distribuição de medicamentos do Brasil, com faturamento superior a R$ 7 bilhões por ano. Procurados, representantes da Santa Cruz e PanPharma não confirmaram as negociações. Profarma e BR Pharma não se manifestaram até o fechamento desta edição.

Indústria de caminhões cresce e pede manutenção de incentivos

Após um 2012 marcado por interrupções na produção para se ajustar à demanda fraca, a indústria de caminhões entrou em fase de expansão. Em junho, a Ford começou a produzir extrapesados em São Bernardo do Campo (SP) e a International iniciou a operação de sua nova fábrica em Canoas (RS). A Scania parou a fábrica no ABC recentemente, mas para adequá-la a um mercado maior, no qual os caminhões pesados puxam a demanda. Nos próximos meses, a DAF começa a produzir no Paraná.

Como tratar o preterido na sucessão de executivo

Não são raros os casos em que empresas perdem alguns de seus melhores executivos quando eles são preteridos em uma escolha para presidente ou diretor. A partir de determinado nível de comando, muitos deixam a companhia após não serem escolhidos para posições de destaque. Os processos sucessórios costumam seguir regras que não conseguem agradar a todos os participantes. “Recentemente, conduzi um programa para escolher o presidente de uma empresa que fatura RS 15 bilhões por ano. Eram três candidatos internos. Um despontou e os outros dois preferiram deixara companhia”, diz Jacques Sarfatti, sócio da consultoria Russell Reynolds.

São Félix do Xingu enfrenta o passivo ambiental

O município de São Félix do Xingu tem minérios, madeira e o maior rebanho bovino do Pará. Foi também o primeiro da lista de 2008 do governo federal de grandes desmatadores da Amazônia, o que significou a proibição de crédito público aos produtores do município. Agora, São Félix do Xingu tenta reordenar a economia predatória e extrativista para um modelo sustentável, em um esforço planejado por governo e sociedade civil.

Os resultados já começam a surgir, mas não o suficiente para que São Félix saia da lista de municípios desmatadores. “Conseguimos reduzir o desmatamento, que em 2000 era de 2,5 mil km2 ao ano, para 162 km2. Isso não devia ser levado em consideração?” questiona o secretário de Meio Ambiente, Bruno Kono. O limite estabelecido pelo governo é de 40 km2 ao ano. Um critério contestado pelo prefeito, João Cleber (PPS): “Somos muito grandes e chegar a esse limite vai ser mais difícil para nós”.

MP quer punição à Samsung

O Ministério Público do Trabalho moveu ação civil pública contra a Samsung pelas más condições de trabalho dos empregados da empresa na fábrica da Zona Franca de Manaus. A ação pede uma indenização mínima de R$ 250 milhões.

Aviação Executiva

Com crescimento médio de 10% ao ano, o mercado brasileiro de aviação executiva continua sendo um dos mais atrativos para os grandes fabricantes internacionais de helicópteros, com uma frota de quase 2 mil aeronaves, a quarta maior do mundo.

Atraso em rapasse isenta de multa

Decisão do Tribunal Superior do Trabalho isenta hospital de multas aplicadas pela fiscalização por não cumprir o pagamento de direitos trabalhistas devido a atrasos no repasse de verbas do SUS pela União.

Telecomunicações

Empresas de telecomunicações lideram os rankings de reclamações nos Procons de todo o país. Para o diretor do Departamento de Infraestrutura da Fiesp, Carlos Cavalcanti, as centrais de atendimento funcionam mais como escudo das operadoras do que para ajudar os clientes.

Emendas à LDO acabam com a contabilidade criativa, diz Pedro Taques

Cassação de liminares abre caminho para cobrança bilionária por térmicas

Fundos de pensão querem prazo maior para reduzir déficit

FOLHA DE S.PAULO

Acuado, Alckmin diz que cartel atuou em outros estados

Governador anuncia que vai processar Siemens; cinco empresas têm contratos de R$ 826 milhões com a União

Câmara derrota Dilma em projeto de emendas

Câmara aprovou em primeiro turno, por 378 votos a favor, 48 contra e 13 abstenções,    a proposta que obriga a execução de emendas de congressistas ao Orçamento

Espionagem dos EUA protegeu o Brasil, diz Kerry

O secretário de Estado John Kerry defendeu o monitoramento global feito pelos EUA. Kerry afirmou que a medida visa garantir a segurança de cidadãos de todo o mundo

Emergência

Protesto no hospital Sírio-Libanês, termina em confusão entre policiais e manifestantes; grupo reivindica melhorias para trabalhadores da saúde

Alta das tarifas públicas é a menor desde Plano Real

As tarifas públicas tiveram, nos últimos 12 meses, a menor alta desde o Plano Real, em 1994, segundo cálculos do Banco Central

Infraero engorda Congonhas com 237 funcionários

O número de funcionários da Infraero em Congonhas subiu de 336 em dezembro para 573 em junho último

Marcelo Coelho: em nome de qual minoria você pode hostilizar alguém?

