Janot pede arquivamento de inquérito contra Moka e Biffi

Procurador-geral da República concluiu não haver comprovação de denúncias contra senador e deputado de Mato Grosso do Sul. Caso será arquivado pelo Supremo Tribunal Federal

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu o arquivamento de investigação que apurava supostos crimes com a participação do senador Waldemir Moka (PMDB-MS) e do deputado Antônio Biffi (PT-MS), em tramitação no Supremo Tribunal Federal (STF). O pedido foi feito com base na ausência de comprovação das denúncias citadas no inquérito 3679, que envolvia os dois parlamentares de Mato Grosso do Sul.

Entendimento firmado na corte estabelece que, nesse caso, os ministros devem seguir a orientação da PGR, responsável pela acusação, e arquivar o inquérito. Isso depende, agora, apenas de um despacho do relator do caso no Supremo.

O parecer de Janot foi entregue ao Supremo Tribunal Federal na terça-feira passada (24) após o lançamento da última edição da Revista Congresso em Foco, que publica levantamento de investigações contra parlamentares. Ao todo, 224 congressistas respondem a algum tipo de acusação no Supremo.

Veja a lista com todos os parlamentares com pendências

Apoie o jornalismo independente e de qualidade:

Faça uma assinatura convencional ou digital da Revista Congresso em Foco!

Mais sobre processos

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!