Joaquim condena Duda por lavagem de dinheiro

Relator votou pela culpa do publicitário e sua sócia por transferências de dinheiro para o exterior. Outros cinco foram condenados por evasão de divisas

O relator do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, votou nesta segunda-feira (15) pela condenação do publicitário Duda Mendonça e sua sócia, Zilmar Fernandes, por lavagem de dinheiro. A acusação é sobre as 53 transações feitas para uma conta aberta nas Ilhas Cayman para o pagamento dos serviços do marqueteiro na campanha à presidência de Lula em 2002.

Mensalão: entenda o que está em julgamento
Veja quem já foi condenado
Quem são os réus, as acusações e suas defesas
Tudo sobre o mensalão

Antes, ele tinha votado pela absolvição de Duda e Zilmar de outra acusação de lavagem e também de evasão de divisas. No mesmo item, ele se colocou pela condenação de Marcos Valério, Ramon Hollerbach, Simone Vasconcelos, Kátia Rabello e José Roberto Salgado por evasão de divisas. Também se posicionou pela inocência de Cristiano Paz, Geiza Dias e Vinícius Samarane.

De acordo com Joaquim, tanto Duda e Zilmar sabiam da origem ilícita do dinheiro. O crime antecedente, de acordo com o relator, é a evasão de divisas praticada pelos integrantes do núcleo operacional do mensalão. Nesta conta, os publicitários teriam recebido cerca de R$ 10 milhões do PT pela campanha que elegeu Lula presidente em 2002.

Após o voto do relator, a sessão foi interrompida para intervalo. A expectativa é que seja retomada a análise do item 8 pelo revisor do mensalão, Ricardo Lewandowski. Já a conclusão do item 7 - faltam os votos de Gilmar Mendes, Celso de Mello e Carlos Ayres Britto -, pode ficar somente para quarta-feira (17).

Saiba mais sobre o Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!