 

O GLOBO

Trem-bala custará R$ 1 bi mesmo se não sair do papel

Presidente de estatal diz que apenas o projeto executivo do Trem de Alta Velocidade (TAV), que conterá detalhes da parte de engenharia, como o número de túneis, pontes e estações, está orçado em R$ 900 milhões.

A insistência do governo em manter o polêmico projeto do trem-bala entre Rio, São Paulo e Campinas vai custar pelo menos R$ 1 bilhão aos cofres públicos até o ano que vem, mesmo que o Planalto desista de fato da obra, como admitiu anteontem o ministro César Borges. O cálculo considera o que já foi gasto com os estudos de viabilidade econômica e contratação de consultoria, além do valor do projeto executivo — que, segundo o presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, tem custo de R$ 900 milhões. O leilão já foi adiado três vezes, agora por um ano. Ontem, a ministra Gleisi Hoffmann disse que “o governo não desistiu" mas apenas adiou a licitação.

Gol acumula prejuízo de R$ 2 bi em apenas um ano e meio

Com a alta do dólar e do combustível, a Gol teve prejuízo de R$ 433 milhões de abril a junho, no 6º trimestre seguido de perdas, que acumulam R$ 2 bi. Nos EUA, o governo quer barrar a fusão da American Airlines com a US Airways.

Um julgamento para a história: Mensalão retoma hoje à pauta do STF

Os ministros do Supremo Tribunal Federal iniciam hoje a apreciação dos recursos dos réus condenados no mensalão, esquema de pagamento de propina a políticos aliados do governo Lula, entre 2003 e 2005. Inicialmente, serão julgados os embargos de declaração, usados para questionar supostas omissões ou contradições do acórdão. Ministros acreditam que esta parte poderá ser concluída rapidamente. Ontem, o Senado aprovou uma resolução que estende a exigência de ficha limpa aos servidores da Casa.

Lula defende aliança de Campos e Dilma

O ex-presidente Lula convidou publicamente o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, para tratar da eleição de 2014 e do apoio à reeleição de Dilma.

Alckmin decide processar a Siemens

Orçamento impositivo: Câmara impõe derrota ao Planalto

Numa derrota para a presidente D Uma, a Câmara aprovou ontem, em primeiro turno, a PEC que obriga o governo a pagar emendas parlamentares. O Palácio do Planalto queria vincular 50% do valor das emendas para a Saúde, mas não houve acordo nem com a sua base.

Ganho turbinado: Lucro do BB bate recorde: R$ 10 bi

Concessionário fica: Maracanã não será devolvido

 

 

O ESTADO DE S. PAULO

EUA dizem que espionagem ajudou a proteger brasileiros

Mesmo cobrado pela presidente Dilma Rousseff e pelo chanceler Antonio Patriota, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, defendeu em Brasília o que chamou de “coleta de informações” promovida pela Casa Branca. Kerry, que ontem encerrou visita à América do Sul, afirmou que a medida ajudou a proteger cidadãos, incluindo brasileiros. Ele garantiu que o Brasil receberá as respostas que quiser sobre a interceptação de dados. “Estamos convencidos de que a nossa coleta de informação ajudou a proteger nossa nação de uma série de ameaças e também protegeu brasileiros”, disse, ao responder a jornalistas sobre o programa americano de espionagem. Em audiência no Palácio do Planalto, Dilma Rousseff cobrou esclarecimentos sobre o episódio e lembrou a necessidade de a Casa Branca dar garantias de que os dados dos brasileiros serão protegidos de violações. (Págs. 1 e Internacional

Visto americano

O governo disse que avança a negociação com os EUA para afrouxar a exigência de visto de brasileiros. John Kerry espera chegar “um dia" à isenção do visto.

Alckmin vai à Justiça contra Siemens, mas mantém contrato

Um dia após obter na Justiça acesso às investigações do Cade sobre formação de cartel no fornecimento de trens do Metrô e da CPTM, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou que processará a Siemens. Apesar disso, os contratos em vigor serão mantidos. Alckmin também deixou clara a estratégia de dividir o ônus das denúncias com o governo federal ao citar licitações em outras capitais.

