Impeachment: aliados de Dilma preparam dez questões de ordem para sessão no Senado

Lindbergh Farias vê a possibilidade de suspender a fase de pronúncia por entender que o Tribunal de Contas da União ainda não julgou o mérito da decisão que rejeitou as contas do governo Dilma em 2015

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) disse nesta segunda-feira (8) que aliados da presidente afastada Dilma Rousseff pretendem apresentar, durante sessão na qual o Senado decidirá se Dilma vai a julgamento definitivo,  marcada para amanhã (terça, 9), cerca de dez questões de ordem para questionar o processo. De acordo com Lindbergh, os questionamentos devem durar aproximadamente duas horas.

No início da noite de hoje (segunda, 8), Lindbergh e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) se reuniram com o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, que vai presidir a sessão. Depois do encontro, o senador petista disse que pretende apresentar como uma das questões de ordem a possibilidade de suspensão do processo da fase de pronúncia por entender que o Tribunal de Contas da União (TCU) ainda não julgou o mérito da decisão que rejeitou as contas do governo Dilma em 2015.

“O que a gente vai fazer são umas questões ordem neste sentido. A gente está calculando umas 10 ou 11. A gente acha que vai gastar umas duas horas”, disse o senador.

Mais sobre impeachment

Mais sobre Dilma Rousseff

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!