Planalto quer Saúde na verba para emendas

Após fracassar na negociação com a base para derrubar a proposta de Orçamento impositivo, o governo escalou o ministro Alexandre Padilha (Saúde) para pedir vinculação de parte dos recursos à sua pasta. A mudança na Carta obrigaria o governo a fazer execução orçamentária equivalente a 1% da receita líquida do ano anterior.

Mais Médicos e política em SP

O governador Geraldo Alckmin, a presidente Dilma Rousseff e o ministro Alexandre Padilha (Saúde) participam de solenidade em Itapira (SP): durante o evento, Dilma fez elogios ao programa Mais Médicos, que Padilha (PT), possível adversário de Alckmin (PSDB) na disputa pelo governo de SP em 2014, quer usar como carro-chefe de campanha.

Senado eleva a US$ 1,2 mil gasto em free shop

O Senado aprovou a ampliação do limite de compras em free shops (isentas de tributos) de US$ 500 para US$ 1,2 mil. O projeto vai agora para a Câmara. As regras para os gastos realizados no exterior não foram modificadas.

Venda de ações fez lucro do BB crescer 148%

Influenciado pela venda das ações da BB Seguridade, o lucro líquido do Banco do Brasil cresceu 148,4% em 1 ano. O BB reforçou sua política de oferta de crédito, na contramão dos bancos privados, que reduziram estimativa de concessões.

Israel liberta palestinos antes de negociações

Celso Ming: gasolina sob pressão

Tanto para a Petrobrás como para o prefeito Haddad, o governo vem negando reajuste na gasolina, sob o argumento de que seria inflacionário.

Roberto da Matta: Manifestações e passeatas

O pensamento moderno (que privilegia o indivíduo) tem dificuldade para entender algum movimento coletivo. A interligação nos deixa apalermados.

Notas & Informações: o Congresso segue malvisto

Aversão aos integrantes da instituição que encarna a soberania popular pode enfraquecer a democracia.

 

CORREIO BRAZILIENSE

 

Barbárie na Asa Sul: moradora ataca colega, envolve em lençóis e toca fogo

Conhecida pelos colegas como ambiciosa, vaidosa e uma bem-sucedida garota de programa, a baiana Ananci Conceição de Jesus, 34 anos, morreu na madrugada de ontem de forma trágica. Flagrada por câmera em prédio da 415 Sul, Ellen Samara Moraes de Lucena, 33, confessou o assassinato. Contou, em depoimento, ter empurrado a suposta companheira escada abaixo após discussão e o fim do namoro entre as duas. Depois a chutou. Ao vê-la sem sentidos, envolveu-a com cobertores e sacos e a levou para o gramado da quadra lá fora. Em seguida, pegou álcool, jogou sobre a vítima e ateou fogo. A crueldade do crime estarreceu os vizinhos. A polícia apura também se a intenção de Ellen — que já tem passagem pela polícia por estelionato—era roubar Ananci. Colegas da jovem morta dizem desconhecer o suposto caso amoroso entre as duas. Além de Ananci, duas pessoas foram queimadas entre a noite de segunda-feira e a manhã de ontem no Distrito Federal.

Orçamento: Câmara aprova PEC das emendas

O Planalto ainda tentou negociar, mas os deputados aprovaram em primeiro turno, com 378 favoráveis, 48 contrários e uma abstenção, a proposta que obriga o governo a executar as emendas parlamentares individuais. Aliados tentarão garantir, no Senado, a destinação de 50% dos recursos à saúde.

Terceirizados levam calote na Esplanada

Contratadas por três ministérios, as empresas Adminas e Delta não pagaram os trabalhadores. Mesmo tendo repassado os recursos, a União terá que arcar com os salários atrasados.

Até US$1,2 mil no freeshop

Senado eleva o limite para as compras nos aeroportos nacionais. A moeda dos EUA bateu ontem em R$ 2,31.

Ainda é pouco, John Kerry

O secretário de Estado dos EUA usou o terror para justificar a espionagem, mas não convenceu a diplomacia brasileira.

Maduro busca superpoderes

Presidente venezuelano anuncia que pedirá “poderes especiais" à Assembleia Nacional. Ele diz precisar de apenas um voto para governar por decreto e combater a corrupção. Oposição critica manobra política.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!